Gordinha Casada e Safada 5

Há 5 meses Por 8 ★ 4.00

Agora que eu tinha um relacionamento aberto com meu marido, eu me sentia mais à vontade para aprontar, e naquele dia eu estava totalmente tarada. Já acordei procurando a rola do meu marido e caí de boca, pagando um boquete maravilhoso e depois fodendo gostoso com ele, mas ele precisou ir trabalhar e eu fiquei na vontade, ainda com muito tesão.
Pensei em dar pro porteiro do prédio, pro zelador, enfim pra qualquer um mas eu e Ricardo havíamos combinado de não transar com pessoas muito próximas pra evitar aborrecimentos. Resolvi então me arrumar e ir ao shopping onde escolheria algum desconhecido, de preferência um rapaz novinho, pra dar uma rapidinha no banheiro.
Tomei um banho, vesti uma calça legging, uma blusinha de alça decotada, me perfumei toda e fui. Por ser de manhã, o shopping não estava muito cheio mas tinha uma molecada passeando por lá e vários rapazes bonitos. Eu não sou nenhum modelo de beleza, nem tenho corpão sarado, sou gordinha mas mesmo assim chamo a atenção dos homens, não sei dizer o motivo dos homens terem essa tara por gordinhas, mas o fato é que todo homem tem vontade de comer uma gordinha.
Comprei um sorvete e me sentei tranquilamente na praça de alimentação pra ver se aparecia alguém interessante, e logo notei um rapazinho, cerca de 20 anos, me olhando. Era magro, alto, branquinho e bonitinho até, e passei a olhar ele também e com um leve sorriso no rosto fiz sinal com a cabeça chamando-o para se sentar ao meu lado. Ele veio, me deu um beijo no rosto e se sentou:
Oi, tudo bem? Meu nome é César e o seu?
Prazer César, sou a Marcela.
Prazer é meu Marcela.
Qual sua idade César?
22 e você?
32…é casada?
Sim.
Que pena, achei você muito linda.
Só linda? Achou gostosa também?
Ele se assustou com a pergunta, acho que não esperava eu ser tão atirada, e respondeu meio sem graça:
Também, só não esperava uma pergunta tão direta.
Não sou de fazer rodeio, quando quero algo eu vou direto ao ponto. E no momento eu quero colocar chifre no meu marido, por isso vim ao shopping. Então vou ser clara, ou senta aqui e me beija pra começar ou sai por favor.
Ele assustou de novo, mas veio do meu lado e beijou minha boca, e assim ficamos por uns 10 minutos.
Vamos ao cinema? Ele perguntou.
O que eu quero fazer, não dá pra fazer no cinema meu anjo.
Quem disse que não? Posso ser novinho mas tenho alguma experiência.
Fomos ao cinema e compramos propositalmente ingressos para o pior filme em cartaz, assim a sala estaria vazia. E foi dito e feito, sala bem vazia e sentamos bem lá em cima, isolados. O filme começou e passamos a nos beijar feito loucos, e ao colocar a mão em seu pau, por cima da calça, percebi que estava duro e ele já acariciava minha bucetinha por cima da calça. Abri o zíper da calça dele e passei a punhetar seu pau que devia ter uns 15 cm e não muito grosso, era fraquinho de rola o menino, mas meu tesão era tanto que nem liguei pro tamanho.
Não resisti e passei a mamar aquela rola ali mesmo, quando de repente chega um funcionário do cinema e começa a nos dar bronca e nos conduz à saída do cinema.
Meu anjo vamos pro banheiro…sentamos ali naquele banco que fica em frente ao banheiro, você entra e fica me esperando lá dentro…quando eu achar que não tem ninguém olhando, eu entro.
Tá louca, e se alguém pega a gente? Vai dar rolo. Vamos pra outro lugar.
Ou é no banheiro ou esquece lindinho.
Ai meu Deus, tá bom.
Ele entrou, e não demorou muito pra dar uma brecha no movimento e eu entrar. Confesso que estava apreensiva, mas queria muito aquela rapidinha. Quando entrei no banheiro, ele estava sozinho e fomos para dentro de uma das cabines. Era bem apertado, mas dava pra fazer de boa. Nos beijamos, eu sentei na privada e fiz um boquete pra ele, e quando seu pau ficou duro eu levantei, abaixei a calça e a calcinha e mandei ele comer meu cú ali de pé mesmo.
Ele já estava com o pau lubrificado da minha saliva e começou a empurrar, entrando fácil já que o pau era fino. Ele me comia, apertava meus peitos e beijava minha nuca, dando estocadas leves pra não fazer muito barulho, e tomávamos cuidado quando alguém entrava. Aguentei de boa o pau dele, afinal já tinha levado cada tora no cú que fez com que o pau dele fosse fichinha pra mim, mas a situação era tão perigosa que me matava de tesão.
Acho que aquela foda durou uns 10 minutos, até que o menino gozou e encheu meu cú de porra. Ele tirou o pau, eu limpei meu cuzinho com papel higiênico e demos um jeito de sair dali, lá fora eu dei um beijo gostoso no meu menino pra me despedir e fui embora.
Cheguei em casa quase na hora de Ricardo chegar. Quando ele chegou, só de olhar na minha cara já percebeu que eu tinha aprontado:
Tá com cara de quem aprontou, que foi, meteu com alguém?
Sim meu corninho, quer saber todos os detalhes?
Quero, sua puta.
Contei tudo, ele tirou minha calça e cheirou meu cú pra ver se estava com cheiro de porra mesmo, e ao constatar que era verdade, arrombou meu cú com seu pau e deixou minha bunda vermelha de tanto tapa.
Quer ver minha bundinha branca também? Quer foder a gordinha sadada aqui?
Deixa seu E-mail…quem sabe entro em contato.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 9 votos)
Loading...

Por

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Juliano

    Adoro safadas assim
    Seria um sonho de consumo
    [email protected]

  2. Fer

    Dá hora [email protected]

  3. Fernando

    Kramba que gordinha gostosa e safada demais , fiquei com muito tesão que kra de sorte seu marido manda seu watts [email protected]

  4. Márcio

    Também quero deixe o seu contato no email [email protected]

  5. Fodedor

    Olá gordelicia tô com muito tesão em vc..
    Deixei meu Zap no e-mail mais vc não retorna
    Louco pra chupar essa buceta e esse cuzinho seu …
    Tô batendo uma imaginando isso…
    Chama lá no Zap

  6. Andrez

    Ótimo conto [email protected]

  7. Jurandir

    Muito bom seu conto meu e-mail é [email protected] mandar umas fotos sua

  8. Correa

    Belo conto [email protected]