Gordinha Casada e Safada 3

Autor

Cheguei na sala onde Márcio estava assistindo televisão, eu estava usando uma camisola preta bem transparente, sem sutiã por baixo e com uma calcinha fio dental. Márcio estava sentado no sofá, de bermuda e sem camisa, mostrando seu corpo atlético.
Sentei ao seu lado:
Sem sono Marcela?
Sim, estou com muito calor
Está um pouco quente mas não tanto assim pra você estar com tanto calor
O calor que eu estou sentindo é porque estou muito excitada, com muito tesão
Kkkkk e cadê o Ricardo pra apagar esse fogo?
Dormiu. Mas na verdade meu tesão não é por ele.
Como assim? Por quem então?
Não percebeu ainda que estou louca por você?
Oxi Marcela, como assim? E meu primo?
Eu amo seu primo, mas pular a cerca de vez em quando é bom. E chega de conversa, quer ou não quer?
Você é uma delícia, mas…
Mas nada.
Sentei do lado dele no sofá e comecei a beijar sua boca, sendo correspondida na mesma hora. Fiz ele deitar e comecei a alisar seu pau por cima da bermuda, que já estava duro como pedra, depois comecei a descer, beijando e lambendo seu peito e abdômen até chegar perto do pau duro. Puxei sua bermuda e cueca, e aquele pau delicioso saltou na minha cara, um pau não muito comprido mas bem grosso. Mamei aquela rola dura por uns 10 minutos, de todas as maneiras possíveis, até fazer ele gozar na minha boca. Limpei tudo com a língua e voltei a beijar aquela boca deliciosa enquanto punhetava seu pau para que ficasse duro novamente, o que não demorou pra acontecer.
Ele me deitou no sofá, tirou minha calcinha e minha camisola, me deixando peladinha. Pegou meus pés, beijou e foi subindo, passando a língua nas minhas coxas e fazendo eu me contorcer toda, que delícia. Quando chegou na minha bucetinha, a mesma já estava encharcada e ele passou a chupá-la com muita maestria, parecia um louco, me fodendo com a língua. Eu olhei pro corredor e consegui perceber que meu marido estava espiando, então só pra provocar passei a gemer alto:
sssssssss que delícia seu safado, chupa minha buceta, chupa.
Geme mais baixo, o Ricardo vai escutar.
Vai escutar porra nenhuma e se escutar que se foda, ele é corno mesmo.
Então ele passou a enfiar o dedo na minha buceta e chupar meus peitos, e eu fico totalmente louca quando levo dedada. Quanto mais ele me dedava e acertava o ponto G mais eu gemia e me contorcia, até que eu gozei, gozei muito na mão dele, fiquei mole e achei que nem conseguiria mais.
Começamos a nos beijar e logo o fogo reacendeu. Eu disse:
Vou abrir as pernas pra você agora, me come seu puto.
Ele obedeceu, ficou de joelhos e veio com aquele pau duro e grosso, e foi botando devagar. Que dor da porra, o pau dele era muito grosso e estava me arrombando, mas eu não desisti e logo ele começou o vai e vem, deitado sobre mim e beijando minha boca. Ficamos assim um tempo, depois pedi pra cavalgar ele, sentando de costas pra ele:
Ai que pau gostoso, tá gostando de me comer?
Muito, você é uma gordinha muito gostosa e safada.
Hoje eu sou sua meu lindo, só sua. Come tua putinha gorda, come.
Percebi que ele tava quase gozando, então pedi pra ficar de quatro, a posição que mais amo. Ao ficar de quatro, fiquei numa posição em que conseguia ver meu marido escondido:
Agora você vai me comer bem forte e rápido, e só vai parar quando encher minha buceta com sua porra quentinha.
Você é louca.
Cala a boca e me obedece, e enquanto estiver me fodendo com força, bata na minha bunda e me xingue. Entendeu?
Tá bom sua vagabunda
Sou mesmo, sou vagabunda e meu marido é um corno. Eu tava louca pra dar pra você e cornear ele.
Então ele passou a me foder com muita força e velocidade, dando tapas na minha bunda:
Vai sua puta rebola no meu pau
Me fode gostoso, sou tua puta hoje
Seu marido é um corno
É mesmo, um corno manso e hoje você tá arrombando a mulher dele. Me fodeeee ssssss
Não demorou muito e eu senti aquele jato de porra quente inundando minha buceta. Nossa, que delícia, que trepada maravilhosa. Ele tirou o pau da minha buceta e ficamos nos beijando bem devagar, com muito carinho e pra minha surpresa o pau dele levantou de novo, e mais uma vez ele me comeu, só que dessa vez não foi uma trepada, fizemos amor.
Depois que terminamos ficamos namorando, e qual não foi minha surpresa quando Ricardo entrou na sala, nos olhou e disse:
Que porra é essa, sua vagabunda!
Essa história ainda tem mais uma parte, logo eu conto…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,60 de 5 votos)
Loading...