Minha cunhadinha de 13 anos

Autor

Olá me chamo Pedro tenho 25 anos, 1,78, olhos verdes, 18cm pau grosso… Minha cunhada tem 13 anos, loirinha, 1,60 de altura, olhos castanho, peito pequeno mais durinho, e bunda média (equivalente para sua idade).
Bem vamos ao conto.
Sou casado a 5 anos, e tenho 2 filhas, minha esposa tem 3 irmãs todas lindas, uma de 18, uma de 15 e a de 13 que na minha opinião é a mais bonita das 4 irmãs.
Minha cunhada mais nova raramente fica sozinha pois ela estuda pela manhã e na parte da tarde ela fica com minha sogra em casa que não trabalha. Então eu nunca tinha tentado nada, e nem passava pela minha cabeça fazer algo com minha pequena loirinha, mais eu ficava de pau duro, toda vez que via ela de legging que marca bem a sua buceta no tecido da calça, dava pra ver que era bem inchada, e também muitas vezes por descuido dela via sua calcinha por baixo da saia todas as vezes que ela sentada de mau jeito no sofá.
Mais a alguns meses eu estava de férias, como minha esposa trabalha e minhas filhas ficam na creche o dia todo, acabava ficando sozinho em casa. Um dia minha sogra pediu pra que fosse na parte da tarde ficar de olho na minha cunhada pois a mesma ficaria sozinha em casa pra minha sogra poder ir resolver alguns problema no banco no centro, cerca de 40 minutos de onde ela mora. Quando deu 2 horas da tarde sai de minha casa e fui la ver se estava tudo bem com minha cunhada, o portão estava destrancado então entrei sem bater ou chamar pelo nome dela (nome esse que não vou revelar, mais vou identificar ela como "loirinha"), ao entrar na casa estava só a TV ligada, procurando ela pela casa chamei pelo seu nome, e ela me grita do banheiro dizendo esta tomando banho que jaja saia pra falar comigo, então fiquei na sala esperando ela terminar de tomar seu banho, ate o momento não tinha passado nenhuma besteira pela minha cabeça, cerca de 5 minutos depois ela sai do banheiro enrolada na toalha, ela vem falar comigo e ao vê-la como num estala de dedos meu pau ficou duro como pedra, e mil besteiras invadiram minha mente naquele momento, ela ali na minha frente só de toalha, sua pele branca e seus cabelos loiros ainda molhados me deram tesão, deu vontade de atacar ela ali mesmo sem cerimonia, mais contive meus instintos e a comprimento normalmente pergunto se estava tudo bem, e ela pede pra que eu fique um pouco e aproveita pra ajudar ela no dever de matematica da escola, peço pra ela ir se trocar e trazer o caderno que eu ajudaria sem problemas.
Alguns minutos ela retorna pra sala de sainha rodada ate o joelho e uma blusinha solta com sutiã, nada fora do normal, mais tudo que eu conseguia imaginar naquele momento era ela nua com a pele molhada. Ela senta ao meu lado no sofá bem colada comigo, e coloca o caderno sobre sua perna, e me mostra as atividades que estava com dificuldade, tento ajudá-la mais minha mente só pensava em querer come ela no sofá mesmo, peço desculpas a ela por não lembra como fazia as atividades mais falo que vou pesquisar e tentar recorda, ela diz não ter problema e fecha o caderno e coloca do outro lado do sofá mais não sai do meu lado, não se por inocência dela no ato de se esticar pra colocar o caderno no outro lado do sofá a saia dela levanta um pouco deixando a mostra parte de sua coxa e ao retonar ela nem mechou na saia para tentar arruma-la, eu já não resistindo mais coloco minha mão em cima da coxa dela fazendo carinho e perguntando como estava as notas na escola, ela me respondendo com naturalidade sem esboçar reação as minhas carinhas. Não havendo reação negativa continuo passando a mão na coxa dela movimentando minha mão pra cima e pra baixo, no movimento de subir minha mão vou levantando mais a saia dela, com o tempo sua saia já esta quase toda levantada e já podia ver sua calcinha preta com corações vermelha, ela já esta com a respiração ofegante, mesmo ela percebendo que sua calcinha estava a mostra não pediu em nenhum momento que eu parasse o que estava fazendo, e ela também já tinha colado a sua pequena mão sobre minha perna, por cima do tecido da bermuda, minha camisa cobria o volume que meu pau fazia, então resolvi mostra a ela, levantei um pouco minha blusa, deixando a mostra o volume do meu pau por baixo da bermuda, ela olhou e ficou vidrada sem tirar os olhos. Coloquei minha mão no meio das pernas dela, e toquei em sua buceta por cima da calcinha que por sinal já esta úmida, quando toquei pela segunda vez a calcinha dela, minha cunhada levanta e fala que vai beber uma água, me sentindo frustado e achando que ela não tivesse gostado pedi que trouxe-se água pra mim também. Quando volta esta recomposta, saia arrumada, respiração normal, me entregou o copo com água e ficou na minha frente, imovel, como se esperasse que por algo, terminei de bebe minha água e coloquei o copo no chão, mesmo assim ela continuo na minha frente me olhando, eu como ainda estava com tesão puchei ela pela cintura a fazendo sentar no meu colo de pernas abertas e de frente para mim, coloquei minhas duas mãos na bunda dela por cima da saia, e puchei seu corpo de encontro ao meu a fazendo ficar com a buceta dela senti-se o volume do meu pau que ainda estava dentro da bermuda, olhei no fundo dos olhos dela e falei:
Eu: -Loirinha você me mata de desejo.
Ela só me olhada e novamente não fazia nada pra impedir as minhas caricias, caricias essa que eu fazia agora na sua bunda por baixo da saia; quando ela passou os braços em volta do meu pescoço foi como um sinal positivo pra que eu continua-se o que estava fazendo, então comecei a beijar a boca dela, de ínicio dei somente solinhos, mais logo estava dando beijos de lingua, demorados e gostosos ela mesmo inexperiente pegou o jeito rápido, e mais uma vez a respiração dela ficou ofegante, e pude sentir sua calcinha ficando úmida, sem perde tempo tirei a blusa e o sutiã que escondiam aqueles deliciosos e pequenos peitos, peitos que mesmo pequenos eram durinhos e com o biquinho rosado, na minha mente só pensava que se os biquinhos eram rosados a buceta também seria, e a cada minuto eu ficava com mais tesão ainda.
Comecei a chupar seus peitos um de cada vez, chupava com vontade, cabia todo em minha boca, ela já começava a gemer gostoso, um gemido digno de filme porno, não era alto mais deixa qualquer homem com tesão, deitei ela no sofá e fui beijando a boca dela, e descendo ate chegar na barriga, tirei sua calcinha e pude contemplar aquela maravilha de buceta, pequena mais carnuda, rosinha e com poucos pelos loiros, e já estava toda melada, como ela tinha acabo de tomar banho esta tudo bem limpinho e cheiroso, aquele cheiro infantil, me ajoelhei no chão e comecei a chupar a buceta dela, devagar pra poder desgutar aquele mel delicioso de buceta virgem, quem já chupou uma virgem sabe o quanto é bom sentir o gosto daquele melzinho na boca. Sem tirar a saia dela continuei chupando, olhava para o rosto dela e podia ver ela de olhos fechados e boca aberta, gemia gostoso, seu rosto já estava completamente vermelho como um tomate, ela como que por extinto fazia movimentos com a cintura me permitindo atingir todos os cantos daquela maravilhosa buceta, e então ela começou a gemer mais forte e a fazer movimentos mais bruscos com a cintura e com um gemido forte e alto ela puchou minha cabeça com as mãos prescionando meu rosto na buceta dela, ela tinha acabo de gozar na minha boca, que gozada gostosa, que melzinho maravilhoso, deu vontade de ficar ali chupando o dia inteiro, mais tinha que terminar o serviço pois minha sogra poderia chegar a qualquer momento.
Ela ainda se recuperava da gozada que tinha acabado de dar, e eu tirei minha roupa, tirei minha blusa e bermuda, quando tirei a minha cueca pude ver os olhos dela brilharem ela contiuava na mesma posição deitada no sofá de pernas abertas. Me posicionei na frente dela apoiando uma perna em cima do sofá e a olha no chão, pincelei meu pau na buceta dela, pra deixar a cabeça lubrificada, ela olhava atenta aos movimentos que meu pau fazia no meio daqueles lábios carnudas da buceta dela, quando ela começou a gemer posicionei a cabeça do meu pau na entrada da buceta dela, e comecei a empurrar mais o buraco era apertado ate demais, por um momento achei que não ia conseguir meter meu pau nela, mais colocando um pouco mais de força a cabeça começou a entrar, e aos pouco a cabeça foi sendo engolida por aquela buceta apertada, os gemidos deram lugar a uma expressão de dor, pergunto se esta doendo e se quer que eu pare, ela me responde em meio a suspiros que esta doendo um pouco mais que poderia continuar.
Parei ela pedindo para continuar eu dei uma parada, pra ela relaxar, e logo em seguida continue, já tinha entrada 1/3 do meu pau, e encontro a berreira do cabacinho dela, pare e fico fazendo movimentos pra frente e pra trás sem força o cabaço dela, a buceta dela já estava acostumada, ela já tinha voltado a gemer, olho pra ela e falo que não iria colocar mais por que não queria tirar o cabaço dela, ela pega uma de minha mãos e me faz aperta um dos seus peitos e fala com voz doce e gemendo.
"-Vai pode colocar tudo, tira meu cabaço hummmmm"
Então não pude resistir, tirei meu pau quase todo pra fora, e como um só movimento empurrei meu pau todo pra dentro da buceta dela, com a dor do lacre sendo rompido ela apertou a buceta, quase me fazendo gozar com o pau todo dentro da buceta dela, dei uma parada pra não gozar e também para que ela acostuma-se com meu pau na buceta, mais continue beijando e chupando os pequenos e gostosos peitos dela.
Quando a vontade de gozar passou continuei metendo, a buceta dela era apertada, mais estava bem lubrificada oque facilitado o meu trabalho, dela só se escutava gemidos e na maioria das vezes ela estava de olhos fechados, depois de um tempo metendo nela de pernas abertas, puxei ela fazendo ela sentar novamente no meu colo, e pedi pra ela ficar subindo e descendo, ela começou de mau jeito e meu pau saiu umas duas vezes da buceta dela, mais logo a bixinha já estava sentando gostoso, faltava pular no meu pau, gemia muito gostoso.
Mesmo estando muito gostoso e com vontade de meter nela durante a tarde toda, tinha que acabar pois minha sogra poderia chegar a qualquer momento e da mesma maneira que eu entrei sem bater ela poderia entrar e nos pegar no flagra. Pedi pra ela levantar e pra fechar com chave de ouro, coloquei ela de 4 no sofá pernas na parte de baixo do sofá e fiz ela se apoiar no encosto com as mãos, como sou alto ficou na posição perfeita, coloquei meu pau dentro da buceta dela que a essa altura já estava toda babada, acho que ela deve ter gozado outras vezes e eu nem percebi, pois ate as pernas dela já estavam molhadas; meti gostoso, metia forte, naquele momento esqueci que ela só tinha 13 anos e tinha acabo de perde o cabaço, metia como se fosse numa mulher de 30 anos, a parte de trás da coxa dela já estava ate vermelha de tão forte que eu metia, e ela mordia o sofá pra tentar abafar os gemidos que já estavam altos, uns 10 minutos depois metendo nela anunciei que iria gozar e pra não gozar na buceta dela rapidamente fiz ela se ajoelhar no chão pedi que ela abri-se a boca e que era pra engolir tudo, ela sem entender obedeceu, coloquei a cabeça do pau na boca dela, e com jatos fortes gozei gostoso no fundo da boca dela, ela quase engasgou mais não deixei ela tirar meu pau da boca, e a fiz engolir tudinho sem deixar nenhuma gota cair, pra não sujar o sofá nem o chão, depois de engolir toda minha porra ela olha no fundo dos meus olhos com cara de inocente e com rostinho de quem quer mais falou "-Nossa é docinha, quero mais".
Depois daquela foda gostosa ela foi tomar banho de novo, e eu fiquei na sala e me vesti e me certifiquei que o sofá estava lindo e que nenhum vestigio da trepada gostosa ficaria pra trás pois ninguém poderia descobrir o que eu acabara de fazer. Quando ela saiu do banheiro ela já estava recuperada com um lindo sorriso no rosto me agradeceu por cuidar dela bem, e disse ter gostado apesar da dor no começo mais que depois ficou muito gostoso. Pedi a ela que não comenta-se com ninguém sobre o que tinhamos feito naquela tarde, e ela me prometeu não falar nada me dando um selinho de surpresa. Cerca de 20 minutos depois eu fui pra minha casa e liguei pra minha sogra avisando que estava tudo bem com "minha loirinha".
Isso aconteceu a cerca de 3 semanas de lá pra cá não fizemos mais nada, e ela também creio não ter comentado com ninguém sobre o que fizemos. Quem sabe futuramente possa rolar algo.

Espero que tenham gostado, se os comentarios forem positivos posso quem sabe posta novamente mais um conto caso venha acontecer mais aventuras com minha cunhada…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,74 de 42 votos)
Loading...