Vizinha linda e deliciosa apesar de seus 56 anos

Autor

Galera vou contar como tudo começou, eu e minha mãe nos mudamos pro estado de SP, numa cidade grande mas o bairro era rural pra mim era um élo perdido, ruas de terra tudo era longe, além do mais bois, vacas, cavalos, jegue, soltos, merda pra todo lado, eu estava com 12 anos, as crianças na minha faixa etária só gostavam de brincadeiras que nada me agradava, andar a cavalo, jegue, nadar num rio que tinah la perto, apostar corrida de cavalos, nossa casa era e a da vizinha D. Maria eram as únicas que eram toda murada, com muros bem altos, e devido a casa ter sido dos parentes de D. Maria havia uma porta que dava acesso as 2 casas, D. Maria era um viúva de 56 anos morava sozinha, e devido minha mãe ter que começar a fazer faculdade a noite ela contratou D. Maria pra cuidar da casa e de mim, D. Maria era um coroa linda, pele morena, cabelos lisos, alta corpão escultural, devido os exercícios, ela me levava pra escola de carro e depois ia la me buscar, as meninas na escola todas safadinhas, mas cheiravam mal, devido irem de cavalo ou chareta pra escola, eu não curtia devido o mal cheiro, mas ela faziam estripulias com meninos, eu na escola anterior também passava a mão em algumas meninas, beijava, teve até um que certa vez chupou meu pinto, mas naquele lugar ali, não dava. alguns ate começaram a tirar sarro, mas eu nem ligava, mas embora eu ainda não tivesse notado a deliciosidade de D. Maria era me fazia bem, me animava, ai logo no segundo dia eu na casa de D. Maria ai jantamos e ela começa a dançar, pois era exercício, e me chamou pra dançar com ela, fazíamos vários passos que acompanhávamos em vídeo aula, e tinha algumas estilos de dança que ficávamos abraçados eu com o rosto no meio dos seios dela, eu comecei anotar que ela era cheirosa, gostosa demais, e comecei a desejar aquela coroa, com 13 anos que chance eu taria com ela? mas eu passei a sonhas com ela, certa vez e eu dançamos tanto que ela transpirou muito, e foi tomar banho, eu tentei olhar pelo buraco da fechadura mas não dava pra ver, tentei outras formas, mas nada dava certo, ai fui fora de casa e tentei ver pelo vitro, coloquei um barriu e subi em cima, pelo vidro não dava pra ver pois era ondulado, mas tinha um dos vidros que estava quebrado faltando um pedaço de uns 2 cm, e era o suficiente pra eu olhar sem que minha cabeça aparecesse no lado de dentro, e conseguia ver aquela delicia tomar banho, os seios a bunda deliciosa, aquela buceta peluda, e ali em cima do barriu mesmo eu bati uma punheta, ela termiou se secou eu entrei na casa novamente e assim que ela saiu do banheiro eu entrei, peguei a calcinha dela ainda quente a suada, cheirei lambi, e me punhetei de novo, que delicia, tinha vez que eu até domia la na casa dela, pois minha mãe demorava chegar, eu só via graça mesmo em estar com D. Maria, que me ajudava nas lições, e me animava. mas ela começou a perguntar o pq eu fazia amizade com os outros alunos, isso devido o fato de professora terem falado com ela, pois devido minha mãe trabalhar ela que ia nas reuniões, eu falava que não via graça em ninguém ali, ela disse que as meninas tentavam se aproximar de mim mas eu nem dava chance, ela me fez tantas perguntas e até perguntou se eu não gostava de meninas, devido o fato de alguns ficarem me chamando de gay na escola, mas eu falei, eu gosto, mas prefiro mulheres mais velhas, aquelas meninas cheiram mal vao pra escola cavalo, charrete, ficam fedendo, e falei que algumas ate´faziam coisas com cachorro, coisa que já vi acontecer mesmo, irmão com irma, eu achava zuado tudo aquilo, e D. Maria entendeu, mas disse pelo menos converse com as meninas para os moleques pararem de te encher. e eu comecei a conversar com algumas com alguns moleques e eles pararam de encher meu saco, D. Maria ficou sabendo e ficou muito contente, mas certo dia depois termos dançado ela tomado banho e eu olhado e me punhetado olhando ela pelo buraco do vidro. sentamos no sofá e ela me perguntou que tipo de meninas vc gosta, eu falei, Ah gosto de meninas limpas, e cheirosa, Ela falou, Mas na escola não há nenhuma? Não que me agrada não, E ela falou. Vc disse que prefere mulher mais velha, são as professoras é? Eu falei. Ah, são melhores do que as meninas. E de fato eram mesmo, algumas eram bem gostosas, mas na realidade era mesmo D. Maria que me interessava, apesar de ser mais velha que minha mãe. Ela insistiu mas eu não consegui dezer que era ela quem eu queria, mas ela falou que minha mãe certa vez havia dito a ela dum problema que eu tive na escola anterior que me pegaram no banheiro das meninas tentando introduzir o pau na bunda de uma menina, e fomos ficamos de suspensão, ela me perguntou detalhes de como tudo aconteceu, eu contei e meu pau foi ficando duro, ela parecia estar gostando muito do assunto, depois que contei ela me pediu pra contar também o que já fiz em outras ocasiões, ai eu contei da menina que chupou meu pau, ela ficou pasmada com aquilo, ai eu contei também que chupei a buceta de uma menina, eu até coloquei a almofada na frente pra disfarçar a ereção, e ela falava. Que doido, vc então gosta de meninas mesmo hein? Eu disse. Sim é muito bom, mas se for mais velha deve ser bem melhor, já estávamos com certa liberdade pra falar essas coisas, ela disse que o marido havia falecido a 36 anos atraz, devido acidente, e ela ficou gravida, mas o filho nasceu morto ai ela não quis mais saber de ninguém, Ai eu falei, Mas a senhora é tao linda, como deixaram a senhora ficar sozinha. Ela disse que preferiu se isolar, ai me perguntou se eu teria coragem de fazer de novo com algumas menina as coisas que eu já havia feito, eu falei. Sim mas teria que ser meninas cheirosas, lindas, Ela levantou e falou, meio que rindo, é tudo muito doido isso, no meu tempo era tudo tao diferente, ai eu disse, É mas a senhora devia ser a mais bonita da cidade, e ainda é. Ela deu uma gargalhada, No dia seguinte ela veio novamente me perguntando das meninas das minhas estripulias, eu já tinha falado das punhetas, das coisas que fazia com as meninas, ai dançamos ela foi tomar banho e eu olhar no buraco do vidro, ela tira a roupa, passa a mão na buceta cheira, liga o chuveiro, se ensaboa ai desliga e começa a raspar o suvaco, depois a buceta, ai pega outro barbeador e deixa a buceta bem lisinha, se enchagua, se seca e sai, eu entro na casa e finjo que estava sempre sentado no sofá, ai ela vestida com um vestido até os joelhos bem folgado, senta no sofé em frente deixando aparecer a calcinha, e começa a conversar comigo, dizendo é vc aprontou hein, deveria fazer também com as meninas da sua escola, afinal são meninas também. mas eu falei, Não se pelo menos fossem cheirosa assim feito a senhora. Ela falou. Ah então vc me acha cheirosa? Eu disse acho não a senhora é, esse perfume da senhora toma conta da sala. E ouvi ela dizer bem baixo é loucura, ela ficou tipo cochichando com sí própria e balançava a cabeça, eu perguntie se estava tudo bem, ela dizia que sim, mas ficou estranha, no dia seguinte eu cheguei da escola com ela, eram meio dia, um sol ardendo, muito calor, o ventilador dela estava pouco para o calor que fazia, ela com uma vestido branco acima dos joelhos bem folgado, eu de short sem camisa, ai ela falou. To quase ficando igual vc só de short, ta muito calor, Eu falei esse vestido que a senhora colocou é tao fino que da pra ver até o que a senhora esta usando, Ela falou. É mesmo, já que vc esta vendo meu sutiã e minha calcinha eu vou tirar. E ficou só de calcinha e sutiã, eu fiquei pasmo, o pinto subiu, ela falou, me perguntou se estava igual as menians da minha escola anterior, e eu disse que estava mil vezes melhor, eu mal podia acreditar parecia um sonho, mas ela ali, e eu de pau duro, ela falou. se esta então vamos fazer estripulia, eu quase sem folego falei. Vaaamosss, mas o restante fica pra próxima vez. aguardem espero que tenho gostado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 8 votos)
Loading...