D. Laura a mãe do meu amigo

Autor

Ola galera, é meu primeiro conto. espero que gostem, eu tenho 20 anos, moro com meus pais, moro em itanhaem litoral de São Paulo, trabalho na prefeitura, la eu conheci Pablo da minha idade, fizemos amizade, ele comprou um gol e me chamou pra ir a casa dele pra rebaixarmos seu carro, chegando la ele me apresentou sua mãe D. Laura. 45 anos, morena da pele clara, meio gorda, um bundão enorme, gradris bem largos, mas a barriga dela, embora grande, mas durinha, seios grandes mas firmes, coxas grassas, mas o que me chamou a atenção é que ela estava de calça legging, e dava pra realçava bem sua buceta inchada, e de rosto linda, ele me apresentou e ela me cumprimentou com beijo no rosto, que cheiro gostoso, eu fiquei aceso, mas me controlei, ai fomos trabalhar no carro, na hora do almoço ela chamou a gente pra almoçar, ai ela me fez algumas perguntas, e depois voltamos ao trabalho, os dias passaram e Pablo que não é concursado foi demitido devido o projeto que ele estava não ter dado certo, mas sempre nos falávamos, eu ia a casa dele ele ia na minha casa, mas ai ele arrunjou emprego em Santo André, e foi morar la com um primo dele, ai certa vez eu estava de bicicleta no centro da cidade quando vejo D. Laura. Ela veio e falou comigo. Oi Vini tudo bem? senti sua falta, depois que meu filho foi pra Santo André vc não apareceu mais. Eu falei. É verdade, mas eu continuo sempre com contato com Pablo. Ela falou. Mas comigo não né menino? Ela é muito simpática e descolada, é separada do marido, ai eu disse. Mas a senhora nem me passou o seu zap. Ela me deu o zap dela, e falou que quer que eu fale com ela, eu disse que falaria sim, mas ai fomos andando eu desmontei da bicicleta, e fui conversando com ela, ela me perguntou das namoradas, eu disse que tinah terminado a pouco tempo, ai ela disse que fazia tempo que não namorava, alias só namorou mesmo o pai de Pablo, mas já estavam separados a 15 anos, eu falei que não acreditava, pois ela era muito bonita, os homens com certeza deviam ficar na cola dela, mas ela falou que não mesmo, alguns até ficaram mas só atraz de diversão e ela queria coisa séria, eu falei que não seria difícil um homem se apaixonar por ela, mas ela disse. ah quem sabe se eu parasse de querer coisa séria aparecesse algum interessante. eu falei. com certeza aparecera. ai resolvemos tomar um sorvete numa praça e la ficamos ela falou. A se vc nõa fosse tão novinho, vc é lindo e do jeito que eu gosto. Eu falei. É sei, mas o fato de ser novinho seria um problema? Ela falou. Não que seria um problema, mas imagina vc amigo do meu filho. eu uma velha, não pegaria bem. Ai eu falei. A pra mim não teria problema, talvez Pablo não iria gostar, mas a senhora não é velha. é uma mulher linda. e merece ser feliz. Ela falou. Sei, mas as pessoas iriam me encarar como safadona, como papa anjo, e Pablo de fato não iria gostar, talvez ate brigasse com vc e comigo. Eu falei. Verdade. mas pra mim não teria problema, alias séria muito bom, Ela falou. A com certeza pra mim também, mas penso nisso. a não ser que ficássemos em segredo. Eu falei. É uma excelente ideia, mas se quiser eu assumo publicamente, Ai ela já me beijou o rosto segurou minha mãe e falou. Não, é melhor em segredo mesmo, Ai ela me deu um selinho e me chamou pra irmos a sua casa, e fomos conversando, chegando la entramos pelo fundo da casa, pra ninguém ver e ficar falando. la dentro ela falou. Agora sim, podemos namorar. Ela me beijou na boca, disse que foi muito bom depois de 15 anos dar um beijo, era incrível pra ela, ai nos abraçamos eu pensando no bucetão inchado dela sentamos no sofá, e ficamos la nos beijando eu já passando a mão nas pernas dela, nas laterais, ai ela pediu licença pra ir ao banheiro, e voltou nos beijamos e ela falou. Vini, vamos mais devagar, eu preciso me acostumar, entrar no clima, acho que não estou assim relaxada, vc não acha melhor voltar depois e conversamos? é que as coisas estão indo rápido demais, preciso pensar e te ligo ta bom? Eu falei. Sim claro, quando a senhora quiser conversamos. Ela falou. Ta bom, mas vamos começar agora. não me chame mais de senhora. Eu pedi desculpa, ela me beijou na boca, e eu fui pra casa, eu mandei variso zap, ela também, mas ai depois de 8 dias nos comunicando semrpe via zap, ai ela diz que estava com saudade e queria me ver, eu fui la em sua casa e conversamos bastante, eu prometi não falar nada pra ninguém, e voltamos a nos beijar, sentados no sofá, os beijos esquentando, ai ela me puxa pra cima dela, eu vou. ficamos nos beijando e nos esfregando, ela já eufórica abre minha bermuda, mas ela estava de calça, ai os esfrega continuava, e ela para e fala, Ah vamos pra cama, logo. E fomos pro seu quarto, la ela já entrou tirando a roupa, eu tirei a minha uma buceta de fato inchada peluda, ela nem deixou eu passar a mão já me puxou pra cima eu introduzi o pau na buceta dela, e começamos a bombar. os movimentos foram aumentando rapidamente, o tesão a excitação, e gozamos juntos, ficamos banhados de suor, ela levantou foi ao banheiro. ai voltamos de novo ficamos nos beijando, depois voltamos a meter de novo, e ficamos la até a noite, eu estava indo pra casa mas ela falou o que te impedi de dormir comigo? fica aki, liga pra sua mãe, e foi o que eu fiz, liguei pra minha mãe inventei uma desculpa e fiquei la com ela, transamos a noite toda, ela me chupava gostoso, eu também a chupei muito, e todos os dias eu passei a ir a casa dela, fazíamos direto, eu dormia la quase todos os dias, isso começou a conteceu em Outubro do ano passado, ficamos naquela bem até fevereiro desse ano, ai numa sexta feira eu fui la ao meio dia, ficamso transando a tarde toda, a noite saímos fomos num bar contar no Karaok, tomamos umas cervejas, andamos na praia, e voltamos já de madrugada, dormimos juntos, e as 10 horas da manha do sábado estávamos acordando mais ainda na cama, um calor escaldante, nós dois pelados, ai ela poé a bunda pra cima e vem em cima de mim engolindo meu pau, com força, passando muito a língua, quando só ouvimos Pablo gritando. Mãe que putaria é essa, levantamos. ele já veio me agredindo, eu nem tive tempo de me defender, ele empurrou a mãe dele, e saiu gritando e xingando a gente, os vizinhos saíram pra ver a confusão, ele falou que ia pegar algo pra me matar, e foi até no carro e volta com uma facão. mas os vizinhos os seguraram, eu gritou essa puta, dando o cú pra eese desgraçado, vc é uma puta, vagabunda, tentamos explicar mais ele não quis entender, ai como estava com o primo dele. o cara o colocou no carro e foram embora pra Santo André, Laura ficou arrasada, terminou comigo, vendeu a casa e se mudou pra Guarulhos na casa da mãe dela, e nosso caso terminou, meus pais que já queriam mesmo se mudarem daki venderam a casa e foram pro interior de São Paulo, eu continuo aki. pois trabalho na prefeitura, já comprei outra casa, em outro bairro bem afastado do que morava antes, é isso, espero que gostem,

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 4 votos)
Loading...