Quando era militar, eu so gostava de penetrar meninos novinhos

Autor

Acreditem: Aguenta!

Ola, nao sei porque criaram essa forma de iniciar um conto: "sou isso", "sou assim" e tal kkk. E o pior, é que a maioria mente rs. Bem, meu nome é "MilitarRJ" rsrsrs e vou contar o que aconteceu quando eu estava no quartel.
Eu era do interior e vim servir no RJ nao conhecia nada e fiz amizade com um colega de companhia. Ele era um cara muito legal e frequentava uma igreja evangelica. Vou contar essa historia pois ontem li aqui um conto de pai e filho e me recordei do fato. Esse meu colega chama-se Fabio e ficamos logo amigos e passei a frequentar sua casa. La moravam sua mae viuva, uma irma e o filho dela, um menino de uns 9 de idade. A irma de Fabio vivia mais na rua que em casa e era a D.matilde quem cuidava do neto. As vezes ia com eles para a igreja e eu ate gostava porque nao fumava e nem bebia e nao conhecia ninguem, mas o motivo desse conto é que desde o primeiro dia em que comecei a frequentar a casa de Fabio, o seu sobrinho nao me largava. Sentava no meu colo e me seguia pra todo canto. Um dia cheguei com meu amigo e o garysinho da igreja e Fabio disse que teria que ir na casa de um conhecido e que nao me levaria pois era bem dentro da favela e era perigoso.
Ele saiu e D.matilde foi cuidar de seus afazeres deixando o menino que ja estava sentado no meu colo. Todas as vezes que ele sentava no meu colo meu pau ficava duro e eu ia ao banheiro mijar e ficava em pe pra o pau baixar. Mas assim que sentava, ja vinha ele se sentar novamente. Nesse dia ele colocou a mao por debaixo da bundinha e segurou meu cacete. Me assustei. Tentei tirar a mao dele mas ele insistiu e acabei deixando. Meu pau tava tao duro que doia preso na cueca, ai resolvi arriscar ja maliciando pra rolar uma safadeza com aquele garotinho rsrsrs. Levantei e fui ate os fundos da casa procurar D.matilde com a desculpa de pegar cafe na garrafa termica. Ela veio comigo ate a cozinha e disse que teria que ir na casa de uma vizinha levar umas ervas pra fazer cha. Tudo estava conspirando pra rolar uma sacanagem com o gurizinho rsrsrsr Assim que ela saiu sentei numa cadeira pra ficar de olho no portao e o garoto veio e segurou meu pau que começou a crescer novamente. Olhei pra ele e perguntei se ele queria ver e ele balançou a cabeça afirmativamente. Fiquei em pé e botei meu pau pra fora. Ele olhou e veio pegar. Confesso que senti tanto tezao que quase gozo. Ele continuou a esfregar meu pau e, sem que eu pedisse chupou. Nossa, o gurizinho chupou muito gostoso a minha rola. Aquela boquinha pequena era macia, e fiquei louco. Puxei ele pro banheiro e ele voltou a me chupar. Em pouco tempo gozei e o danado engoliu toda a minha porra. Enquanto me limpava ele baixou o short e virou sua bundinha pra mim, mas nao quis arriscar (tb pelo fato de ser muito novinho poderia machuca-lo) e assim que chegamos na sala meu amigo chegou. Ele ma disse que tinha achado um quarto proximo da casa dele que estava alugando, eu ja procurava um lugar pra morar pois nao queria ficar nas minhas folgas no quartel e saimos pra ver. Gostei e aluguei. O quarto ja era mobilhado mas so nao tinha o colchao. E dois dias depois eu ja estava morando la e tinha combinei com D.matilde que faria minhas refeiçoes na casa dela mas que ajudaria com as despesas.
Uma semana depois eu estava de folga no sabado e meu amigo estava de serviço. Tinha acabado de almoçar quando D.matilde disse que precisava ir na casa de uma irma que morava em outro bairro um pouco distante e estava receosa de levar o neto pois estava chovendo. E eu ja sentado com o garoto no colo e de pau duro prontamente me ofereci pra ficar com ele e que levaria para meu quartinho – isso e se ela permitisse – ouvindo isso ela ficou contente e disse que voltaria la pelas 18hs. Nos despedimos e levei o mulequinho e fomos pro meu ap.
Era um pouco mais de meio dia e eu teria umas cinco horas pra brincar com o gury. Liguei a tv e ja fui tirando minha roupa, ele me vendo pelado tirou as roupas tambem, e me olhava com cara de safadinho (ele ja sabia o que iria rolar, o danado) deixei ele chupar minha pica e gozei tudo na boquinha dele novamente – eu ja nem ligava pra idade dele, eu so queria gozar. Depois deitamos na cama e meu pau tava meia bomba e mandei ele chupar. Quando ficou duro deitei ele de bunda pra cima e passei um creme de cabelo que era bem escorregadio. Coloquei meu pau na portinha do cuzinho da crianca e fui forçando. A cabeça entrou e nao parei ate a minha pica estar toda dentro do cuzinho infantil dele. Entao comecei a socar naquele cuzinho apertado ate gozar.
Nesse dia dei mais duas gozadas no cu dele que ficou todo aberto, todo arrombado.
Quando estava chegando a hora da avo dele voltar ficamos vendo tv e fiz algumas perguntas pra ele pra saber quem tinha feito com ele antes porque com certeza ele ja tinha dado, pois foi facil meter no cuzinho dele sem machucar. Ele no começo nao queria contar mas acabou dizendo que era um namorado da mae dele que fazia e que a mae as vezes fazia ele chupar sua xereca enquanto o namorado comia seu cu. Tudo isso ele contou do jeito dele mas deu pra entender. Ai ele me surpreendeu dizendo que o tio nem a avo podiam saber, e com essa tive que rir rsrsrs e pedi pra ele nao contar pra mae dele o que nois tinhamos feito.
Se passaram duas semanas e eu enfiado ferro no cuzinho do menini. Nem precisava mais do creme de cabelo, so fazia cuspir no meu cacete que ela dealizava gostoso pra dentro do cu do menininho. Ate que um dia a mae dele foi no meu app e disse que nao entendia porque eu nao conversava com ela, ai eu respodi que sabia que ela tinha um namorado e eu nao queria encrenca. Ai ela falou: mas voce se da bem com meu filho e eu dou a maior força. Na hora nao entendi direito, mas percebi que ela estava sabendo que eu comia o muleque. Desconvercei mas ela insistiu dizendo que nao ligava e se eu quisesse podia fazer numa boa, que ele poderia ate dormir aqui comigo, que eu poderia continuar penetrando nele. E pra piorar me pediu um dinheiro. Foi quando percebir o que ela queria. Mas bem, gostando ou nao, nao tive escolha, tive q da uma grana pra ela.
Uns dias depois pintou uma oportunidade de ser transferido pra outro estado e eu nao pensei duas vezes: topei. Tomei essa decisao pois ela usava drogas e poderia acabar falando pra alguem. Nunca mais vi o meu amigo e o seu sobrinho depois que deixei o estado. Tb nunca mais voltei pra la. Hoje tenho um filho da idade do mulequizinho naquela epoca. E assim como ele, o meu filho tb ja quica na minha pica.
E é isso. Espero que tenham gostado do meu relato. Abs.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,05 de 39 votos)
Loading...