O Entregador de Gás

Autor

O que vou contar aconteceu comigo aos 13 anos de idade.
Estávamos em casa, somente eu, minha mãe e minha irmã de 3 anos. Mamãe me fala que vai levar minha irmãzinha na consulta do hospital. Antes de sair, ela pede prá eu comprar o gás. Então, fiquei jogando videogame, quando ouço o homem do gás. Rápido, fui ao portão.
Pedi ao homem que me desse um botijão, e o levasse até o local do gás, que eu iria pegar o dinheiro prá ele. Qual não foi minha surpresa, ao ver que minha mãe não tinha deixado a grana. Falei pro homem do ocorrido e me desculpando, pedi prá ele levar o gás embora. O homem então, me disse que o gás poderia ser meu, se eu desse o cuzinho prá ele. Disse isso, enquanto apalpava o enorme pau por cima da calça. Eu, que não sou besta….
Fui com ele até o meu quarto, e tirei a roupa. Nisso, olho e vejo o entregador já nú, e sua verga que devia medir uns 22 cms mais ou menos e era muito grossa e bem cabeçuda…
Fiquei sentado na cama e ele veio. Tentei abocanhar o cacete dele prá mamar, mas mal entrava até a metade em minha boca. Mamava, chupava uma bola, depois a outra e assim foi.
Ele então, pediu prá eu me deitar, e posicionou meu travesseiro embaixo da minha barriga, prá facilitar a penetração. Depois, começou a lamber e enfiar sua língua no meu cuzinho sedento de pica. Eu gemia e rebolava na cara dele, sentindo um tesão da porra. Então, o macho vem, e começa a passar o cacetão entre o meu reguinho, vai-vem, vai-vem… Até que o macho encaixou a piroca na porta do meu cuzinho e forçou. Senti a enorme cabeçona da rola entrar, e gemi de dor e prazer ao mesmo tempo. Senti o pau entrando, centímetro por centímetro, até suas enormes bolas encostarem na minha bunda grande e lisinha. Nessa hora, senti alívio por saber que aquele macho estava com todo o pau atolado no meu cu. Quando percebeu que meu cuzinho tinha se acostumado, ele passou os braços por baixo dos meus, e começou a socar com tesão e desejo o meu rabinho faminto. A cada estocada daquele pau, eu gemia gostoso, pedindo pro cara foder com força o meu cuzinho, ao que ele com vontade obedecia aos meus apelos. E eu gemia mais e mais com todo o tesão. Em dado momento, ele intensificou ainda mais as metidas no meu cuzinho, socando virilmente aquele cacetão gostoso no meu cuzinho. Então, de repente, ele crava o pau no meu cu e dá um urro de macho gozando gostoso. Imediatamente, senti meu cu sendo preenchido pela porra dele. Ele então, ao invés de tirar, começou de novo a socar meu cuzinho com tesão, com força e desejo, mais e mais até que gozou de novo. Deitou-se em cima de mim, e quando penso que ele sairia de dentro de mim, recomeçou de novo com toda intensidade, força, desejo e tesão, num vai-vem alucinante, até novamente preencher o meu rabinho com sua porra gostosa. Aí sim, satisfeito, ele tira a pica do meu cu, dá um beijo em cada nádega minha e vai embora. No momento em que abri o portão prá ele, dou de cara com meu amigo Marcelo no portão. Meio sem graça, digo ao Marcelo que eu tinha pego gás e pedi pro homem verificar se tudo estava ok com o kit do botijão de gás. O homem se despede e Marcelo pede prá entrar. Quando entra no meu quarto, Marcelo diz que viu quando o homem chegou e sabia o que tinha acontecido entre eu e o entregador. Tirou a pica prá fora e pediu prá me comer…
Uma outra hora, conto como foi a primeira de muitas transas que tive com o Marcelo…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,85 de 20 votos)
Loading...