Brasil colónia-Meu escravo sexual

Autor

Um dia ensolarado brilhava mais uma vez nos canaviais de açucar,o senhor de engenho tomava seu café feito pela negra com sua mulher e sua filha de 8 anos .Os negros trabalhavam na plantaçao.Só mais um dia normal.
O senhor,"Senhor Alfredo"é jovem herdou a fazenda do seu pai tem somente 35 e comanda com mao de ferro.É bonito,jovem,cabelos castanhos,olhos azis,magro,com um sorriso lindo e um sotaque impecavel.
Saido da sala estará a aguardar o capataz chegar ,o que estava a demorar,logo o capataz chegou
-Senhor,o que queres,mandou me chamar?
Perguntou o capataz
-Sim,estava a tua procura,quero que leve minha mulher e minha filha pra cidade,Rosa disse que queria comprar roupas para ela e para clara.Aproveite e antes de ir mande um dos filhotes de preto aqui,de preferencia um sem pai.
Respondeu o Senhor.
-Sim senhor
Respondeu o capataz
Logo veio um capataz com um jovem menino de 8 a 10 anos,preto,cabelos baixos encaracolados e pretos,so vestido com uma bermuda suja de fuzilagem,o menino fedia .
-Menino,siga-me
O senhor levo-o até o banheiro o deu sabonete,entregou uma bermuda nova a ele e o mandou tomar banho e se lavar bem em todas as partes.
O menino saiu do banho limpo,recebeu comida,que foi comida rapida como se nao comesse nada a muito tempo.
-Obrigado!
Agradeceu o menino.
-Porque esta fazendo isso?
Perguntou o menino.
-Siga-me
Disse o senhor .
Ele levou o garoto pra um quarto nos fundos.O quato era limpo mar tinha correntes,chabatas,facas,pedras ensanguentadas…O menino quase nao entro mas foi empurrado.
-Senhor o que estamos fazendo aqui?
Disse o menino assustado.
-Nos vamos brincar um pouco pretinho
Disso o jovem senhor com um sorriso em seus labios.
O menino tentou correr até a porta, mas o Senhor o segurou pelos braços e prendeu seus braços e pernas as correntes da cama,o menino se debatia na esperança de se soltar.
O menino começou a berrar .
O senhor pegou a chibata e bateu com força nas costas nua do garoto.Ele gritou de dor instantaneamente e depois se encolheu chorrando.
-Se continuar gritando vai ser pior seu imundo
Disse o senhor tirando sua roupa e logo depois a calça do menino que agora estará quieto.O senhor sorriu com desprezo,pegou agua e jogou na bunda do garoto,linpando bem cuzinho e enfiando e dedo,fazendo o menino se contorcer
-Isso,assim,bem gostoso
Disse enfiando o dedo mais fundo e fazendo-o se contorcer, enfiando cada vez mais em mais rasgando um pouco o cuzinho do garoto e o fazendo sangrar um pouco e chorar.Logo depois ele foi pra frente do menino,e passou seu pau na cara dele.Um pau grande e branco,cheio de veias,uns 19 cm que incomodava o menino em seu rosto.
-Bota na boca- disse o senhor dando um topa forte na cara do garoto -vamos putinha bota na boca, e se morder morre.
O garoto botou na boca e começou a engasgar com o pau do senhor mesmo sem chupar logo ele ficou duro ,o senhor ofegava,e fazia umas caras q o garoto nao entendia empurando o pau na boca do garoto.Entao ele sorriu e enfiou de vez e instantaneamente o menino vomitou.O patrao riu.
-Hehe Parece que voçe tem futuro como
puta garoto,hum,gostou disso nao é mesmo?
Disse presunsosamente.
-Que tal mostrar a que você serve
O senhor foi a té a lareira e pegou um ferro em brasa que tinha suas iniciais e o presionou contra as costelas do garoto o marcando como produto ou gado.O menino se contorcia de dor era visivel,assim como o sorriso de seu senhor ao ver a cena.Com prazer o senhor passava a mao sobre sua marca sentido sua elevaçao e seu poder sobre o menino.
-Parece que ainda falta um pouco de respeito em você pretinho sujo,deveria ser grato a mim.Vou lhe ensinar uma liçao.
Disse o senhor pegando o chicote e começando a bater nas costa o menino que agora estavam vermelhas e tinham como acompanhamento os gritos de dor e o chorro dele
-Isso mesmo pretinho sente isso!Gostoso né?
Gritava o senhor com sorriso no rosto.
Parando de manusear o chicote ele fala:
-Que tal brincarmos agora
Um sorriso malicioso surge no seu rosto novamente,ajoelhando-se atras do garoto abre o cuzinho dele e da uma bela lambida e logo começa a enfiar o pau no cuzinho do garoto que novamente se contorcia e chorava enquanto ele enfiava e gemia assim como o menino .
-Isso assim mesmo!Você quer esse pau né garoto sujo?!!!
O goroto de 4 sentia o pau entrando com força e sentia seu corpo reagindo,sentia o senhor passando a mao sombre o seu corpo,sua bunda ,suas feridas ardendo.E direpente as unhas do senhor eram sentidas lacerando suas costas e com velocidade as metida cada vez mais ficavam forte,o garoto gritava de dor e o sangue escoria pelos lençoes e pelo seu corpo,o vomito fedia em seu corpo humilhado.
-aasssim que você gosta nao é seu negro sujo!?Sua escoria!!!
O senhor cuspia e lacerava as costa do garoto com suas unhas .Ele enfiou o pau ate o talo e abraçou o garoto enfiando as unhas na barriga dele e fazendo-o sangrar mais
-Minha putinha
Disse o senhor metendo mais e pegando a facas sem parrar de meter enquanto o menino se debatia e gritava,enfiou uma em cada mao o prendendo ao colchao mesmo com seus pulsos amarrados a correntes, ele quase desmaiou com a dor,mas n parava de gritar e chorar
-É assim que eu gosto da minhas putas sujas!Sua serventia é me dar prazer
Disse o senhor mordendo-o com toda força nas costa ja laceradas do menino e e com sangue em sua boca cuspio no menino e começou a rir,pegou a faca,puxou a cabeça do menino
-Me sinta dentro de você putinha negra
Logo Enfiou a faca com força nas costa do menino que tussia sangue e continuava a receber facadas repetivas e gargalhadas de um homem que estava gozando no seu cu e que continuava meter ,logo ele parou tirou a faca das costas do garoto e o abraçou sem tirar o pau de dentro, sangue escoria entre os dois.
Ele levantou e disse pingando de sangue.
-Droga ,usei pouco a chibata,da proxima vez eu uso mais.Parece que essa putinha negra foi bem feita pro trabalho.
Ele saiu e deixou a limpeza pro capataz como sempre
…Continua

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,52 de 31 votos)
Loading...