Acabei aceitando o assedio do `Português meu patrão

Bem o que vou contar aconteceu quando eu tinha 13 anos de idade, era um garoto bonito, branquinho, corpo lisinho, uma bunda redondinha saliente, era de família podre, eu costumava usar uns calção justinho, que delineava bem a bunda, minha mãe arrumou um emprego para mim no armazém do seu Manoel, eu trabalhava no balcão e fazia entregas de bicicleta, seu Manoel, um Português Ilhéus, grandão, um bi godão, comecei trabalhar, eu era um garoto esperto meu apelido era expressinho.

Seu Manoel era bacana, depois de uns três meses de serviço já com um pouco de liberdade com seu Manoel, comecei sentir que ele estava me encochando, as vezes atrás dos balcões, como eu não reagia ele continuou, um dia ele me segurou pela cintura e eu senti algo duro pressionar minha nádegas, me arrepiei todo, ele continuava a se esfregar em mim, eu estudava a noite, acabava de recolher as coisas exposta e ia embora para a escola, um dia ele segurou pela cintura antes de eu sair e de rola dura se esfregou na minha bunda, e disse tu estas com pressa, eu disse que sim tinha que ir para a escola.

No dia seguinte era uma sexta feira, nos costumávamos fechar as 18 horas, eu antes do horário do almoço eu disse a seu Manoel que não tinha aula, ele então disse que queria fazer uma arrumação numas prateleiras se eu poderia ficar ate mais tarde que ele me pagava por fora do salário, eu aceitei, só que imaginava que seu Manoel estava querendo comer minha bundinha, e não sei porque eu estava querendo, chegou a noite.

Começamos a arrumar umas prateleiras, para não sujar minha camisa fiquei só de calção, logo comecei sentir seu Manoel me pegar pelas costas se encostando em mim, senti seu pau duro me cutucar, pressionei a bunda para trás forçando a bunda no pau dele, ele sem falar nada arriou meu calção, eu acabei tirando fiquei pelado, quando ele tirou a rola para fora das calcas nossa não acreditei, uma rola grossa, uma chapeleta, um cabeção vermelho, não era grande não devia ter uns 16 cm mais muito grossa, ele me debruçou sobre umas sacarias e ficou com o pau no meio das minha pernas fodendo minhas nádegas, logo passou vaselina e tentou meter dentro, mais eu não aguentei ele acabou gozando nas minha pernas.

Nisso ficou uns quatros dias tentando colocar mais não entrava, tentei sentar na rola dele toda melada de vaselina, mais chegou entrar um pouco mais doeu de mais eu não aguentei, mais também, ali de pé ficava difícil, um dia ele me levou para um quarto que tinha nos fundos, lá tinha uma cama, fez eu chupar a rola dele, que mal cabia na minha boca, um cheiro forte de pau mal lavado, cheiro de mijo, só que em vez de sentir nojo comecei sentir mais tesão, eu queria queria aquela rola dentro, mais doía de mais, ele me deitou na cama de bunda para cima, ajoelhou na cama e começou a pincelar o meu cu, com vaselina, foi forçando a pica para dentro, quando a cabeça entrou, nossa que dor insuportável no intuito de sair fora empurrei a bunda contra a rola dele, ele soltou seu corpo, eu fui as nuvens, quasse desmaiei a rola entrou toda ele ficou deitado sobre meu corpo fui me acostumando com a dor, ele começou a fazer movimentos leves devagarinho tirava e colocava a rola dentro, ate que aumentou os movimentos e começou a bombar forte, só umas duas vezes a cabeça saiu fora ele colocava de novo doía mais já estava laceado, pela primeira vez na vida meu cu recebeu um balde de porra, nossa o cara tinha muita porra, depois deste dia sempre que dava a gente metia, normalmente metia na parte da manha eu chegava mais cedo ele comia meu cuzinho depois abríamos o Armazém, só aos sábados ou quando não tinha aulas que a gente metia de manha e a noite, nunca meti tanto na minha vida, o Português era insaciável se pudesse metia quatro cinco vezes, eu não aguentava só duas três, eu ficava com o cu ardendo, mais eu adorava, hoje já com mais idade casado, mais adoro uma rola grossa, sou arrombado mesmo, lateralmente arrombado, mais adoro, no próximo conto eu conto outras passagem .

espero que tenha gostado

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,72 de 18 votos)
Loading...