um dia de cao

09-04-18 Por 1 ★ 3.75

Carol acariciou com ternura o enorme cão , um boerboel de pelos amarelos avermelhados um raro exemplar que tinha oitenta centímetros de altura e pesava quase cem quilos. A língua enorme estava a mostra em sua enorme bocarra ,sua respiração arfava , ela admirava os vinte e cinco centímetros que estavam desencapados , a mostra revelando a excitação do cão , que com um olhar dócil esperava as ordens de sua dona. Que para o provocar aos poucos se desnudava , instigando os instintos sexuais de lust o enorme borboel. Quando ela se deitou sobre o puff , ele se levantou e começou a cheirar sua vulva o nariz gelado do animal tocava seu grelo e sua língua trabalhava ávida mergulhando dentro da buceta úmida provocando sensações maravilhosas nela. Carol rebolava os quadris , sentindo a enorme lingua chafurdar nos liquidos que escorriam de suas entranhas, gemeu chorosa sentindo os arrepios de desejo que percorriam seu corpo , num êxtase profundo , ergueu-se para admirar o cão entre suas pernas ,se abriu toda apoiando as pontas dos pés no chão. Fechou os olhos curtindo o momento e alucinada sussurou num languido gemido
MONTRA LUST MONTA ,MONTA
Ela implorou alucinada , ele se ergueu sobre as patas trazeiras apoiou as outras no puff quase ao lado dos seios dela , a pica em riste procurava sua buceta estocando desorganizado Carol esticou seu braço agarrou com sua mao o falo e guiou ele ate a entrada da buceta elevou o pélvis ate sentir ele deslizar pra dentro , sentiu que estava sendo preenchida pela vara , gemeu num misto de dor e prazer , sentindo a batida funda dentro dela , a buceta pingava liquidos vaginais misturados com o pré gozo do animal. Ciente que ele so gosaria após colocar aquele nódulo que se formou no meio do pau dele como uma bola . ela se abriu toda enquanto ele tentava introduzir o gomo dentro dela, que elevou as pernas depois apoiou os calcanhares no dorso do animal e foi puxando ele contra seu corpo para realizar a extasiante penetração. Sentiu uma dor imensa ate a esfera adentrar seu canal vaginal. O cão alucinou quando transpôs a buceta dela estocou como se estivesse insano dando uivos de praser pareceu que ele não tinha controle sobre seu próprio corpo seu trazeiro ondulava acelerado ela sentia a pica dentro dela envadindo em espirais como se ele corcoviase dentro dela era como uma britadeira fustigando a buceta dela seus gosos eram alucinados seus orgasmos eram longos a levando a um êxtase tão profundo que aos poucos ela ia perdendo os sentidos alucinada de praser , metendo possesa com um tesao nunca imaginado , o cão parecia ter convulçoes tremendo como se estivesse recebendo choques elétricos , ate que sem forças ficou parado com a pica pregada dentro dela, Carol desfalecida se largou engatada no caralho do cão , lust pareceu despertar e tentou se afastar indo para traz e quando ele foi se afastando trouxe ela engatada no cassete, ela foi aos poucos sendo arrastada ate cair do puff batendo a cabeça no chão a pancada a fez despertar , literalmente pregada no pau . dependurada no cassete , docilmente ela colocou seus pes nas ancas do cão foi forçando aos poucos ate sentir um explocar como se abrissem uma champanhe , sentiu um rio de porra do cão misturado aos seu fluidos escorrer por suas pernas, ainda em delírio sentiu a língua do cão a lambendo querendo limpar a buceta ardida e dolirida dela que obcenamente murmurava
——LAMBE LUST LAMBE

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,75 de 8 votos)

Por

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Cadela e Touro

    MULHERES CASADAS OU NÃO E TRAVESTIS FEMININAS.Queremos e estamos reiniciando um grupo só de mulheres e travestis que gostem..Somos casal e ela é veterinária.Escrevam para: [email protected] e no assunto coloca NOME E ZOO.