Marcelle

Autor

MARCELLE
Sou Carol para contar como foi a despedida de solteira da prima da Paula, a Marcelle, poderia ser a festa dela, mas adorei seu jeito e sobretudo sua beleza. Loira, corpo esguio, ela era sempre muito assediada pelos rapazes, mas nunca namorou firme, apenas alguns casos esporádicos. Marcelle na Faculdade, lá conheceu um rapaz (segundo ela nos contou, eu e Pasula), e lá conheceu um rapaz com quem se afeiçoou, e depois de 4 anos de namoro finalmente estava de casamento marcado.
Ela era pura empolgação com os preparativos do casório e sua prima Paula, organizou o famoso ‘chá de panela’ para ela;
Todas as amigas mais íntimas de Juliana foram convidadas e depois de ela abrir alguns presentes habituais (jogos de copos, pratos, enxoval, etc…), deixamos alguns presentes mais ‘picantes’ para o final.
Eu presenteei Marcelle com uma lingerie vermelha linda e lógico que a obrigamos a experimentar. De lingerie e envergonhada, Marcelle abriu o presente de Paula, que como eu era a ‘desavergonhada’ de todas. Assim que Marcelle abriu o pacote de Paula, ela começa a ficar vermelha e tira da caixa uma ‘prótese peniada negra’ gigante, de uns 22 cm.
A mulherada vibrou e riram muito da situação. Paula então colocou uma música, fixou a prótese na mesa de centro e fez Marcelle dançar sensualmente sobre a ‘consolo’, passado a partes íntimas sobre ele. E mulherada ria e se divertia, quando começaram a gritar em coro: ‘chupa, chupa, chupa…’.
Marcelle não se fez de rogada, se ajoelhou e engoliu o consolo para o delírio das presentes.
Nos divertimos muito durante a festa e no final, ficamos apenas eu, Paula e Marcelle para arrumarmos a bagunça. Entre conversas banais e papos picantes, Marcelle, contou que o noivo iria para uma ‘despedida de solteiro’ no outro final de semana (mal sabia ela que ele havia nos convidado), e achava injusto ela não ter a sua própria ‘despedida’.
Paula riu e disse que tinha uma amiga, que era dona de uma empresa que organizava eventos, vamos dizer assim, ‘especiais’. Paula dizia que ela organizava um show com gogo boys (aqueles rapazes que ficam dançando seminus nas festas) e se Marcelle quisesse ela poderia ligar para a amiga e organizar alguma coisa.
Paula era ‘sem-vergonha’ demais, inclusive sempre participamos das aventuras com nossos maridos ou sem eles, mas Marcelle era mais recatada, mas sabia onde estava se metendo e mesmo assim ‘autorizou’ Paula de ‘promoter’ o nosso evento.
Durante a semana, Paula me ligou empolgadíssima. Disse que tinha ligado para a amiga e planejado a ‘despedida do século’ e melhor ainda, ela faria a ‘festa’ numa chácara onde não seriam incomodadas. Sua amiga era divorciada. Seu marido era muito rico e a deixou um ótima situação financeira, os filhos já estavam todos casados e moravam fora da cidade e ela ficava com a casa somente para ela.
Eu falei para ela não me contar nada, queria ser surpreendida junto com Marcelle e ela dizia que eu iria ‘morrer’ de tesão. A palavra tesão, já me animou para o que estava preparando.

No sábado, Paula foi me buscar e depois pegamos Marcelle, por volta das 22h, sem dizer a ela onde iríamos e nem o que estava preparado para ela.
Assim que voltamos a casa dela, Marcelle, perguntou por que ela voltou para casa e se tinha esquecido alguma coisa. Paula , jogou um lenço de seda para Marcelle e pediu para que ela cobrir os olhos com eles.
Ai meu Deus, o que vocês vão fazer? disse Marcelle.
Você não disse que queria uma despedida digna? Agora não dá para voltar….
Assim que entramos, tiramos Marcelle do banco de trás e a escoltamos até a sala de visita. A sala era enorme, a maioria a mobília havia sito retirada, sobrando apenas 2 sofás e um puff. Postamos Marcelle bem no centro da sala. Paula a então liga a música, e quando me dou conta, cerca de 12 rapazes, vestindo apenas uma gravata borboleta e uma sunguinha bem apertada entram dançando na sala.
Eles dançam e volta de Marcelle que neste momento percebia, mesmo vendada, a presença deles. Um deles a segura, e começa a dançar uma valsa com ela e logo em seguida passa ela para os braços de outro que continua a dança.
Marcelle se divertia passando de mão em mão durante a dança, quando todos a cercaram e tiraram a venda de seus olhos.
Ela abriu a boca e tapou os olhos na hora que se viu cercada por vários ‘machos’ seminus a sua volta.
Um deles segurou as mãos de Marcelle e começou esfregá-los por todo corpo. Quase que imediatamente, Marcelle começou a acariciá-lo por conta própria. Ela, como dona da festa, começou a passar a mão pelos corpos dos rapazes e esfregar seu corpo sensualmente sobre o deles.
Eles não tocavam nela, apenas deixavam ela se esfregar pelos seus corpos másculos. Um dos rapazes se posta sorridente diante dela quando ela o acaricia na virilha.
Nesta hora, Paula e eu deliramos com a ‘desinibição’ de Marcelle. Ela ainda nos surpreende ainda mais, beijando os rapazes na boca um a um.
Eles então a colocam sentada no centro da sala sobre o puff. Um a um eles vão dançando, exibindo seus corpos sarados, e exibindo seus ‘cacetes’ totalmente eretos dentro da sunga bem na cara de Marcelle que passava a mão sobre eles. Admito que estava ‘excitada’ com a situação, mas me segurei, pois queria que Marcelle aproveitasse seu momento. Marcelle, então, segura um dos rapazes pela cintura, enfia a mão por dentro da sunga e libera o caralho duro diante de si. Ela o segura com as mãos e começa a masturbá-lo. O rapaz delira com as mãos delicadas de Marcelle o acariciando. Ela então engole o caralho com tanta vontade, que até eu fiquei surpreendida. Marcelle, então, pede que mais rapazes se aproximem e retira o caralho de todos eles para fora da sunga. Eles a levantam, puxam a alça do seu vestido, e ela sem demonstrar resistência fica nua no meio deles. Eles avançam sobre ela, sugando seus seios, beijando sua boca, e chupando sua vagina. Dado momento, era tanta gente em volta dela que não a enxergada no meio deles. Meninas, vamos participar da festa… gritou Paula, entusiasmada. Alguns rapazes que não podiam participar daquela orgia se aproximavam de mim e Paula que não perdemos tempo e os agarramos para participarmos a festa. Me ajoelhei e comecei a chupar o caralho de um deles, enquanto outro, abaixava meu vestido. Retiro o resto das minhas roupas e vejo Marcelle de quatro, sendo penetrada por trás, enquanto engole o caralho de outro, por baixo dela deitado, um dos rapazes suga o bico dos seus seios, já Paula, cavalga sobre um, chupa outro e segura um cacete em cada mão, masturbando-os. Um dos rapazes me põe deitada sobre o sofá, abre minhas pernas, e enterra seu caralho na minha buceta que estava molhadinha de tesão. Outros dois avançam sobre meu corpo. Um deles coloca seu caralho na minha boca, enquanto o outro aperta meus seios com força. Escuto os gritos e gemidos de Marcelle, quando ela é ‘fodida’ com força por um negro, Paula está de ladinho, sendo penetrada por trás enquanto chupa os pênis que vão aparecendo a sua frente. Os rapazes vão se ‘revezando’ para poder ‘foder’ gostosamente nós três e se divertem muito com isso. Paula, então se levanta, vai até a outra sala, e trás consigo gel lubrificante e joga nas mãos de um dos rapazes sobre Marcelle. Eu e Paula colocamos Marcelle de quatro no meio da sala. Paula estica o dedo indicador e o rapaz esfrega o lubrificante na extensão do dedo. Paula introduz o dedo no ânus de Marcelle que solta um gemido. Eu então estico meu dedo indicador e o rapaz repete o procedimento, e enfio agora meu dedo dentro do cú de Marcelle que solta um grito. Começamos então a preparar o cuzinho de Marcelle. Escolhe um para estrear seu cuzinho… pergunta Paula para Marcelle. Marcelle excitada, começa olhar em volta… os rapazes excitados, começam a levantar a mão e pular diante dela para serem escolhidos. Marcelle, novamente nos supreende, escolhendo um rapaz que tinha um dos maiores cacetes entre os presentes. O rapaz delira, ele então se posta por trás de Marcelle. Retiramos nossos dedos de do seu cuzinho. Com as mãos, Paula e eu, abrimos bem suas nádegas mostrando seu cuzinho rosado para o rapaz, que esfrega a cabeça do caralho bem na entrada do cuzinho de Marcelle e o enterra pouco e pouco dentro dela. Ele cerra os olhos e solta um grito. Os meninos deliram com o grito de Marcelle. Ele começa a estocar dentro dela e ela geme intensamente. Eu imaginei que ela fosse chorar na hora, mas a safada, olhou para mim e Paula e sorriu… Tá gostando, né?! disse Paula. Paula então que chamou outro rapaz e o fez entrar por baixo de Marcelle e com a minha ajuda, segurei o pau do rapaz e o introduzi na vagina de Marcelle que urrou de prazer (estavamos preparando outra puta para nos acompanhar nas nossas putarias). Agora ela fazia sua ‘Dupla Penetração’ de estréia, já que ela confessou depois que nunca tinha feito. Eu me levantei e disse Agora eu também quero… para o delírio dos rapazes. Coloquei um deles no sofá, segurei seu caralho com minhas mãos, mirei bem no meio do meu cuzinho e sentei sobre ele, enterrando-o dentro de mim. Urrei de prazer e cavalguei um pouco sobre aquele caralho, quando um dos rapazes veio pela minha frente, me deitou sobre o corpo do rapaz por baixo de mim, abriu minhas pernas e enterrou seu caralho na minha bucetinha. Ele fodia com força que me fez gozar dado momento. Eles iam se revezando na nossa ‘ maratona de sexo’ Olhei para o lado e vi que Marcelle, estava ainda na sua DP, agora com rapazes diferentes. Marcelle chupava os testículos dos rapazes, enquanto era penetrada por trás por um deles. A noite terminou com todos os rapazes ejaculando porra no corpo de Marcelle que estava em êxtase com aquele liquido branco escorrendo pelo corpo. Eu e Paula fomos limpar seu corpo com nossas linguas saboreando o gozo dos machos. Depois fomos tomar um banho e passar um creme nos nossos buracos para não ficarmos assadas, e deitamos com ela entre nós duas. . Acordamos tarde, com os rapazes nos chupando, corremos e caimos na piscina, onde fomos chupadas e recebemos novamente seus caralhos nos nossos buracos. Marcelle ficou sem poder sentar direito até o dia do casamento, mas, mandou presentes para mim e Paula, confessando que foi maravilhosa a experiência e que gostaria de repetir outras vezes.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,75 de 4 votos)
Loading...