,

O Cachorro do patrão fudeu meu cú

02-04-18 Por 1 ★ 3.80

Meu nome é Alex, tenho 22 anos e moro no interior de SP. Sempre lia contos eróticos gays de zoofilia, ficava muito excitado mas nunca tinha coragem de realizar esses desejos. Mas foi quando surgiu uma oportunidade.
Aceitei o emprego para cuidar de um sítio de um homem que morava fora da cidade, ele tinha animais e plantações e precisava de alguém para aguar as verduras e cuidar dos animais. No inicio eu não estava pensando em nada disso, apenas aceitei o emprego porque precisava, mas quando fui visitar o sítio, notei que lá havia um cachorro, era de grande porte que se chamava Set, porém sua raça eu desconhecia, meu patrão disse que encontrou ele na estrada e cuidou dele, mas também não sabia a raça do cão. Ele tinha um pelo preto, parecido com aqueles cachorros peludos, mas estava um pouco sujo, pois ele vivia ali no sitio e rolava na terra.
Eu fiquei ainda mais empolgado para começar o trabalho. Depois de uma semana o meu patrão voltou para sua cidade e me entregou a chave do sitio, eu deveria ir lá todo dia de manhã e a tarde, poderia dormir lá quando quisesse, mas só se achasse necessário. No mesmo dia fui até lá, quando cheguei o cachorro já veio me cheirar, eu fiz um carinho em sua cabeça para ganhar sua confiança e para ele não me estranhar né é claro. Em pouco tempo o cachorro já estava brincalhão, mas primeiro eu fui tratar dos animais e fazer os outro deveres. Quando terminei, fui guardar as coisas e o cão veio atrás de mim, eu resolvi dar um banho nele, pois ele estava sujo. Liguei a mangueira, ele quis fugir da água no inicio, mas eu consegui traze-lo e depois que eu começei a passar sabão e alisar seu corpo ele ficou parado. Ele tentava chacoalhar para tirar a água e depois de enxaguar eu deixei ele dentro da área, pois não queria que ele se sujasse de novo. Depois de um tempo que ele estava seco, fui até ele e com brincadeiras começei a passar a minha mão no seu penis
Senti que ele começou a endureçer e uma ponta vermelha começou a sair, aquilo estava me deixando muito excitado, eu tirei minha roupa e fiquei pelado na sua frente, Set começou a lamber meu pau e isso me deixava ainda mais louco, eu me virei de costas e ele logo foi lambendo minha bunda. Eu não resisti mais e fiquei de quatro, depois de lubrificar bem meu cuzinho, o cachorro tarado subiu nas minhas costas, e dava algumas estocadas que pegava nas minhas coxas, sentia um liquido escorrendo quando seu pau encostava.
Depois de subir e descer em mim sem sucesso, quando ele subiu, segurei seu pau bem na portinha do meu cú. Ele deu uma estocada tão forte que eu achei que tinha estourado meu intestino, entrou tudo de uma vez só, meu cú estava ardendo mas estava gostoso ter aquele cacete naquela frequencia bem rápida que ele metia. Eu começei a senti que algo estava aumentando dentro do meu cú, sabia que era seu pau que estava inchando, começei a sentir uma dor muito grande pois seu nó estava atolado no meu cuzinho e estava crescendo cada vez mais. Depois de um tempo ele ficou parado, eu ainda gemia e gritava de dor, Set passou as pernas por cima de mim e nós ficamos engatados, era uma sensação deliciosa e ao mesmo tempo dolorida, ainda mais quando ele queria sair e puxava seu pau, meu cú doia pra caramba. Senti então meu cú ficando cheio, sabia que era a porra dele que estava saindo. Ficamos ali engatados por quase uma hora, depois o seu pau foi desinchando, quando estava mais pequeno ele puxou e saiu tudo, doeu pra caramba pois o nó ainda estava um pouco grande, não muito mas o suficiente para me deixar com um buraco no cú. Corri para o espelho e vi o estrago, meu cú estava com um arrombo, saia muita porra de cachorro e um pouco de sangue também. Passei alguns meses sem dar o cú pra ninguém, nem mesmo pro meu namorado, pois ele me perguntaria porque eu estava com o cu tão largo. Mas depois de alguns meses meu cú estava normal de novo e eu resolvi contar pro meu namorado o que eu tinha feito, pensei que ele iria me largar, mas ele também quis experimentar. Hoje nós não estamos mais juntos, mas guardamos o segredo um do outro.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,80 de 10 votos)

Por ,

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. passivo discreto de Recife

    gostaria de ter uma experiência dessa, pois aqui em Recife não mais existem machos ativos para eu mamar gostoso e dar o cu, [email protected]