Os segredos dos mágicos 3

13-04-18 Por 1 ★ 5.00

No outro dia fiquei com medo de ir com o seu Geraldão pois doía meu cu quando tentava cagar e andar estava difícil. Para ninguém perceber eu peguei um gibi e fui para a escola lendo, o que fazia ir mais lentamente.
Na volta estava decidido passar diretor porem esperei meus amiguinhos irem à frente e ao chegar perto da oficina, o seu Geraldão, abriu a portinha na hora e com o susto me puxou para dentro. Falei logo: – Não quero fazer o que vc fez ontem pq está doendo muito. Ele tinha fechado a porta e se dirigiu ao seu escritório, o que fiz sem ele falar nada. Ele pediu para ver como estava meu cuzinho e me empurrou para ficar de bruços na mesa e comecei a chorar com medo da dor. Ele pediu para ter calma que não meteria em mim e com carinho abaixou minha roupa com cuequinha e tudo. Ele agachou, abriu minhas polpinhas e senti um ardor e reclamei: – Está dolorido só de mexer. Ele assoprou no meu cuzinho e passou a língua me dando um calafrio na espinha, soltando um forte gemido, e aumentou o ardido devido à saliva.
– Seu Geraldão, está ardendo mais.
Ele pegou uma pomada numa bisnaguinha de alumínio e passou, e foi como magica, parrou de arder. O seu Geraldão disse: – Pelo ardido vc vai perder a sensibilidade facilmente, vamos dar um descanso ao seu cuzinho, mas vc deve vir todos os dias para eu passar a pomada e ver se está melhorando. Fique nessa posição que eu vou no banheiro e volto para ver se secou a pomada.
O seu Geraldão foi e voltou em pouco tempo só que pelado com aquele pintão balançando e disse para mim: – Hoje vc não pode receber meu pinto no seu cuzinho e vou te ensinar a como um mágico engole uma espada. Como a espada pode te machucar a garganta vc precisa treinar com algo que não te corta. Vamos treinar com o meu pinto e isso é mais um segredo dos mágicos.
Ele puxou o meu corpo perto da lateral da mesa e pediu para abrir a boca e ele passou a cabeça do pinto nos meus lábios e foi falando: – Beije a ponta e vai abrindo a boca e chupando com a língua sem encostar os dentes.
Fiquei com nojo e ele viu minha cara e disse: – Eu lavei agora, pode por na boca sem medo.
Senti o cheiro de sabonete e mais confiante dei um beijinho na ponta e passei a língua, fui abrindo a boca e senti a cabeça se transformar num cabeção e quando entrou um pouco começou a pulsar na minha língua, eu estava com a boca esticada ao máximo e ele começou a empurrar e puxar aquele pintão que batia na minha garganta de leve e ele puxava para traz. Ficou nesse movimento para eu me acostumar e pediu: – Passe a linguinha na ponta enquanto empurro e puxo, se vc sentir que está juntando liquido na boca, faz força e engole, é sua saliva. Eu me acostumando com a sequencia e já achava que estava dominando a técnica da espada. Ele aumentou o empurra e puxa. Sentia que minha saliva estava ficando mais salgada na língua e juntando mais e eu engolindo. Seu Geraldão começoua passar a mão na minha bunda, pois eu continuava de bruços na mesa e com as roupas abaixadas, ele cutucava de leve meu cuzinho que piscava com o dedo dele. Ele segurava minha cabeça para não me afastar e senti aquele pinto pulsar forte e seu Geraldão segurou a minha nuca e enfiou o máximo, senti a cabeça bater no ceu da minha boca e algo descer direto da minha garganta para meu estomago, tentei me afastar e ele mandou: – Engole tudo, treine direito. A cabeça continuou pulsando e mais liquido se juntava na minha boca e agora com um gosto e cheiro de agua sanitária, fiz força e engoli tudo sem fechar a boca e morder o pinto dele. Ele perguntou: -Aprendeu?
: – Seu Geraldão, eu consegui engolir, o senhor gozou na minha boca? Por que teu pinto pulsou e senti um liquido estranho.
– Vc fez tão bem com a língua que não aguentei e gozei, você gostou do sabor?
– Achei muito estranho no começo e depois ficou gostoso.
Ao apertar o pinto saiu um pouco de porra na ponta e ele pediu para eu colocar a língua para fora e ele colocou aquela gotona na minha língua e pediu para engolir, eu para brincar perguntei se tinha mais.
– Amanhã venha que vou passar pomada no seu cuzinho e te dou mais porra.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 12 votos)

Por

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    muito bons os seus contos, continue pf