Mulher de Bêbado Não Tem Dono Mesmo!

Saímos um dia eu e minha esposa” Claudia”, era mais uma daquelas saidinhas, um sanduiche uma bebida e casa! Estava calor e ela estava com uma roupa bem a vontade, chegamos em uma lanchonete e comecei a tomar umas cervejas.

Claudia dizia pra mim, “não beba muito que não vou levar ninguem embora”, e eu nem ai, comemos umas porções e nisso a lanchonete foi enchendo, pois tinha musica ao vivo. Não demorou pra que eu ficasse muito bebado e a Claudia com vergonha tentou me tirar pra fora e chamar um taxi pra me levar embora, mais a Claudia não guentava com meu peso.

Derrepente surgiu um senhor de unsanos, nós temos 34 anos, o senhor bem trajado se ofereçeu pra ajudar, Claudia disse pra ele ajudar a me levar pra fora e chamar um taxi, o Sr. (Valter), disse que não havia necessidade, ele mesmo levaria. Claudia aceitou e me colocaram no carro, eu tava trebado, mas percebia a desenvoltura dos dois a conversar.

Chegamos em casa e ele me pegou em seu ombro e Claudia abriu a porta e o Valter me colocou no sofá, lembro que ela ainda disse, ele não é acostumado a beber, mas quando bebe, dorme a noite inteira, a principio Valter se mostrou solidário em escutá-la, então ela agradeceu, e o Sr Valter disse a ela que ele não tinha tomado nada na lanchonete e seria uma forma de agradecimento que ela oferecesse uma bebida antes de ele ir, ela titubeou, mas disse que serviria um uisque a ele, ele por sua vez perguntou se não queria que me levasse pro quarto, ela voltou a frisar que não havia necessidade, pois eu apagava quando bebia, só que eu estava meio que acordado, mas não deixava eles perceberem, ela veio com a bebida pra ele, e ele perguntou se ela não bebia ela disse que não gostava.

Ele insistiu e ela tomou um gole do uisque, Valter por sua vez fez de conta que tomou e voltou o copo pra ela, ela sorveu o copo de uisque e ele sorridente e brincalhão disse que achava melho ela pegar mais um pouco pois ela tinha acabado de tomar todo o uisque. Ela foi até a estante e pegou o uisque encheu um copo, estranhei pois até então ela não tinha mostrado nem um comportamento suspeito, mas fazer o que eu estava travadaço, ela trouxe o copo mas antes de passar ao coroa ela deu um talagaço que ameiou o copo. Valter brincou novamente e disse que se continuasse daquele jeito era melhor pegar o litro, ela não se fez de rogada e voltou até a estante e pegou o litro e deu ao Valter, que por sua vez voltou a encher o copo e também começou a beber, naquele instante os dois riam e parecia que eu não estava ali, mas Claudia se tocou que estava ficando tonta e disse que era melhor ele ir embora, ele olhou pra ela e perguntou se ele tinha cara de bobo, ela perguntou por que, ele respondeu, “voce acha que vim aqui só pra beber, agora você tem que mostrar gratidão.Neste instante ele foi pro lado dela e a puxou para junto dele, ela tentou se soltar mas ele a segurou com firmesa, parece que aos poucos ela foi cedendo e ele por sua vez não perdeu tempo.

Pensei em me levantar e acabar com aquilo, mas em minha situação acho que não conseguiria fazer nada, somente vi ele a segurar pela cintura e dar um beijo em sua boca, ela inicialmente não correspondeu, mas na segunda investida, acho que por conta do uisque que ela tomou, ela deixou ele a beijar e espremer sua bunda, ele mandou ela tirar a roupa, e ela obedeceu, foi tirando a blusa e ele ajudando, aos poucos ela começou a tirar a calça, ela estava com uma tanga, bem chamativa, ele se deteve diante daquela chaninha, ela pareçe que prevendo o que iria acontecer, mexeu em mim para ver se eu estava realmente dormindo, fiquei imovel, ela continuou com o ritual, nisso o Valter já estava nu, e oque ela viu, talvez ela nem imaginasse ver, era uma pica duns 25 cm e umas duas polegadas, ele não perdeu tempo, puxou ela para ele e a virou de costa, puxou sua tanga pro lado, e pincelou aquela picona na bucetinha dela, incrivel mas com a facilidade que a cabeça entrou, acho que ela já estava molhadinha a hora que nós chegamos. Valter começou a insultala, dizendo que daria a ela o que aquele bebado não deu, ela por sua vez só gemia, derrepente o homem socou a rola tudo de uma vez na buceta da minha esposa e começou um vai e vem frenético, ela gemia e balbuciava palavras sem nexo, Valter perguntou se ela estava gostando ela dizia , “humhum”, ele falou então goze bastante pois hoje vou comer também sua bunda, ela meio que se assustou, mas pelo fato de estar com aquela tora atolada na buceta ela só rebolava, ficaram uns 05 minutos naquele movimento, então ele tirou a rola e mandou ela deitar de pernas abertas, quando ela fez isso, pude ver o estrago que aquela rola fez na bucetinha dela, mas mesmo assim ele segurou as pernas dela pra cima e voltou a socar a rola na buceta dela, foram varias estocadas até que ele disse que iria gozar, ele tirou a rola de sua chana e deu pra ela, ela começou a tocar uma punheta e ele gozou em cima dela, quando ela pensou que tinha acabado ele puxou ela pro seu pau e fez ela chupar até a ultima gota, quando ela secou o pau dele, o cacetão já estava duro novamente, ai ele disse pra ela ” vira ai sua cadelinha, agora quero arregaçar sua bunda”, ela olhou e pediu que não, ele disse, não tem não, vim até aqui, agora voce tem que pagar o favor, e nesse instante ele a virou e a colocou de quatro, pensei que ela não iria aguentar a quela rola, mas ele lubrificou o pau em sua própria porra e começou a socar no cuzinho dela, ela chorava e dizia que não ia aguentar, mas ele nem ai, continuou socado e ela chorando, derrepente ela começou a rebolar e gritar pra ele gozar dentro dela, pedido atendido, o homem deu um urro e encharcou o cu dela de porra, a hora que ele tirou a rola do cuzinhop dela, ela gemeu aliviada, ela ainda deu uns tapinhas na bunda dela, e perguntou se ela tinha gostado, ela simplesmente disse ” vai embora”, ele obedeçeu, colocou a roupa e saiu, ela ficou passando a mão na buceta e na bunda pra ver o estrago, então saiu e foi tomar banho, a hora que saiu do banho, ela passou perto de mim e disse ” viu seu bebado, você não sabe o que perdeu, o coroa fez o seu serviço…vai vai beber”

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,73 de 11 votos)
Loading...