Me zuou e levou rola

Autor

Depois que meus pais morreram em um acidente de carro eu herdei alguns imóveis por parte da minha mãe, cerca de seis casas e dois apê. E eu não tinha nenhuma experiência nessa área pq todos esses imóveis estavam alugados direto com o proprietário no caso minha mãe, e que lógico passou a ser comigo. Por tanto tive que ir morar por uns tempo com minha tia, irmã mais velha da minha mãe em São Paulo para poder aprender com ela esse ramo imobiliário, já que ela também era proprietária de alguns imóveis que tanto ela quanto minha mãe herdaram do meu avô. Como gostei muito de são Paulo pois as baladas eram sensacionais e também por insistência da minha tia que sempre morou sozinha, acabei ficando por definitivo. Mas também tinha outro motivo em particular que me fez ficar, seu nome era Shirley. Uma mulher incrivel, linda, cativante, gostosa, que mesmo com dois filhos ainda exibia um belo corpo com dotes sensuais avantajados e de enlouquecer qualquer homem, logo na primeira vez que a vi pelas ruas do bairro me senti totalmente atraído, alimento um desejo tremendo por essa mulher mas tive que conter, pois ela é casada, o cara era um desses metido a malandro mas na verdade era um baita cuzão e vagabundo que só ficava socado dentro de boteco. Bom, certa noite eu fui pra um baile funk com os colegas, eu nunca tinha ido pois não gosto de funk, só fui pq um dos meus colegas disse que era muito fácil pegar mulher nesses bailes. E pra minha surpresa a shirley estava lá toda gostosona, shortinho jeans curtinho, super apertado, e com uma camisetinha com um decote bem tentador. Ela rebolava tão gostoso ao som do funk proibido, aquelas coxas grossa, seu cabelão preto e comprido, sua boca com aqueles lábios carnudos, nossa ela tava me deixando doido. Conhecemos algumas pessoas nesse baile e umas delas conhecia bem a Shirley e me passou que ela batia ponto ali e em outros lugares que tocavam funk. Essa pessoa me disse também que a Shirley toda vez ia embora com um cara diferente e que botava chifre no marido direto, pois todos que saiam com ela, comia. Por tanto sabendo disso eu tomei coragem e decidi que naquela noite iria ser eu que ia embora com ela. Então comecei as minhas investidas e tudo indicava que eu me daria bem. Ela dava risadinhas pra mim, me deixou chegar e ficar dançando coladinho com ela, me deu várias brechas, e depois de altos papos marcamos de irmos embora juntos para um lugar bacana(motel). Mas perto do baile acabar algo aconteceu, porque essa mina começou a me esculachar de uma tal forma que se tivesse um buraco no chão eu me enfiava dentro de tão envergonhado que fiquei, ela deu um escândalo que quase todos do baile ouviram e eles me zuaram bastante, poxa era só ela ter dito que não queria mais eu iria embora de boa, mas ao invés disso ela me zoando na frente de todos, eu não entendia essa reação pois tava tudo indo bem, no final de tudo eu entendi pq vi ela indo embora com dois caras que olhavam pra mim rindo tipo com deboche. Confesso que fiquei super mal e fiquei uns tempo sem sair pra balada, queria ver o capeta mas não queria ver ela, peguei raiva e passei a evita-la. Mas o mundo da voltas pois semanas depois eu fui surpreendido pela minha tia, ela iria fazer um cruzeiro com as amigas tipo iria ficar fora por uns três meses só curtindo, coitada ela merece. Ela então me pediu para tomar conta dos seus negócios imobiliários, por eu ter adquirido bastante experiência nos negócio ela ficou despreocupada e confiou tudo a mim. Olhando o caderno de anotações da minha tia onde ela anotava os pagamentos dos aluguéis, algo surpreendente me chamou a atenção, o nome da piranha da Shirley e do vagabundo chifrudo do seu marido estavam nas anotações e constavam quatro meses de aluguéis atrasado. Até aquele momento eu não sabia que eles moravam em umas das casas da minha tia. Liguei pra minha tia e perguntei a ela sobre eles, ela disse que eles estavam dando muita dor de cabeça pra ela pois além dos atrasos eles brigavam feito cão e gato e estavam incomodando outros inquilinos e que só não tinha despejados eles ainda por causa dos dois filhos, então eu perguntei se eu podia tomar a frente e tentar resolver essa pendência, ela disse que tudo bem mas avisou pra ir com cautela e pensar duas vezes antes de qualquer decisão. Bom fiquei pensando uns dias no que poderia fazer em relação a Shirley, humilha-la com despejo tava fora de questão devido aos filhos dela. Eu queria puni-la de algum jeito pela humilhação que ela me fez passar, mas por outro lado eu ainda sentia bastante tesão por ela é cheguei a um consenso. No dia do vencimento quem me aparece, a Shirley, eu já a aguardava. Ela ficou toda sem graça quando me viu, perguntou sobre minha tia eu respondi que foi viajar e que eu estava a frente de tudo, pedi pra ela entrar, e cá venhamos a lazarenta é gostosa, que rebolado enquanto ela caminhava para dentro de casa. Perguntei a ela sobre os atrasos, ela deu um monte de desculpas dizendo que pagaria tudo, trouxe só a metade do aluguel que estava vencendo, e mais desculpas e desculpas. Olhei pra ela e lembrei tudo o que ela fez comigo, e ela agia como se nada tivesse acontecido, nem pedido de desculpas ou explicação. Eu já tinha algo tramado para me vingar daquela piranha, então abri a gaveta da mesa e tirei um papel e dei a ela, ela leu e me olhou apavorada, era uma documento que dizia que se ela não pagasse as pendências em 48 horas iria ser despejada, e antes dela começar a choramingar pedi que lesse tudo o que estava escrito no documento. Ela leu tudinho e ficou de cabeça baixa e pensativa, minutos depois se levantou tirou toda a roupa e ficou parada toda peladinha. Era inacreditável aquele corpinho depois de dar a luz a dois filhos. A chamei em minha direção veio em minha direção, eu estava sentado e afastei minha cadeira pra trás para ter mais espaço, peço para se ajoelhar e abrir o zíper da minha calça e tira minha rola pra fora que estava dura como rocha e disse pra chupar. Nossa que gulosa gostosa, que boquinha de veludo, não demorou muito pra aquela boquinha se encher do meu leite. Como eu tinha tramado tudo de antemão, tomei uma balinha aquela das boa pra ter aquela potência. Ela ainda tava limpando a boca quando a levei pro quarto e em seguida a joguei na cama. Com minha rola dura novamente mandei ela ficar quatro e empinar bem aquela bundona gostosa, dei uns tapinhas e em seguida enfiei buceta a dentro. Nossa que delicia, que buceta gostosa, metia forte e com vontade, dava varias palmadas naquelas nadêgas carnudas e com minhas mãos agarradas em sua cintura eu socava sem só naquela buceta que tanto desejei, aquele barulhinho de melado, da minhas coxas na suas nadêgas, pah,pah,pah,pah… seus gemidos ofegantes, sua cabeça chegava a bater na cabeceira da cama de tão intensa que era as socadas, dava uma paradinha para beija-la e chupar seu seios tesudos e em seguida a colocava de quatro novamente e toma-le rola e não aguentando mais solto meu gozo sobre sua costa e nadêgas. Essa mina se desmancha na cama, exausta, assim como eu, olhei pra ela e sua afeição era nula não sabia se tava gostando ou não, mas acho que tava sim ela só não tava querendo demonstrar, dei uma toalha ela para se limpar e fui até a cozinha tomar água. Quando eu volto a vejo acabando de se vestir e com a fala mansinha ela diz que precisava ir embora, eu disse que não, e a fiz tirar a roupa novamente, exceto a calcinha. Mas não já acabou ela perguntou. Não eu retruquei, e a mandei voltar pra cama, ela começa a querer ensaia um choro e a pedir para deixa-la ir embora, começou a se desculpar referindo ao ocorrido do baile, eu não dei a mínima e disse que não tinha nada a ver com aquilo é sim com as pendências de aluguel, mas tinha sim. Ta falando demais eu disse pra ela, da uma chupada aqui eu completei. Só de sentir aquela boca minha rola endurece como um tronco, realmente a balinha que eu tomei dava muita potência. Fiz ela abrir bem as pernas e colocar a calcinha de ladinho pois é uma tara que eu tenho. Nossa que visão, que delicia ver aquela mulher toda aberta e submissa a mim, abocanho aquela buceta com gosto, em seguida vou pra cima dela no clássico papai e mamãe, ela pede pra ir devagar devido a grossura da minha rola, enfiei com vontade fazendo ela soltar um gritinho, começei o vai e vem em ritmo lento mas aumentando até ficar alucinante . Com seu rostinho colado no meu, eu socava naquela buceta com vontade, que delicia, dava chupadinhas no seu pescoso e falava besteiras ao seu ouvido e beijava sua boca, o tesão que sentia era indescritível. Eu tava fora de mim, metia nessa mina num ritmo frenético, a cama fazia um barulho como se fosse quebrar ao meio, com a voz trêmula ela pedia pra parar e uma mistura de gemido com choro dela me deixava ainda mais louco, até que soltei um grito de tesão ao gozar dentro daquela buceta. Precisei de uns 20 minutos pra me recuperar, olhei pra ela é vi essa mina destruida , acho que ela nunca tinha sido fodida daquele jeito, cheguei ate a ficar com dó. Era pra eu comer o cù dela também mas ela tava sem condições, eu já estava bem satisfeito e me senti vingado. Colocamos a roupa, e preenchi os recibos do aluguel e coloquei PAGO e dei pra ela, e antes dela sair perguntei como seria no próximo mês, ela não falou nada apenas me olhou e saiu. Eu não me preocupei com uma possível retaliação porque eu tinha certeza que ela iria deixar isso tudo em off, e foi o que aconteceu porque cerca de 10 dias depois o corno do seu marido veio entregar a casa e disse que eles tinham se separado e que ela foi embora com os filhos morar com a mãe dela em outra cidade. Paciência né.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,64 de 11 votos)
Loading...