Comi o avô e o netinho

Há 5 meses 4 ★ 4.71

A cachoeira estava lotada naquela manhã de domingo ensolarado. Depois de estacionar o carro, subi a trilha até o enorme poção de águas fria e límpida, formado pela queda de água.
Havia dezenas de pessoas se refrescando, se divertindo com água na altura do peito.
Depois de um mergulho, me encostei numa pedra, e logo um senhor, ao lado, muito simpático, puxou conversa. Ele estava com um lindo garoto, lourinho de olhos azuis, muito branquinho, q tinha 10 anos.
Cinco minutos depois, já havia nos apresentado, Henrique era um cinquentão, q havia trazido o netinho pra se divertir.
Enquanto conversávamos, eu não deixava de admirar a beleza do menino, q sentado no colo do avô, parecia inquieto, me olhando curioso, mexia e abria as pernas.
Achei extranho um mulek daquele tamanho, cheio de dengo no colo do avô, tentei disfarçar, mas meu pau logo deu sinal de vida., Vi quando Henrique, notou o volume sob minha sunga, mas com discrição, continuou conversando normalmente, me enchendo de perguntas.
Logo ele deitou o neto de bruços sobre a pedra ao meu lado. Sua sunguinha branca, pequena pra sua bunda carnuda e empinada, deixava suas nádegas exposta, me provocando um enorme tesão, sob os olhos atentos do avô.
Logo Yuri, todo manhoso, com sua voz fina e jestos femininos disse pro avô:
“Vozinho, quero água de côco”
Sem tirar os olhos do meu pau, Henrique pediu pra eu ficar com o menino enquanto ele ia até o quiosque comprar o côco.
Depois se virou pro neto e recomendou q fosse obediente comigo.
Assim q se afastou, Yuri me chamou pra água. Ajudei ele descer da pedra,deslizando seu corpinho colado ao meu, rocei a pica dura em sua coxinha, já com a mão espalmada em sua bundinha. Ele então se pendurou no meu pescoço e pediu pra ensina-lo a boiar.
Com uma mão em suas costas e a outra na bunda, deitei o safadinho sobre a água, e logo meus dedos ágeis, já estavam sob a sunga, em seu reguinho. Yuri sorriu pra mim, abrindo as perninhas, gostando da putaria.
Logo meu dedo catucava seu cuzinho apertado ,fazendo o mulek, revirar os olhinhos .
Tu gosta né, safadinho!?”—perguntei,já com o dedo atoladinho
Ele abriu os olhos e com um sorriso bem sapeca, resmungou:
“Uhumm”
Logo o avô dele chegou, além do côco, trazia duas latas de cerveja.ficamos os três, na água bebendo e conversando. Yuri na minha frente, sem se importar com o avô, roçava a bundinha no meu pau duro.
“Ele adorou vc” Henrique falou, empurrando a bunda do neto contra minha pica.
“Tbm adorei ele’ respondi , ajeitando a pica no reguinho do guri.
“Ele é muito obediente, vai fazer tudo q vc pedir”—o velho safado disse, e sem nenhum pudor, patolou minha rola dura, concluindo.
“Mas o avô dele tbm vai querer , tá!?”
Com água até o peito, alisei a bunda do coroa, dizendo:
“Vou fuder os dois”
Só depois q a pica desceu é q podemos sair da água. Henrique q morava ali perto, conhecia bem o local, e me chamou pra subirmos em direção a mata fechada.
Depois de 10 minutos de caminhada, estávamos bem distante, então saímos da trilha, descendo pra uma gruta, entre enormes pedras . Ali sozinhos, fui logo abraçando Yuri, e beijando sua boquinha, ao mesmo tempo em que o avô se achava , descendo minha sunga e abocanhando meu pau.. não demorou, o garoto mamava minha pica, junto com o avô, enquanto eu empurrava o dedo dentro do seu cuzinho, quente, apertado e suado.
Logo, Henrique, se ergueu e virando a bunda branca, se apoiou na pedra e pediu:
“Vem… Quero ser o primeiro”
Yuri foi pra frente do avô, e abocanhou sua pica mole, ao mesmo tempo em q eu empurrava a pica melada, no cuzao largo do coroa viado.
Meu pau de 18×6cm, foi engolido até o talo, na segunda bombada. Enquanto eu fudia, Henrique rebolava a bunda.
Fudi por uns 10 minutos, até a o avô, gozou na boca do neto. Yuri, engoliu toda a gosma, depois se ergueu sorrindo, dizendo:
“Saí vo, agora é minha vez”
Henrique abriu as nádegas do neto e me mostrando seu cuzinho vermelho piscando, pediu:
“Vem …mete no cuzinho dele, bem devagar, ele adora!”
Me agachei e cai de língua na rosquinha piscante, enquanto Yuri beijava a boca do avô.meu pau latejava de tesão. Quando pincelou a pica na portinha do cu do neto, o avô abriu suas nádegas.
Meu pau deslizou queimando pra dentro daquele buraquinho apertado. Logo senti toda a cabeça alojada, agasalhada.
Yuri, deu uma gemidinha:
“Hummm…aaiii tio…q piru gostoso!”
Estava claro q eu não era o primeiro a fuder aquele cuzinho. Enquanto eu bombava a pica bem compassado , Yuri rebolava a bundinha, gemendo baixinho, enquanto o avô, chupava seu pintinho duro.
Me segurei ao máximo, curtindo aquele cuzinho chupeta q parecia mastigar meu pau. Logo expludi, num orgasmo intenso, cravando até os bagos naquela bundinha carnuda.
Henrique massageava meu saco como se tivesse me ordenhando, jogando toda minha gala pra dentro do neto.
Depois de longos segundos, ali engatados, beijei a boquinha do garoto, e a pica escapuliu, toda lambuzada de porra e fezes.
Imediatamente,Henrique abocanhou meu cacete semi flácido e fez uma verdadeira faxina, até deixá-lo sequinho, em seguida foi até o cu do neto e fez o mesmo solvendo toda a gala.
Num breve intervalo, Yuri revelou já ter estado ali outras vzs com seu avô, e outro amigo do dele.
Como prova , me mostrou seu nome riscado na pedra.
Mas tarde, os dois juntos voltaram a me chupar. Desta vez, Henrique, satisfeito se limitou a assistir, eu fuder gostoso seu netinho, até esvaziar totalmente meu saco.
Já passava de meio dia, quando descemos para a cachoeira. Ambos de mãos dadas com Yuri, parecendo, avô filho e neto. Acima de qualquer suspeita.
Essa foi a primeira de muitas outras vzs , q nos encontramos naquela cachoeira.
Se gostaram , deixem seus comentários q voltarei contando outra deliciosa aventura

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 38 votos)
Loading...

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Marcelas

    Adorei o conto! Curto muito esse tipo de conto principalmente com garotos… meu e-mail é [email protected]

  2. BiancaTS

    Delicia de conto, adoro fuder familiares principalmente maduros e novinhos.
    Sou travesti dotada, feminina e safada!!!

    • Karl366

      Oi Bianca, adoro travestis safadas e dotadas!!!
      Entra em contato comigo pra trocarmos umas ideias!!!
      [email protected]

  3. Mateus chupador

    Faltou mais detalhes sobre os corpos… De todos, mas principalmente do mlk….