Divorciada Trepando Com o Chefe

Eu me chamo Dani e sou casada há sete anos. Durante esse tempo atravessamos diversas crises, mas uma delas acabou por deteriora de vez o nosso relacionamento e resolvemos nos separamos de vez. Foi aí que comecei a ser uma vadia.
Nessa época eu era secretária de uma empresa em que trabalhavam muitas pessoas e, dentre elas, muitos homens. E eu adorava ser cobiçada por alguns deles, pois eu era a mulher mais novinha e até então eu era, tipo um “produto fora da prateleira” devido ao fato de eu ser casada e eu mesma, não dava confiança para nenhum homem.
Logo em seguida à ocorrência de minha separação, alguns ficaram sabendo do ocorrido e resolveram colocar as manguinhas de fora. Foi aí que um dos meus chefes resolveu, vamos dizer, “investir” e começou a me tratar de uma maneira menos formal.
Ele era um negão de mais ou menos uns 1m90 de altura, sarado, com a boca carnuda e a voz grossa, o que por sinal eu acho extremamente sexy e o que me fez fantasiar muito, ouvindo aquela voz de macho. Ele era bem mais velho que meu ex-marido e até mesmo que eu. Ele já tinha 39 e eu, ainda com meus 22 aninhos.
Aquele clima de paquera durou uma semana até que o pessoal da firma marcou uma saída e eu resolvi ir com eles.
Fomos para um barzinho na Lapa e no final da noite ficamos somente eu e ele, pois todos foram indo embora, aos poucos me restando ele pra me dar uma carona até em casa.
Pagamos a conta, fomos para o carro, e todos sabem como é depois de uns Chopes…, acabamos nos soltando um pouco e nos beijamos, num beijo maravilhoso que depois de um tempo, foi se tornando safado, eu até dava umas mordidinhas nos lábios dele, que passava a língua em volta da minha boca enquanto olhava para ele bem de pertinho…
Isso o deixou louco, e ele começou a puxar o meu cabelo para beijar o meu pescoço e nessas alturas eu já estava enlouquecida de tesão. Quando eu vi, eu já tinha aberto a blusa dele e estava morrendo de curiosidade para saber como aquilo tudo, tinha deixado aquela pica.
Quando eu desci a mão até à calça dele e senti aquela piroca muitooo dura na minha mão… Eu acabei revelando a vadia de primeira que eu sou e não aguentei, abri o zíper e puxei aquele cacetão para fora. Quando eu fiz isso, ele ficou muito maluco e começou a me tratar realmente como uma puta (que dá para o macho na primeira vez que saí com ele).
Ele falava:
“-Você gostou do que está vendo safada?”
E eu, que nessas alturas já estava possuída de tanto tesão, só consegui fazer uma cara de safada e responder
“- Você nem imagina o quanto, mas só tem um jeito de te provar!”.
Nisso eu fui descendo e caí de boca naquela piroca negra e cabeçuda, já toda meladinha… Que delícia que foi, só sei, que eu babava de tanta água na boca que me deu…. Pois eu sempre amei mamar numa piroca e aquela encheu a minha boca, literalmente, de tão grossa e grande. Sem sacanagem, ele devia ter uns 22 cm de rola…
E o melhor de tudo, é que eu estava fazendo isso no meio da rua, dentro do carro estacionado no meio da Lapa em um sábado… Eu estava com tanto tesão, que eu nem quis saber se tinha alguém vendo ou não.
Depois de eu ter mamado com vontade aquele pau, o puto gozou em menos de 5 minutos de tanto tesão que resolvemos ir para um motel, continuarmos o que começamos no carro.
Quando estacionamos o carro dentro da garagem do quarto, a putaria já tinha recomeçado e nessa altura eu já estava montada no colo dele, roçando a minha boceta naquele pau duro. Nesse dia eu estava com um vestidinho preto e uma calcinha bem safadinha, pois eu sempre usei calcinhas pequenininhas e, quando o puto levantou o vestido para ver o meu rabo, ele ficou mais louco ainda quando viu como eu estava gostosa com aquela calcinha preta enfiadinha no rabinho e tirou ela bem rapidinho me jogando na cama logo em seguida.
Depois de eu ter mamado novamente aquela pica, deixando ela bem babada aquele filho da puta veio meter o pau na minha boceta que também, estava melada cheia de vontade de ser fodida… Ele me colocou de quatro e meteu com vontade, era só estocadão… Eu gritava muito de tesão:
“-Isso seu filho da puta, me fode gostoso…, me fode como o meu marido nunca me fodeu!”
E ele ouvindo aquilo, agarrou o meu rabo e meteu com mais vontade:
“-Você, falando assim, eu não vou aguentar, adoro mulher safada assim como você!”
E eu lá rebolando naquela pica melando ela todinha com a minha bocetinha…, foi aí que o macho não aguentou e gozou gostoso gemendo pra caralho. Foi maravilhoso ouvir o meu macho gemendo daquele jeito, por causa da minha boceta.
Logo em seguida eu comecei a punhetar novamente aquele cacete, por que eu ainda não tinha gozado e ainda queria aquela pica dentro de mim de qualquer maneira.
Não demorei nada, e já estava montada nele, fodendo do jeito que eu gosto, olhando a cara do macho e fazendo cara de safada.
“- Isso minha putinha trepa nessa pica com vontade, faz o que teu chefe tá mandando, por que eu te pago pra isso, é pra me obedecer…”.
Ouvir aquilo me fez sentar com mais vontade ainda, me senti mais puta e acabei não resistindo muito tempo e gozamos praticamente juntos, quando eu falei que eu iria gozar, ele gozou também e foi maravilhoso… E Essa foi a minha primeira foda com o meu chefe casado.
Depois continuamos saindo e aconteceram outras fodas, todas muito safadas e gostosas

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,13 de 8 votos)
Loading...