A filha novinha da vizinha putinha – Parte 2

Autor

Oi pessoal, vou continuar os relatos sobre a filha da minha vizinha que é GP…
Bom… depois das primeiras vezes que transei com a kamila na presença da Ana Beatriz, acabamos criando uma rotina de trepadas, lógico que nem sempre a Beatriz estava presente e a Kamila chegou a comentar que percebia que meu tesão era maior quando ela estava. O fato é que além do sexo, por sermos vizinhos criamos uma amizade, ficou comum ela passar a noite na minha casa e acabei por um tempo assumindo outras contas dela, tudo pago com sexo.
Até que certo dia ela chegou falando que um coroa queria um programa de uma noite inteira e ela aproveitou pra pedir uma boa quantia, até aí tudo dentro do normal, a sirpresa foi ela perguntar se eu poderia cuidar da Ana Beatriz, já que ela passaria a noite fora e não tinha um pretexto pra pedir que os avós cuidassem dela. Fiquei com medo disso vazar e eu me complicar, mas topei… naquela noite, o coroa foi busca-la quase meia noite, ela saiu da casa dela com a Ana e entrou na minha casa, deu algumas instruções pra Ana me obedecer e saiu, dizendo que voltaria de manhã antes do almoço.
Olhei pra Beatriz(como gosto de chamá- la) e perguntei se ela queria comer algo…
– vc quer alguma coisa, Beatriz?
– o que tem, tio?
– olha na geladeira e pega o que vc quiser!
Ela sorriu e foi abrindo a geladeira, ela pegou um danone desses de copinho e fomos pro quarto, ela estava vestindo um short jeans e uma blusinha…
– vc vai dormir com essa roupa? Perguntei!
– não, trouxe minha roupa de dormi!
– pq vc não coloca e vem deitar?
– tá!
Ela terminou o danone e sem pudores foi tirando a roupa ficando só de calcinha… pronto, bateu o tesão, ela usava uma calcinha branca de renda transparente em algumas partes, não resisti e pedi pra ela dar uma voltinha…
– nossa, Beatriz, vc é realmente linda e essa calcinha é muito sexy!
– o sr gostou, tio? Minha mãe comprou hoje pra eu usar aqui!
Filha da mãe, pensei… a Kamila sabia que eu ia aproveitar pra brincar com a filha dela, mas não levei fé que ela incentivaria…
Pedi pra ana ficar de só calcinha e ela topou. Fui à cozinha e passei um zap pra kamila…
– adorei a calcinha que comprou pra Beatriz!
– imaginei que vc fosse gostar!
Mandei um coração e ela respondeu algo que me enlouqueceu….
– Afonso, a Ana tá louca por vc, depois que vc ensinou ela a gozar que ela não pára de falar de vc, até já peguei ela se masturbando, pode fazer o que quiser, só não come a bucetinha dela pq quero tá perto!
Aquilo fez meu pau explodir na cueca, voltei pro quarto e ela estava deitada com a bundinha pra cima mexendo no celular… meu pau tava teso e quando vi a calcinha de renda sumindo naquele reguinho, quase gozei só de olhar.
Deitei ao lado dela e comecei a alisar as costas dela, subindo até o pescoço e descendo pela bundinha até suas coxas, a pele dela começou a se arrepiar e ela a suspirar….
– vc quer brincar com o tio?
– vc vai fazer eu gozar, tio?
– se vc quiser, sim!
Nisso ela se virou de barriga pra cima e ia tirar a calcinha, na hora interrompi…
– não precisa tirar!
Ela olhou sorrindo e abriu as pernas… me encaixei no meio delas e comecei a beijar o pescoço, os pequenos seios e fui descendo pela barriga até a bucetinha, dei um beijo por cima da calcinha e cheirei… o cheiro daquela menina era entorpecedor… puxei a calcinha de lado e comecei a lamber os labios fechadinhos dela, quando cheguei no clitóris, ela já mordia o lábio e fechava os olhos… iniciei uma chupada poderosa, o mais incrível foi quando ela começou a erguer o quadril como se cavalgasse na minha boca…chupei a Beatriz por quase meia hora e ela gozou duas vezes na minha boca, quando parei a bucetinha dela tava vermelha e inchadinha. Ficamos deitados abraçados e então começaram as perguntas…
– tio, pq o sr não faz comigo igual como faz com a minha mãe?
– tenho medo de machucar vc!
– ouvi minha mãe falar pra um cara passar um gel pra nao doer!
Fiquei pasmo dela saber aquilo…
– e vc viu ele passando?
– vi, ele passou na bunda da mamãe e fez com ela por trás?
– por trás? Vc sabe como é por trás?
– sei, é aqui! E apontou pro cuzinho puxando a calcinha!
Na hora percebi que já não devia me surpreender com nada, afinal ela via e presenciava as transas da Kamila….
– vc quer que o tio faça com vc por trás?
– quero! Mas tem que passar o gel senão vai doer!
– ok!
Peguei o tubo de ky mandei ela ficar de quatro, duvidava que ela fosse aguentar um pau no cuzinho mas não custava tentar. Com ela de quatro, abaixei a calcinha até as coxas e comecei a beijar a bucetinha e o ânus dela…pensei em deixar ela o mais relaxada possível, quando ela passou a gemer baixinho, passei o ky no meu dedo e fui massageando e introduzindo o dedo devagar, primeiro a pontinha, depois passava mais ky e afundava um pouco mais, até que meu dedo entrou todo, ela falou que tava ardendo mas logo parou, fiquei um tempo com o dedo penetrando o cuzinho dela até estar bem lubrificado, dei mais umas chupadas na bucetinha e apontei a cabeça do pau na portinha, fiquei forçando, fazendo movimento de vai e vem e depois de uns minutos a cabeça passou, na hora ela deu uma contraída e eu parei… fiquei só com a cabeça do pau no cuzinho dela, sentia ela apertar meu pau e as contrações tentavam expulsar a cabeça do orificio…
– Beatriz, se tiver doendo vc fala que o tio tira!
– tá tio, mas tá bom!
Voltei a fazer o vai e vem e entrou mais um pouco, quando tentei colocar mais, ela fez um "ssshhhh" de dor e eu puxei meu pau um pouco…
– aí tio afonso, assim tá gostoso!
Eu queria enfiar até o talo mas não ia machucar aquela princesa correndo o risco dela nunca mais querer fazer anal, deixei o que estava e comecei a bombar mas firme…Gente, já li muitos contos sobre meninas novas e alguns caras contam que transam por horas com essas meninas, mas vou confessar que não aguentei nem 10 minutos, além de muito sexy a bundinha dela, ela era apertada demais e foi impossível segurar o orgasmo muito tempo…a primeira esguichada foi dentro do cuzinho dela e as outras na costa.
Deitamos agarrados e fiquei alisando o corpinho dela, dormimos nus e na manhã seguinte ainda chupei ela no banho até ela gozar.
Antes do almoço a Kamila chegou, conversamos e eu contei o que tínhamos feito, ela sorriu e disse…
– vc não machucou ela não?
– não, fiz com jeitinho!
Conversamos bastante e ainda transamos naquela tarde, com a Beatriz presente é claro. Desde aquela noite a Beatriz ficou mais solta, começamos a nos beijar e a Kamila começou a chupar a bucetinha dela, passamos também a fazer anal de leve até que depois de várias transas, a Beatriz já aguentava boa parte do meu pau.
Bom gente, esse foi o relato de hoje! Depois conto mais sobre outras transas e como foi a primeira vez da Beatriz!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,75 de 32 votos)
Loading...