A relação proibida entre mãe e filho

Há 5 meses 3 ★ 3.00

Minha mãe é uma bela mulher. Ela tem 34 anos de idade 1,73 de alturas, pele clara, cabelo liso, seios e bunda grandes fartos. Andava sempre arrumada e procura sempre se cuidar. Quem enxergava ela, lhe daria 10 anos a menos para ela. Sempre que alguém me via junto com ela, me perguntava se eu estava namorando.
Minha mãe me teve com 16 anos de idade. Nunca cheguei a conhecer meu pai, pois ele morreu num acidente de avião. Desde então, minha mãe nunca resolveu ter um outro homem. Ela me dizia que o meu pai era extremamente especial e que nada conseguiria substituir -ló. Sempre foi bastante solidária e sempre cobrada pela família que ela tinha que se casar
Certo dia ela teve que se mudar para uma cidade do interior de Minas Gerais. Ela começou a trabalhar numa agência publiciataria. Foi quando ela conheceu Fernando, um homem de 45 anos de idade. Ela se apaixonou pelo homem mais velho e começaram a namorar.
Passou 6 meses, minha mãe tinha resolvido que iria se casar com ele. Preparam uma grande festa que chamou a atenção de toda pequena cidade de Minas Gerais. A festa iria ser num salão que ficava no início da cidade e o casamento iria ser na única igreja da cidade.
Tudo foi bem planejado. Fui escolhido pra ser padrinho junto com a minha tia, escolhemos um terno para mim. Minha mãe escolheu um vestido que fez com que ela ficasse extremamente bela. Ela organizou os convites para a familia, contratou uma banda para tocar na festa e recebeu os presentes
Ela estava bem feliz. A memoria do meu pai ficou no passado. Iria mudar sua vida. Mas mal sabia que iria acontecer algo entre eu e ela. Algo que a sociedade reprova. Ela teria um marido, mas também teria um amante e ele seria eu, seu filho
Chegou o dia do casamento da minha mãe. Ela estava bem feliz na nossa casa, se arrumando e colocando o seu bonito vestido de noiva. Enquanto ela se vestia, estava me arrumando colocando o meu terno para o grande dia. Quando terminei de me arrumar, minha mãe me chamou no seu quarto querendo saber se estava bonita
Quando estava chegando no seu quarto, senti um frio na minha espinha. Parei por meio segundo e continuei a andar até o seu quarto. Quando cheguei no seu quarto, encontrei ela sentada na sua cama e sentei ao seu lado. Ela queria dizer que estava feliz e que queria realizar o sonho da vida dela. Foi quando algo estranho aconteceu
Ela pegou minha mão e colocou debaixo da sua calcinha, fazendo com que eu acariciasse o seu critoris. Senti minha mãe se contorcendo e seu corpo quente, louca querendo transar e aprontar antes de um dos dias mais importantes da vida dela. Depois disso ela deitou e abaixou um pouco a parte de baixo do seu vestido, dando pra ver seus enormes seios que estavam com os bicos bem durinho.
Comecei a chupar os seus seios, lambendo e chupando o bico durinho, deixando a minha mãe com o seu vestido de noiva extremamente exicitada. Depois disso, tirei a sua calcinha e levantei a sua calça. Comecei a lamber o seu critoris, fazendo ela se contorcer e gemer de tanto tesão. Ela pediu pra que fizesse novamente e assim eu fiz.
Ela pediu para que se levantasse e ficando o zíper da minha calça e deixou o meu penis para fora. Ela passava a sua mao lisinha nele, me fazendo me masturbar. Depois disso, ela começou a lamber meu penis e chupando, colocando ele inteirinho na sua boca, me fazendo gozar dentro da sua boca. Repetiu o gesto novamente e gozei em seus seios
Depois disso eu levantei o seu vestido e penetrei em seus ânus. Durante o ato, ela mexia e contorcia a sua bunda, me deixando com bastante tesão e gozando dentro de seu corpo. Ela sentou no meu colo e eu penetrei na sua vagina e gozamos juntos e eu sujei o seu vestido de porra
A nossa transa terminou quando o telefone tocou, dizendo que teríamos que ir para a igreja. Pegamos o carro e fomos para a igreja.
Chegamos na igreja e o casamento ocorreu conforme os ritos tradicionais. Mesmo depois de transar com o seu próprio filho, minha mãe agia como se nada tivesse acontecido. Durante o casamento, ouve muita emoção por parte da minha familia. Minha tia e minha avó não pararam de chorar, mas eu só pensava na cena minha transando com a minha mãe. Estava exicitado e de pau duro, dentro da igreja.
Depois disso fomos a festa. Todos estavam felizes, dançando e bebendo. Eu não conseguia parar de olhar o rabo da minha mãe, pensando na gente transando antes do seu casamento. Resolvi beber mais um pouco e andar pelo lado fora do salão, mas não consegui de pensar na minha pelada calvagando no meu penis
O marido da minha mãe deu vexame e passou mal, tendo que ir embora para casa. Então minha mãe ficou sozinha na festa do seu casamento. Ela me chamou para dançar e comecei a ficar com tesão ao sentir seu corpo em mim. De repente, minha mãe olhou com um olhar malicioso e começou a pegar no meu penis. Foi de repente que ela me chamou para ir ao banheiro, pois tinha alguma coisa para me contar
Fomos ao banheiro. Ela sentou no vaso e me disse que gostaria que eu fosse o seu amante, pois ela sentia muito mais tesão comigo do que com o seu novo marido. Minha mãe abriu o zíper da minha calça e começou a chupar o meu penis, dizendo que queria continuar o que começamos antes do casamento. Foi quando tivermos que parar, pois escutamos alguém chegando no banheiros
Voltamos para a pista e começamos a dançar. Estávamos grudados e eu de pau duro. Minha mãe dizia que eu era muito gostoso e que queria ser minha putinha. Bebemos caipirinha e nos dois ficamos bebado. Sem que ninguém percebesse, coloquei minha mão por dentro do seu vestido, apertando a sua bunda
Fomos embora e chegamos em casa. O seu marido estava dormindo e ela estava acordada se masturbando. Fui para meu quarto e não consegui dormir, só pensava em me masturbar pensando na minha mãe
O marido da minha mãe foi viajar e ela combinou de ir comigo ficar uma semana numa praia de nudismo. Arrumamos as nossas malas e fomos para o aeroporto, pegar o primeiro avião para recife. Tínhamos prometido para nós mesmos que iríamos transar, dar muito tesão para um para o outro. Passaram nove meses do casamento e a minha mãe não estava satisfeito com o marido.
Fomos para Recife, ficamos numa praia exótica e paradisíaca. O cenário era lindo. Água no mar estava limpinha que dava para enxergar os peixes passando em nossas pernas, a areia era macia. Enxergávamos os casais andamos nu pela praia. Dava para enxergar o casais transando no local, sem nenhum pudor.
Então minha mãe queria ir para praia. Chegando lá, ela pegou a sua toalha de banho e estendeu na areia, deitando de costas. Ela pediu para que eu passasse óleo nela, passando lentamente nas suas costas e massageando a sua bunda grande. Depois ela pediu que eu coloquasse um pouco de óleo em seus seios, eu massagiei eles, espalhando o óleo em seu corpo.
Não aguentei ver ela lá. Subi ao seu corpo e comecei a beijar ele, lambendo os seus seios, puxando os seus bicos que estavam durinho e fazendo com que ela se mexesse toda. Desci mais embaixo, beijando a sua barriga que dava inveja em muita menina e desci a sua vagina. Lambi o seu critoris, chupando ele e dando mordidinhas de leve.
Continuamos a transar no meio da praia. Ela deitou em meu corpo e começou a chupar o meu penis, enquanto eu comecei a lamber sua vagina. Minha mãe estava louca, continuou chupando o meu penis, enfiando ele inteiro na minha boca. Lambuzei de porra a boca dela.
Depois disso deitei e minha mãe sentou em cima da minha bunda, calvagando de uma maneira extremamente selvagem. Ela rebolava, levantava e subia me fazendo gozar dentro dela novamente. Ela deitou na toalha que estava na areia e comecei a penetrar na sua vagina, gozando exatamente na mesma hora que ela gozou
Meus dias foram assim. Eu e minha mãe transamos todos os dias, mais de uma vez. Fomos embora felizes pelo passeio. Parecíamos homem e mulher
Chegando em nossa casa, tivemos que enfrentar uma fatalidade. O marido da minha mãe, com quem ela tinha acabado de se casar, fazendo menos de 6 meses, tinha se matado de uma maneira extremamente curiosa. Tivemos que chamar a polícia e nossa vida começou a acompanhar o porque o seu marido tinha falecido.
Minha mãe estava bastante deprimida, pois era o segundo marido que ela havia perdido. E era muito jovem. Certo dia minha mãe estava triste e deitou a sua cabeça no meu colo. Não sei, o que aconteceu o meu pau ficou ereto. Estava com vergonha. Ela percebeu e começou a pegar ele na sua mão.
Ela disse que não era para ficar constrangido com a situação. Abaixou, tirou a minha calça, abriu minhas pernas e começou a chupar meu penis, engolindo toda a porra. Mesmo com a tragedia, minha mae continuava sedenta e me usava para poder esquecer de todos os problemas que estavam sendo enfrentado.
Ela deitou na cama, tirou a roupa e comecei a chupar o seu corpo, beijando os seus seios, lambendo o bico durinho, passando lentamente a língua no seu corpo até a buceta, fazendo minha mãe gozar quando comecei a passar a língua em seu critoris. Ela gozou e por um momento tinha esquecido que tinha perdido o marido.
Ela sentou no meu colo como costume e eu penetrei o meu penis em seu ânus. Enquanto isso, continuava a se lambuzar nos seus seios. Minha mãe deitou e comecei a penetrar todo meu penis na sua vagina, gozando dentro dela.
Por fim dormirmos agarradinho. Fazendo com que minha mãe esquecesse a dor que estava passando.
Quando ela acordou ela me disse que eu não era seu amante, mas sim o seu homem. Tomamos banho juntos e transamos antes dela ir ao trabalho
Descobrimos que a morte do marido da minha mãe foi suicidio. Ele era muito doente por causa do trabalho e não aguentou mais. Minha mãe estava extremamente arrasada, pois não conseguiu ajudar ele a superar a sua fase ruim e ter que uma vida feliz junto com ela. O seu tesao que tinha por minha pessoa falou menos alto, pela primeira vez, do que o amor que ela sentia por ela
Descobrimos que a minha mãe estava grávida e que o pai era eu. Estávamos perdido, pois se contássemos para a família, eu e ela seria expulso e nunca iríamos ver minha avó e tia. Tentamos fazer um aborto, mas a igreja católica resolveu barrar a nossa tentativa. Não sobrou muitas escolhas, tivemos que ter o filho.
No terceiro mês de gravidez, minha mãe teve um surto psicotico, onde dizia escutar vozes e seu útero doer. Fomos pro médico, não achamos ninguém, fomos a igreja e nos contaram uma terrível história. Lilith possuiu seu corpo e provavelmente minha mãe tinha poucas chances dela sobreviver
Na igreja mesmo, escutei vozes dizendo que eu iria ser o culpado pela morte da minha mãe e que iria sofrer por toda eternidade. Estava enlouquecendo, mas ao mesmo tempo entrando numa profunda depressão por isso. Afinal, minha mãe iria morrer e culpa seria inclusiva minha. Era demais para minha cabeça
Escutei uma promessa, se eu desse minha vida a satanás deixaria minha mãe viva. Estava tão surtado, que resolvi me matar dando um tiro na cabeça. Quando viu isso, em vez de melhorar a sua situação, minha mãe deu uma piora drasticamente. Perdeu o seu filho que estava em seu ventre, porque não se alimentava. Então endoideceu
Hoje ela está no hospício, sem ninguém e chamando meu nome, com esperança de que eu voltasse e desse tesao pra ela

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 8 votos)
Loading...

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    Daí tocou o despertador e você foi capinar mais um pouco de roça!
    Que conto louco. Não pode ser verdase

  2. TT

    Q conto da porra é esse akakkk

  3. Alex Carvalho

    q historia mais maluca, n entendi porra nenhuma