Consegui fuder minha sogra

Autor

Meu sogro é um vacilão vive enchendo a cara de cachaça, minha sogra está mal tratada pelo tempo e aborrecimentos mas continua batendo um bolão, mesmo usando roupas discretas, ela frequenta um templo evangélico aqui na nossa rua, moramos no mesmo terreno, sendo minha casa nos fundos.
Apesar de ficar secando discretamente minha sogra, principalmente sua generosa bunda, sempre mantive o respeito, o medo de avançar e colocar tudo a perder me mantinha afastado.
Quiz o destino que nos encontrassemos no centro da cidade, sempre volto de trem, encontrei com ela na estação conversamos um pouco lhe falei que nesta hora os trens lotam e como ela não estava acostumada ficasse perto. E assim aconteceu entramos no trem assim com várias pessoas, o trem partiu e foi lotando, no intuito de proteje-la a coloquei na minha frente, sem maldade, tentei evitar ao máximo encostar mas não tem como, pedi desculpas por estar encostando nela, o balanço do trem sob os trilhos nossos corpos se movendo numa cadência, pronto o desejo foi tomando conta de meu corpo, tentava desviar os pensamentos nada adiantou uma ereção me entregava, tenho uma piroca cabeçuda, 20 cm e grossa. Sem ter como evitar aproveitei da situação esfregava a piroca na bunda de minha sogro, respirava colado no pescoço dela, tive a impressão dela rebolar e mexer, alguns homens próximos me invejava, num relance olhei para frente o reflexo de minha sogra na janela mostrava ela de olhos fechados e mordia os lábios.
O trem foi esvaziando nos afastamos mas a ereção continuava, chegando a nossa estação, minha sogra sabendo de minha situação me entregou uma bolsa de loja que carregava, foi a salvação estrategicamente posicionei a bolsa na frente até que voltei ao quase normal pois continuava a meia bomba.
Ainda teríamos que pegar um ônibus que claro iria lotar, pobre sofre kkkk, e lá fomos nós num quase silêncio ambos constrangidos com o ocorrido, finalmente ponto final do ônibus, a sorte ajudou minha sogra ela sentou no lado do corredor, o ônibus ia lotando, cada pessoa que passava me forçava para frente eu já aproveitava e tipo apoiava meu saco no ombro da minha sogra, foram tantas vezes que cheguei a sentir seu ombro se movimentar, com certeza ela sentia o cheiro de minha pica dura que quase tocava seu rosto.
Foi quando levei um susto minha sogra levantou, pensei horrores em segundos, mas estava tudo bem minha sogra cedeu o lugar para um senhor e se posicionou na minha frente encostei na hora seu corpo estremeceu, minha piroca encaixou no seu rego lentamente me movimentava como se estivesse metendo em sua bunda, agora o senhor sentado quase tinha uma buceta esfregafa no rosto. Eu continuava me movimentando aumentei um pouco os movimentos, senti o corpo de minha sogra tremer, suas mãos agarradas nos bancos suas pernas pareciam perder as forças, mas ela seguro firme e agora era nítido ele forçava a bunda para trás buscando minha pica dura e rebolava bem devagar. Olhei em volta várias pessoas nos observavam, terminei gozando sentia o esperma escorrer enquando eu movimentava agora não tão discreto, olhei a cara do velhinho ele rindo piscou o olho para mim.
Voltamos a nossa realidade, o ônibus esvaziou mais consegui sentar ao sei lado, sem conversas a bolsa em meu colo escondia um círculo molhado. Descemos do ônibus e fomos caminhando para casa, passamos num bar e lá estava meu sogro jogando sinuca , neste momentos nos olhamos e.ela sorriu, aos aproximarmos da casa ela pediu para não deixar a filha ver.a calça molhada trazer que ela iria lavar. Depois volto para terminar meu relato de quando e como c9nseguo comer minha sogra.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,42 de 12 votos)
Loading...