Jane-1-ja não sou virgem

Autor

Moro em Portugal,numa casa grande na zona de Lisboa. Vivo com o meu pai,com a minha madrasta e com os dois filhos dela, o Diogo tem 17 e o Francisco tem 18.
Meu nome é Jane, tenho 17 anos, 1,59m, seios grandes e bunda gostosa.Frequento a mesma escola que os meus irmãos, então de manhã nós vamos juntos,mas hoje isso não aconteceu,eles tinham uma visita de estudo, assim chegando as nove horas a casa.
A caminho de casa, as sete horas da noite, tinha que passar numa rua escura, onde não há iluminação.
Ouviam se barulhos atrás de mim,então resolvi acelerar o passo, até que sinto uma mão enorme a tapar me a boca por tras, dizendo me: quietinha, as meninas bonitas não gritam.
Ouvindo isso fiquei apavorada e tentei me soltar, mas era impossível. Apaguei por completo.
Acordei numa divisão com pouca iluminação,mas dava para ver que estava deitada numa cama , num quarto de luxo.Levantei me e fui á janela, era uma casa muito grande.ouvi uma porta a bater, fui logo para cima da cama com medo: Ora ora a Cinderela já acordou!
Era um negro bastante alto(2m) e muito musculado: Despe te.disse ele sentando se na cama ao meu lado.
Eu neguei, fazendo o ficar furioso: o que é que eu disse?agora!!
Obedeci.prontos, já estava nua, foi quando ele me agarrou pela cintura com muita força e colocou me ao colo dele.ele disse me que eu era muito bonita,nisso, abriu me as pernas e começou me a masturbar: és virgem? Eu acenei com a cabeca- então vai ser muito divertido.
Ele amarrou me naquela grande cama, ficando com os braços em cima da cabeça e as pernas todas abertas.
Ele já estava nu, ele devia de ter uma pila de 25cm, era enorme e super grossa.Comecou a chupar me as mamas e a morde las, o que doia bastante.Desceu e começou a chupar me a buceta,e eu soltei vários gemidos enquanto chorava de medo.Parecia que estava a gostar, mas estava apavorada ao mesmo tempo.Ele fazia movimentos com a língua muito bons e eu não conseguia ficar quieta, até que gozei pela 1°vez,dei um gemido enorme.
Ele levantou se e riu se de mim dizendo que eu era uma putinha.Ele aproximou se de novo e colocou aquele monstro na minha boca. Engasguei me várias vezes até ele gozar tudo na minha boquinha pequenina.
Ele voltou a descer,e começou a pincelar na minha bucetinha,como é que ele queria que aquele monstrão entrasse??
Passado um bom tempo conseguiu arrombar me. Doeu me bastante. Eu chorava muito e gritava a dizer para ele parar, mas ele apenas continuava e beijava me a testa mandando me acalmar.Ele gozava várias vezes e eu nada.
Ele ficou assim durante uns 15 minutos, até que se fartou e pôs me de quatro. Eu nao me conseguia aguentar naquela posição, ele ralhou bastante comigo e ainda deu me um bufetao na cara a dizer que eu era uma merda.Eu chorei muito e só queria morrer nessa hora.Ele mandou me acalmar e deitou me na cama, e fizemos a posição pai e mãe.
Comecei a gostar, nem sabia o que se passava comigo.Como é que era possível gostar se estava a minha buceta toda arrombada e a sangrar??Devia de tar louça, mas mesmo assim a chorar,eu gemia bastante, e ele ria se.
Depois disso tudo ele deu me um banho e vestiu me dizendo me que eu era dele.Deixou me em casa, e antes de eu sair do carro ele deu me um beijo na testa.
Quando eu entrei em casa o meu pai ralhou bastante , a dizer que me tinha telefonado várias vezes, e quando eu dei por isso,não tinha o telemóvel comigo.Que bom,não só me roubaram a virgindade como também o telemóvel.
Espero que tenham gostado, isto é uma série que estou a tentar fazer, em breve sai outro conto,beijos😘.
(Contos são fictícios)

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,33 de 12 votos)
Loading...