Eu e minha cunhada sem poder voltar pra casa devido a tempestade

Autor

Ola galera, vou contar como aconteceu a oportunidade de pegar minha cunhada Iva, bom desde que me casei Iva vivia na nossa cola, dormia la em casa, ficava la direto, sempre queria sair comigo e minha mulher, e assim acabou se tornando como se fosse uma filha, na época ela estava com 12 anos, mas o tempo foi passando ela crescendo e da menina feia que era foi se tornando bonita, ela é deficiente visual, e por devido a ignorância dos pais dela, ela era dependente dos outros em tudo, minha sogra tinha que dar banho nela, comida na boca, ela chorava por tudo, era muito mimada, mas ninguém a ensinava a fazer nada, mas em minha casa não tinha essa de comida na boca, ela tinha que comer por si própria, ensinávamos ela a fazer as coisas e ela gostava, e a medida que crescia ia aprendendo a fazer tudo, eu a ensinei a mexer em computador, coisa que ela gostou muito, aos 15 anos ela já era muito diferente devido os ensinamaneotos que eu e minha mulher dava a ela, ela foi aprendendo a sentar, a se arrumar, certa vez ela com 15 anos entrou no banheiro pra fazer xixi, minha mulher estava tomando banho, ela entrou e visto que a porta era sanfonada ela deixou uma fresta de uns 10 cm, eu estava passando e vi ela secando a buceta com o papel, fiquei olhando e vi a buceta dela peluda, inchada, e daquele dia em diante eu passei a observa-la ela estava ficando muito gostosa, eu via a calcinha dela direto, muitas vezes depois que ela tomava banho eu ia no banheiro pegava cheirava batia aquela punheta, mas ela percebeu certa vez que eu a espiava, e devido isso começou e ficar mais esperta, eu conhecia uma rapaz que também é deficiente visual, super gente boa, e apresentei a ela, varias pessoas da igreja dos meus sogros a jogava pra cima de caras evangélicos, arranjaram ate um deficiente de la e ficavam fazendo com que ela se interessasse por ele, mas ela dizia que nunca iria se casar, mas por fim minha esposa descobriu que ela nutria sentimentos pelo rapaz amigo meu que eu apresentei a ela, e eu comecei a ajuda-los, marcava de buscar ele pra conversarmos e depois deixava eles ficarem a sos, e os 2 começaram a se entenderem, os pais dele era contra pois achavam que ele não teria capacidade, mas os 2 enfrentaram tudo e todos e ficaram juntos, se casaram, e eu continuei sentindo desejo por Iva, certa vez ela já casada estava la em casa pois minha mulher pintou o cabelo dela, e ela estava tomando banho, eu abri a porta e fiquei vendo ela, mas ela percebeu perguntou quem era, eu não falei nada, mas ela sabia que só poderia ser eu, certa vez eu cheguei do trabalho ela estava la em casa já tinha pintado o cabelo e já tinha tomado banho, eu roubei a calcinha dela que estava dentro da bolsa dela, dali em diante eu notei que ela evitava muito ir la em casa, semrpe chamava minha mulher pra ir a sua casa, minha mulher não percebia nada, ou sei la, mas ficava difícil eu vê-la pelada novamente, mas ela começou a fazer curso e já com uma certa independência ela já pegava trem sozinha, ônibus, saia da cidade e passava por tres minicipios pra fazer o curso, eram cerca de meia hora de ônibus, e 1 hora de trem mas um outro ônibus pra chegar no curso e ela ia sozinha, mas teve um dia que começou a cair uma chuva muito forte, eu estava na mesma cidade que ela faz curso eu estava de carro, e a encontrei na entrada da estação de trem em São Paulo. que no caso estava fechada devido alagamento na via férrea, já estava escurecendo devido a chuva ela com medo desesperada, eu cheguei e ela imediatamente me pediu pra ajuda-la, eu a levei pro meu carro, e falei, Iva a chuva esta pergigosa não da pra voltar agora, temos que ficar em algum lugar seguro, e fomos pra um shopping onde havia estacionamento coberto, e la ficamso esperando a chuva passar ou as aguas baixarem, mas não parecia que iria melhorar eu recarreguei o celular dela em meu carro, e ela ligou pro marido que já estava em casa dizendo que estava num shopping e que não tinha como voltar, e achava que teria que ficar num hotel, no caso ela já até tinha ligado pra uma amiga dela que deu o endereço e o numero de hotelzinho, já eram 21 horas e nada de melhorar o tempo nem os trovoes passarem nem as aguas baixarem, ela ligou pro marido não disse que estava comigo, e falou que iria pra um hotel, eu também liguei pra minha mulher e disse que não teria como voltar e iria ver algum lugar pra ficar, Iva me sugeriu irmos pra um hotel pois seria muito perigoso voltarmos aquela hora meso de carro, pois o transito e a chuva que não passava, ai fomos pra um hotelzinho que conheço no centro da cidade, eu comprei no shopping um conju de moleton praeu tomar um banho e me trocar, toalha, e pra Iva também, chegando no hotel, eu tomei banho depois ela, tentei espiar mais não dava, ela tomou banho mas no quarto que era o único vago, só tinha uma cama e uma poltrona, ficamos assistindo vendo nas reportagens a situação oda cidade e todas as estações paradas, muita gente, o transito travado, ela falou. Carlaio esta estranho nós aki, sabe nem dei detalhes pro Michel (no caso o marido dela) pois sei la como ela receberia a noticia de que estou com vc aki, mas fico feliz por ter te encontrado. Eu falei. É de fato é estranho mesmo, mas estamos seguros aki, dorme na cama eu fico aki na poltrona. Ela falou. Ta mas tenho medo dessa chuva, não consigo dormir assim. Eu falei. É ainda mais a situação não nos deixa a vontade né? Ela falou. Sim acho que nunca pensei em acontecer isso. mas é o que temos pra hoje. Eu já com vontade de perguntar algo mais profundo mas sem saber o que ou dizer algo mais atrevido, ficava falando coisas sem muito sentido, mas ela logo falou. Eu lembro de quando vc e minha irma se casaram eu ficava la direto com vcs. andava com vcs, agora é só eu o meu marido, tudo mudou. Eu falei. Vcs pararam também de ir la em casa, se afastaram. Ela. É a correria. Eu falei. Parece que ficaram chateados comigo pelo menos, pois quando eu não estou vcs vão la direto, Ela. Ah é que precisava ser assim, Eu. Assim como? Ela. Ah as coisas estavam ficando estreitas, e meu marido e eu conversamos e achamos melhor nos afastar um pouco, Eu falei. Mas fiz algo que ofendeu vcs? Ela. Vc fez? Eu percebi que a pergunta dela era muito sugestiva, e falei pra ela dizer o que eu fiz pra ofender. ela ficou meio sem jeito, mas eu insisti, e ela falou. Bom vc sabe o que fez. basta analizar bem e vc vai ver que talvez tenha cometido alguns erros. Eu perguntei. Então vcs passaram a me odiar por causa disso? Ela. Odiar não, só resolvemos nos afastar um pouco, vc sempre foi legal, sempre nos ajudou e nos ajuda muito. Eu. Então no que eu errei de tao grave assim? Ela. Ah vc sabe. acho que só minha irma não sabe, mas vc sabe sim. Eu insisti pra ela falar. mas ela ficava fazendo rodeios, eu sempre instistindo e ela falou. Bom já faz algum tempo que percebi vc me olhando no banho, já percebi suas safadezas, enfim é isso. Mas nunca te odiei, pelo contrario contiamos eu e meu marido gostando muito de vc. mas vc sabe que cometeu esse erro, sei la pq. Eu falei. Bom mas sempre te ensinei a faze as coisas, ajudei no casamento de vcs, fiz de tudo pra vcs ficarem juntos. então não sou o mal caráter que pareço ser. Ela. Não é claro que não. nem eu tenho como provar nada, mas o importante é que vc sabe. e nós te agradecemos muito. Eu. E o Michel como ele encara isso? Ela. Ele só fala que devemos ficar mais distantes, assim nos damos melhor, mas fala a verdade vc me olhava pq? e certa vez sumiu uma calcinha da minha bolsa que eu coloquei enrolada numa camisa minha depois que minha irma pintou meu cabelo. vc pegou né? Eu. Bom pra quer saber isso agora? Ela. Então pegou mesmo. ainda tem ela? Eu já sem ter como negar falei. Sim tenho. Ela. Pq vc faz isso. já não tem minha irmã, pode fazer com ela o que quiser. não precisa ficar fazendo isso. Eu. Sim sei disso, mas sinto um desejo incontrolável, ela me satisfaz, mas eu preciso de mais, sabe nunca trai ela com ninguém, no sentido do ato mesmo. só com vc. é que te desejo já a algum tempo. tentei evitar muito, mas acho que agora é que venho conseguindo. Ela. Eu percebi desde que era solteira, mas semrep confiei em vc, e acho que jamais faria algo assim que pudesse me violar. Eu. Não jamais. Ela. A não ser que eu permita né? Eu. Bom posso ate dizer que mesmo assim eu não faria nada, mas estaria mentindo, não adiante tentar te enganar e nem me enganar. é obvio que se tivesso chance eu cairia em cima, Ela. Então mentiu de novo, pois disse que agora esta conseguindo me esquecer, mas me diz que se tiver a chance, então e ´so estalar os dedos e vc fica a disposição. Eu. Bom vc já falou tudo. mas é egoísmo da minha parte. eu pensei já que fiz tanto merecia ao menos tirar umas casquinhas. mas sabendo que é errado. Ela. Sim erradíssimo, mas e se acontecer digamos, se caso acontecer imagina como seria depois, ficaria como se nada acontecesse ou ficaria as cobranças por mais vezes, e se alguém descobrisse. imagina a tragédia. Eu. É de fato seria mesmo, mas ninguém precisaria ficar sabendo. Ela. Vc esta me propondo eu me entregar é isso? Eu. Bom ninguém precisa saber é que talvez nunca surja outra oportunidade. Ela. Não vai ter mesmo outra não. mas promete manter segredo e não me cobrar nem me procurar mais, nem ficar tentando me ver novamente? Eu já eufórico. Prometo sim jamais, vai seria só hj. Ela. Ta mais só hj mesmo. agora vem aki. Eu me aproximei ela me beijou, nos abraçamos forte. ela falou que beijo muito bem, eu já fui com a mão na bunda dela, ela tirou a calça de moleton. a blusa ficando só de calcinha e sutiã, depois me pediu ajuda pra abrir o sutiã, eu já tirei a calcinha dela, e vi aquela buceta peluda, passei a mão cheirei, ela pegou no meu pau. e disse que era bem maior do que o do marido dela, ai já fui por cima e meti gostoso, bombando bem de leve, no ritimo dela, ela respirando fundo, aumentamos a velocidade e gozamos, ela gemeu muito, depois de oernas bambas ela foi ao banheiro, mijou, eu também, tomamos um lanche, e deitamos na cama, começamos a nos beijar, ela falou. Vc faz minha irmã chupar seu pau? Eu falei. Bom já tentei muito, ela já chegou a colocar na boca, mas fica com nojo, e não consegue, mas com camisinha de ela chupa gostoso, mas eu queria mesmo sem. já gozei muito assim é muito bom. Ela falou. A eu não tento nem nunca tentarei no do Michel, fede muito. Eu falei. Bom ele tem que lavar direto, usar sabonete intimo eu uso sempre, ela falou. É seu pau não fede. e o sabonte que usou é bem cheirozinho. Eu pedi a ela pra tentar. ela tentou negar, mas eu insisti e ela falou ta bom pelo menos tentar, se eu não conseguir vc esqueça. Eu fiquei de pé, ela sentada na cama. ai ela pega no meu pau. cheira, assopra, puxa a pele, passa o dedo cheira e fala é não tem cheiro ruim não. ai ela da uma lambida que quase me leva ao delírio, la outra linguada, depois da uns beijinhos, mais linguadas, e começa a colocar a cabeça na boca, e passar a pontinha da lingue, eu já quase gozando me segurando ela fica ali e eu consigo segurar o gozo, ai ela vai com a boca mais a frente, eu delirando e ela coloca a cabeça do meu pau na boca, e fica passando a língua, eu seguro na cabeça dela devagar vou forçando ela a colocar mais a boca, e ela vai colocando mais meu pau dentro da boca, eu começo a bombar ela a passar mais a língua e derrepente eu gozo muito. enchendo a boca dela de porra. ela continua com meu pau na boca, eu vou afastando a cabeça dela ao poucos ela deixando meu pau todo molhado, ai quando a cabeça sai da boca dela ela da uma linguada. e engoli toda minha porra. eu imediatamente vou a beijo e chamando de gostosa, dizendo que sempre a desejei, depois que nos recompomos começamos de novo a transar bem gostoso, e depois de gozarmos dormimos agarradinhos, ela com a bunda bem colada no meu pau. ai de madrugada, ainda na mesma posição eu acordo com a bunda dela em meu pau. ela também acorda, e eu direciono meu pau. ela fala assim não da. eu falo da sim quer ver e meto a rola na buceta, mas pegado ela por traz. ela fala. Assim é delicia, vai coloca mais. eu vou empurrando e bombando ela gemendo, derrepente gozamos muito. eu chupo os seios dela, e voltamos a dormir, o sol batendo na janela nos acorda, e o toque do celular. ela fala com o marido que vai dormir mais um pouco e depois vai pra casa, eu ligo pra minha mulher e explico, e eu e Iva tomamos café. e ela me chupu me fazendo gozar muito tomando toda minha porra, depois transamos bem gostoso em outra posição no caso ela sentada no meu pau de frente pra mim, que delicia, e la pelas 10 horas saímos do hotel. e ela me fez prometer que náo a procuraria mais que esquecesse aquilo tudo, eu prometi, ai se passaram 3 meses eu nem tocava no assunto, mas é claro tudo em minha cabeça continuava a meama coisa o desejo mais vivo do que nunca, e ela me procurou, inventamos desculpas e fomos a uma ap que eu estava pra vender, la transamos feito doidos, ela me chupou com tanta força que deixou até meu pau sensível, metemos 3 vezes numa tarde, depois ela me fez prometer que jamais eu tocaria no assunto, e se ela quiser ela me procura, e ficamos assim, e já faz 5 meses que não falamos mais no assunto, estou doido de vontade, esperando ela me ligar, ontem emso ela ligou la em casa eu ouvi a vóz dela e já falei. que ia onde ela quisesse. ela só falou. vc prometeu, quando eu quiser eu te procuro. náo fale mais nada sobre isso. e aki estou eu, no aguardo. é isso. o pior é que da ultima vez ela me deixou a calcinha dela, e quer a calcinha limpa foi o que ela disse na nossa ultima foda. espero que gostem, se tiver mais eu volto a contar.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,80 de 15 votos)
Loading...