A vingança que acabou virando romance

Autor

Meu irmão gêmeo Reinaldo era muito amigo de Jairo, Jairo não gostava de mim, não sei o pq, ela se dava muito bem com meu irmão e meus pais, mas eu o cara nunca topo, na época estávamos com 16 anos, é Jairo também, Jairo frequentava minha casa pois até minha mãe era madrinha dele, eu nem ligava pra ele também, todos percebiam e ficavam enchendo o saco dizendo, o que vc fez ao Jairo, pq ele não vai com tua cara? isso é aquilo, eu ignorava tudo e ficava na minha, mas Jairo começou a mexer com roubo de carro, depois que aprendeu a dirigir, eu na época já era mecânico, e trabalhava numa empresa de ônibus, meu irmão também era mecânico mas trabalhava num oficina junto com Jairo, mas meu irmão viu que mexiam com carros roubados e saiu da oficina, Jairo ficou la, mas continuavam com a mesma amizade, certa vez eu estava chegando em casa e vários policias numa casa que tinha sido assaltada, levaram televisão, aparelho de som, vídeo game, vídeo cassete, e o carro da família, eu estava passando de boa, quando os policiais me abordaram e sem dizer nada me levaram a delegacia, cheguei la, e o delegado me perguntou, Onde estão as coisas que vc roubou? Eu falei, Não sei não roubei nada, eu trabalho, sou honesto. E acabei levando um tapa na cara. meus pais chegaram chorando, me perguntando o pq eu fiz aquilo, mas eu neguei tudo, disse que estava trabalhando, ai me questionaram. O seus óculos e sua jaqueta estão fazendo la? Eu falei, Não sei alguém levou pra la, eu estava trabalhando. O roubo foi momentos antes e de fato eu estava na empresa, me deixaram ligar pro meu chefe que foi correndo pra la, e falou. Não imagina ele estava trabalhando não saiu nenhum momento, essas coisas alguém colocou la pra incrimina-lo. Ele ligou pro advogado da empresa que compareceu na delegacia e me liberou, o delegado me pediu desculpa, e concluíram que não fui eu, meus pais também me pediram desculpas, eu logo conclui, só podia ter sido o Jairo, ele frequenta minha casa, certemente deve ter pego minha jaquela e meu óculos, e minha mãe falou que tinha sumido do varal mesmo, ai eu falei isso com o meu chefe que conhecia um policial, o policial foi ate a oficina e verificou que as coisas da família roubada estavam la, ai prenderam o dono da oficina que entrou Jairo, recuperaram as coisas e tudo ficou bem, Jairo levou uma surra bem dada pelos policiais, foi levado a feben, mas liberado pelos seus pais, o pai dele começou a leva-lo pra trabalhar de pedreiro, e tirava o couro dele o fazia trabalhar muito, mas eu fiquei doido pra me vingar, o tempo passou nos mudamos de la, eu me casei, meu irmão também, estávamos bem, não tínhamos mais visto Jairo, mas meus pais tinham contato com os pais dele, pois eram compadres, passaram 24 anos, eu agora com 40 anos, 3 filhos já grandes, todos gente boa, mas eu me separei da minha mulher, e morava com meus 3 filhos, eu sabia que Jairo havia se casado pelo jeito tomou vergonha e virou alguém trabalhador, se casou e já tinha uma filha de 20 anos,e eu conheci Raquel a filha de Jairo, e a mulher dele, Solange, que começaram a trabalhar na prefeitura da minha cidade, mas moravam em outra cidade 1 hora e 30 minutos de la, Jairo era evangélico, eu comecei a conversar com Solange, a encontrava varias vezes perto da prefeitura e conversávamos bastante, ela nem se lembrava de mim mas eu me lembrava dela, pois ela já namorou meu irmão, passou a ser frequente nossos encontros, eu comecei a elogia-la muito, depois a convidei pra tomar sorvete, como ela era funcionaria publica sempre saia mais cedo, eu já aposentado devido problema no braço, tinha meu tempo livre, e toda tarde la pelas 13:00hs nos encontrávamos, até o dia que eu falei, que não conseguia parar de pensar nela, e ela também disse que não conseguia parar de sonhar comigo, ai nos beijamos, nos abraçamos, mas naquele dia só ficou naquilo, ai ela me liga no caminho de volta pra casa dizendo que amanha queria me ver mais cedo e combinamos as 9:00hs da manha, eu vi a hora que as 2 chegaram, vi ela falando com Raquel que ia ao medico e não iria trabalhar, Raquel concordou, e combinaram de ela esperar depois Raquel pra voltarem juntas pra casa, eu no carro só ouvindo fingindo que não estava nem ai, ai Raquel entrou na prefeitura, ela entrou no meu carro e a levei pra minha casa, visto que meus filhos estavam fora, la chegamos nos beijamos e já fomos pra cama, coloquei o preservativo e já fui em cima dela, introduzi e comecei a bombar, e gozamos juntos, muito bom, ai nos recompomos tomamos um lanche e eu já fui levando meu pau na boca dela, que chupou gostoso, mas depois foi ao banheiro e cuspiu minha porra, ela falou que fazia tempo que não trepava gostoso, ai sempre que tínhamos oportunidade transavamos, num motel, ou me minha casa, no carro, mas mas eu comecei a fazer um curso de pintura, pela prefeitura, e Raquel também entrou no curso, ela não sabia de mim com a mãe dela, eu também menti minha idade e começamos a conversar, ela foi ficando cada vez mais minha amiga, e fomos ficando cada vez mais achegado, até que ela confessou que gostava muito de mim eu também confessei que gostava dela, e começamos a namorar, ela gostava muito mas muito mesmo de mim, que se entregou no segundo dia, fomos na minha casa eu inventei uma desculpa pra mãe dela, e a levei pra minha casa, e transamos gostoso, ela me chupou, eu a chupei, tirei a virgindade dela, comprei ate outro celular e dei o numero a ela, ela sempre me ligava me perguntando se eu a amava, me pedia pra nunca deixa-la, dizia que nunca amou ninguém eu fui o primeiro e ela queria só eu, e eu as vezes me encontrava com Solange transavamos, mas passei a focalizar mais em Raquel, novinha gostosa, linda, eu também estava gostando muito dela, e ela queria me apresentar pra mãe e pro pai dela, eu inventei muitas desculpas, dava sempre um perdido, pois sabia que o pai dela Jairo iria ficar louco se soubesse, ã mãe dela também, dando pra mim e eu pegando filha também a filha, mas fui ficando sem saída, ela insistiu, chorou, falava que eu não gostava dela, mas enfim eu criei coragem e fui falar com o cara, que quis até me bater, falou pra filha que eu estava me vingando dela, e de fato a intensão era essa, Solange não concordou mas não disse que dava pra mim, por fim o evangélico ameaçou até me matar, mas Raquel arrumou as coisas dela e foi comigo, meus pais queriam mesmo se mudar pro interior e foi o que precisávamos, compramos uma fazenda pequena mas bem produtiva, um paraiso e nos mudamos pra la, meus filhos gostaram muito, e fazem 2 anos que estou casado com Raquel, e já temos um filho, confesso que antes de vir pra ca eu conversei com Solange e transamos, hj eu sei que ela trai o marido com outros caras, é isso. espero que gostem.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 6 votos)
Loading...