Fui estuprado aos doze anos no Serviço da minha mãe

Esta e uma historia como muitas, aconteceu quando eu tinha 12 anos de idade, na época eu morava na Cidade de Santos, minha mãe recente separada do meu pai sem com quem deixar para tomar conta de mim, arrumou um serviço de catadeira de café, no cais de santos, isso na era dos anos 60, eu estudava de manha, sai da escola que era ali perto e ia para o serviço da minha mãe, um armazém de café, muitas sacarias, e como a minha mãe uma outra senhora também levava seu filho, um garoto de uns 16 anos na época mulato, fizemos amizade, e ficávamos brincando em cima das sacarias, as vezes sem camisa, só com o calção do uniforme, pois era muito calor no armazém, um dia acabamos achando um buraco entre uma pilha de sacos de café e outra, e ficamos ali, o colega, nem lembro mais o nome dele, na brincadeira tirou o pinto para fora e ficou brincando, era um pinto maior que o meu, mais não era muito grande e nem grosso, pegou na minha mão e colocou no pinto dele, eu fiquei brincando batendo punheta para ele, ele com jeitinho foi me acertando tirou o meu calção e acabou metendo na minha bunda, a principio doeu mais fui me acostumando e acabou ficando gostoso, neste dia ele me fodeu três vezes, ou seja gozou três vezes, fui no banheiro me lavei, para minha mãe não perceber e assim a gente fodia todos os dias.

Ate que o Administrador do armazém um Português Ilhéus acabou nos pegando no flagrante, o meu amigo saiu correndo, eu que estava pelado acabei ficando, modesta parte eu era um garo bonito, lisinho, uma bunda linda, pernas bonitas, moreno jambo queimado de sol, fiquei sem ação, o Português era bravo, estupido, gritou comigo mandou eu colocar a roupa e saiu, eu fiquei preocupado dele comentar com a minha mãe e ate mandar ela embora.

Passou uns dias o meu amigo não veio eu estava sozinho, o Português me chamou e me levou para um outro armazém ao lado, lá num canto entre pilhas de sacos de café, ele tirou a rola para fora, nossa uma trolha uma rola enorme, grossa, cabeçuda, e disse para mim tira seu calção eu vou meter neste cuzinho, eu respondi eu não aguento, e muito grosso, vai doer, ele me respondeu vai deixar ou quer que conte para a sua mãe, eu disse para minha mãe não, e fui tirando o meu calção, ele me deitou sobre uns sacos de café e começou a chupar o meu cu, nossa que delicia, que sensação, eu nunca tinha feito aquilo, ele metia a linguá no meu cu, eu fui relaxando ele veio no meu ouvido e dizia nossa que delicia de cu, eu me arrepiava todo, senti a rola dele tocar no meu cu, ele passou vaselina e foi colocando, só que ele era muito bruto, acabou socando tudo, eu gritei, ele disse não grita quer que sua mãe escute e tapou a minha boca com aquelas mão grandes, empurrou tudo ate o saco, eu quasse desmaiei de tanta dor, ele gozou, quando tirou de dentro nossa era porra com sangue, eu não tinha pano, pequei um punhado de estopa fui lavar meu cu, que ardia e sangrava, fiquei com medo, coloquei um punhado de estopa para não manchar o meu calção, fiquei uns três dias com o cu doendo, ate para lavar era difícil, passei pomada ate que ficou melhor.

Depois o Português sumiu, o meu colega passou novamente a me foder, depois de uns 20 dias o Português reapareceu, estava de licença, meu amigo não queria mais com medo, um dia o Português chegou perto de mim de disse vai lá no outro armazém, não sei como acabei indo, não deu outra ele fez a mesma coisa chupou o meu cu, depois começou a tentar colocar dentro do meu cu, doeu um pouco mais já não foi tanto como da primeira vez, ele ficou brincando tirava e colocava demorou para gozar mais encheu meu cu de porra, eu gozei na punheta, e assim de vez em quando eu dava para ele.

Um dia ele fez eu chupar o pau dele, mais ele era fedido, cheiro forte de suor com urina, eu não gostei, mais acabei convencendo o meu amigo ir comigo e eu chupava o pinto dele em quanto o português colocava na minha bunda, por varias vezes meu amigo gozou na minha boca e eu engolia tudo, tinha dias que meu amigo gozava duas vezes na minha boca vendo o português fodendo o meu cu, pois o português demora para gozar, eu gostava era maravilhoso, ate que minha mãe arrumou outro emprego e eu não fui mais, mais fiquei com muita vontade de dar para o português e chupando o meu amigo, que delicia.

espero que tenham gostado, na próxima eu conto umas outras passagem.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,63 de 24 votos)
Loading...