Gordinha Safada e casada 2

Autor

Olá safadinhos e safadinhas,
No primeiro conto que enviei, eu disse que hoje eu e meu marido temos um relacionamento liberal. Mas nem sempre foi assim, no começo éramos um casal de relacionamento normal, tentando ser fiéis, o que eu achava impossível pois sempre fui safada e com pouco tempo de casada já havia traído ele e depois descobri que ele também me traia.
Já estávamos casados há uns 12 anos quando descobri que meu marido tinha trepado com uma colega de serviço dele. Fiquei puta da vida, brigamos feio e quase nos separamos. Mas depois pensei bem e percebi que estava sendo hipócrita, pois também já tinha traído ele, e foi então que tive uma ideia: eu já queria ter um relacionamento liberal há tempos, mas meu marido parecia ser tão certinho que eu tinha medo de tocar no assunto, e agora eu tinha a chance.
Aceitei conversar com ele:
– Ricardo, porque você me traiu?
– Amor me perdoa, a Laura começou a me dar mole e eu acabei não resistindo.
– Você acha ela mais gostosa do que eu?
– Amor, ela é gostosa, não posso negar, mas não é mais do que você e além disso é você que eu amo e com ela foi só sexo.
– E se você descobrisse que eu te traí, o que você me diria?
– Nossa, nem sei. Acho que ficaria louco de saber que outro homem te possuiu.
– Mas você acha que outros homens sentem desejo por mim, mesmo sendo gordinha?
– Claro amor, você é gordinha, mas é uma gordinha muito gostosa. Eu sei que os homens te olham com desejo.
– Mas a Laura, que você comeu, tem um puta corpão. Se você sentiu tesão por ela é porque tá enjoado da gordinha aqui.
– De jeito nenhum amor, eu só senti tesão por ela, só isso.
– Você sempre tem tesão em outras mulheres, Ricardo?
– Não vou mentir pra você, tenho sim.
– E se eu te disser que também sinto tesão por outros homens?
– Acho normal amor, fico meio enciumado mas acho normal. Mas chega disso amor, por favor me perdoa, eu não faço mais isso, te juro.
– Como vou viver com você sabendo que comeu outra? Como posso aceitar isso?
– Esquece amor, não significou nada pra mim, foi só sexo.
– Só tem um jeito de te perdoar, mas não sei se você está disposto a pagar o preço.
– Eu pago amor, diga o que quer pra me perdoar e esquecer isso.
– Quero trepar com outro homem pra descontar o que você fez. Assim, fica tudo empatado, se eu vou ter que conviver com você sabendo que comeu outra, você vai ter que conviver comigo sabendo que dei pra outro.
– Nem pensar, isso eu não aceito.
– Então amanhã cedo você vai arrumar suas malas e vai embora de casa.
Eu estava decidida, e se ele não topasse minha proposta eu ia me separar de verdade.
Fomos deitar e no meio da madrugada eu o ataquei e começamos a meter gostoso, e no meio da trepada, quando eu estava em cima dele cavalgando seu pau, eu disse:
– Vai aceitar minha proposta?
– Ai amor, acho que não aguento saber que você trepou com outro.
– Vai dizer que você não tem curiosidade de ver sua gordinha fodendo com outro.
– Já pensei nisso algumas vezes, mas não tenho coragem.
– Ou aceita ou saio de cima do seu pau agora e nunca mais vai comer minha bucetinha.
– Ai amor, não sei.
– Aceitaaaaaaaa
– ssssssssssssssssssssssss você quer mesmo dar pra outro?
– Quero, mas não quero fazer escondida, quero sua permissão e eu juro que vai ser só sexo, sem envolvimento amoroso.
– ssssssssssssss tá bom amor, mas vai ser uma vez só.
– Combinado, agora me fode seu puto.
E assim metemos a noite toda, o assunto nos deu um tesão indescritível, e olha que nem havia acontecido ainda. Eu disse a ele que quando escolhesse o cara, o avisaria.
Duas semanas se passaram e ninguém havia me interessado ainda, mas o destino conspirou a meu favor e meu marido chegou em casa dizendo que seu primo do sul viria passar o fim de semana conosco, e eu inocente aceitei. O primo que viria nos visitar era Marcos, e quando o vi pela última vez era um moleque bem magrinho e novinho e agora já estava com 19 anos.
Quando Marcos chegou eu nem acreditei, um rapaz alto, porte atlético, cabelos pretos e lisos, pele bem branca, olhos azuis e dono de um sorriso espetacular. Fiquei excitada na hora que o vi e pensei: é esse. Quando fomos dormir eu falei pro meu marido que o escolhido era o seu primo:
– A não amor, ele não. O que vai ficar pensando de nós depois?
– Eu quero ele e você me prometeu que eu ia poder escolher.
– Ah meu deus, será que eu aguento o ciúmes?
– Aguenta sim amor, vai ser só sexo.
Eram dias muito quentes e combinei com meu marido que no dia seguinte eu iria provocar Marcos ao extremo, e assim foi. Coloquei roupas bem curtas e sensuais para provocar o rapaz, e pelo que eu percebi estava dando certo, e assim foi o dia todo. Eu e Ricardo fomos nos deitar, mas Marcos ficou assistindo televisão na sala e eu disse:
– É agora amor, vou voltar na sala e vou foder com seu primo.
– Tem certeza amor?
– Tenho, quero o pau dele na minha buceta.
– Não fala assim amor, parece até que você tá gostando. Eu achei que era apenas uma vingança.
– Tô gostando sim, seu primo me deixa com muito tesão e eu vou trepar gostoso com ele, você vai ser corno hoje.
– Sua putinha safada, quer foder com ele né?
– Quero sim e se você quiser pode espiar.
Disse isso, dei um beijo gostoso no meu marido e chupei um pouco seu pau que estava duro e fui…………
Se quiserem saber o resto, deixem seus comentários abaixo, só vou postar se tiver muitos pedidos, seus safados pervertidos!!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,76 de 17 votos)
Loading...