As Japinhas Gêmeas 4 – O cabacinho da Myuka

Há 7 meses Por 16 ★ 4.76

Estou de volta meus amigos. Desculpe a demora e porque estou sem tempo mesmo. Gostaria de dizer que estou adorando compartilhar essa experiência com vocês. Agradeço todos os votos.
Quem ainda não leu as partes anteriores e so pesquisar as Japinhas Gêmeas e vocês verão as três partes anteriores a esta.

Então vamos la.

Após marcar nosso encontro, fui ansiosamente dormir, afinal, no dia seguinte ia encontrar Myuka, minha deusinha oriental de 12 aninhos.
Acordei as 5:30 da manhã e não dormi mais. Duas horas antes do horário que saio pra trabalhar e durante esse tempo todo so iaginava a minha japinha.
Como moro sozinho, aproveitei dei um grau no ape, principalmente no quarto, deixando no ponto.
Tomei café e fui para o trabalho. Mesmo excitado não bati uma punheta pois queria deixar todo meu sêmen a minha japinha caso rolasse algo.
A bosta da hora não passava. Plena segunda feira a eu querendo sair correndo pra casa. Saio as 12:30. Pronto. Hora de pegar o beco. Entro no carro e antes de chegar em casa compro umas besteiras caso venhamos fazer um lanche. Refrigerante, batata ruffes, iogurte, biscoito recheado e um pote de sorvete.
Chego em casa e vou ajeitar as coisas na cozinha e olhando pela janela la embaixo, quem eu vejo? Sim…as duas irmãs japonesinhas que acabavam de chegar da escola com seus uniformes e mochila nas costas. Myuka me vê e da um tchauzinho, eu respondo com outro tchau, sua irmãzinha me ve e da um sorriso.
Será que a Myuka contou algo pra ela?

Espero meia hora, olho o whatsapp e vejo que ela está online. Quero saber se ela virá e mando…
– Oi
– Oi
– Tudo bem, minha princesa?
– Sim. E com você.
– Maravilhoso porque vi vc a pouco. Mas quero saber se vc vira aqui.
– Sim. Meu irmão e minha irmã vao pro curso e eu ficarei sozinha. Assim que eles saírem eu vou ai.
-Ok. Não vai me dar bolo viu (carinha chorando)
– Rsrsrsrs vou não amor (carinha mandando beijos).
Almoço bem pouco. Tomo um banho e a aguardo.
Quando da 14:30 eis que a campainha toca, meu estômago embrulha, meu coração dispara. Eu com 40 anos, que ja comeu tantas mulheres, nervoso pra um encontro. Medo e desejo me consomem. Vou atender a porta. Pelo olho mágico vejo minha ninfetinha oriental. Por sorte, nenhum dos meus vizinhos possuem olho mágico nas portas.
Abro e rapidinho ela entra. Não queria que ninguém a disse.
Nossa…chegou com um vestidinho cinza coladinho, tinha acabado de sair do banho, cabelos ainda molhados, exalando um perfume maravilhoso.
– Você e muito mais bonita assim, de pertinho. Está linda.
Ela sorri meio que envergonhada e baixa o rostinho. Pego em seu queixo e levanto com dois dados e digo que estou falando a verdade.
– Obrigada!!!
– Você realmente quer namorar comigo, Myuka?
– Sim mas tenho muito medo.
– Qual seu medo, amor?
– Você e mais velho e nunca fiz isso.
– olha eu também tenho medo por você ser mais nova, medo de alguém saber, isso pode me prejudicar muito. Mas estou muito apaixonado por você.
– Eu também.
Abraço, me afasto e beijo sua boquinha. Nossa que delícia. Mesmo ela desajeitadinha, a sensação foi maravilhosa. Ficamos so nos lábios inicialmente, estou com as maos nas costas delas enquanto inclino para chegar a seus labios e ela levanta sua cabeça.
Pego pelas maos e a levo pro sofa. Sentados continuamos a nos beijar. Estou de camiseta e uma bermuda surfista sem cueca. Meu pau começa a se manifestar e ja quer rasgar a bermuda.
Beijando-a, começo alisar seus braços e com outra mao começo a esfregar levemente suas coxas. Myuka de olhos fechados vai se entregando.
Começo a levantar seu vestidinho levemente e não ha nenhuma resistencia. Bem devagar vou me inclinando pra trás e trago minha bebezinha pra cima de mim. Ela parece ter entendido o recado. Não falávamos nada. Apenas nos beijavamos e eu a tocava. Nessas alturas meu pau esta estourando, vou esfregando ele nas perninhas dela e a conduzo para que sua bucetinha pudesse sentir o volume dele.
Minhas maos percorrem cabelos, costas e chega no bumbum dela. Começo a apertar bem de leve e vem o primeiro gemidinho dela. Ela sai da minha boca, da uma olhadinha pra ver onde estão minha maos e volta a me beijar.

Nessas alturas bem medo me passa pela cabeça, pois vou levantando seu vestido quando sinto aquela bundinha quentinha. Fico com a mao por cima da calcinha. Ela faz o mesmo gesto de olhar pra trás. Que cena. Ela volta a me beijar. Começo a percorrer os dedos das duas pela lateral da calcinha ate que eles se encontram no reguinho da.minha ninfa oriental.

Mais um suspiro, dessa vez e mais alto. Levemente com o dedo da mao esquerda procuro seu vizinho e o encontro. Myuka se contorce quando com a mao direita abro suas nadegas. Ela manifesta um olhar assustado. Para de me beijar.
Tiro uma mão de sua bundinha, coloco em sua nuca e devagar forco sua cabeca até encontrar novamente seus labios. A outra mao agora entra toda por dentro de sua calcinha. DESÇO um pouco sua calcinha, que bundinha lisa, durinha, ainda não pude ve-la por completo.
Com a outra mao desço mais a calcinha da myuka, que era essas estilo cuequinha amarela com detalhes brancos.
Sinto sua bucetinha em minhas pernas, ela e tão lisinha, quentinha, pequenina.
Levanto ela, ficamos em pe, ela com a calcinha na altura da coxa. Ajoelho-me e desço sua calcinha. Mesmo com o vestido cobrindido, myuka leva a mao falando sua bucetinha.

Volto a beija-la em pe. Pego seu bracinho e faço com que sua mao deslize sobre o meu pau. Myuka para de me beijar e olha. Olha com admiração. Meu pau fazendo imenso volume na bermuda e ela percorrendo com sua mãozinha toda sua extensão. Que sensação maravilhosa.

Sem falar nada, seguro sua mao e a conduzo para meu quarto e sem cerimônia tiro o seu vestido e me deparo com a cena mais linda que um homem pode ver e ter: aquele corpinho oriental de coxinhas firmes, de uma bucetinha minuscula e sem um fiozinho se quer de pentelho. E os peitinhos? Tão pequeninos que são os primeiros a ser desfrutados por mim.
Chupo-os e Myuka geme, geme muito, passa suas maaos em minha cabeça. Começo a descer, me ajoelho e começo a lamber sua barriguinha bem gostoso, bem magrinha com cinturinha violao. Minha maos percorre suas nadegas gostoso.
Myuka respira bem rápido, continua com as maos em minha cabeça e não resistindo, me abaixo mais e vou em sua bucetinha chupa-la.
Que cheirinho dos deuses. Que gosto sensacional e e so pela rachinha apenas nada de enfiar la dentro.
Myuka olha pra mim, eu olho pra myuka. Conduzindo ela de costas, a sento na lateral da minha cama que é alta por ser você novamente começo a chupa-la. Suas perninhas estão fechadas e vou abrindo-as levemente então pude ver aquela xaninha em toda sua plenitude.
Meto minha língua em torno dela, myuka com uma das maos em minha cabeça suspira e joga a cabeça em direção ao teto de olhinhos fechados.
Meu, Deus como esta molhadinha….
Desabotoo minha bermuda, meu pau quer aquela menininha de toda forma, mas so penso em chupa-la.

Depois de uns 5 minutos me deliciando com um nectar oriental de uma garotinha me levanto e tiro minha bermuda.
A japonesinha arregalou os olhos quando viu o tamanho do meu pau de 22cm que estava duro como pedra.
Pego sua mãozinha e faço ela pegar. Ajeito pra ela me punhetar e conduzo suas maos fazendo o movimento. Olho os braços dela e meu pau e quase da mesma grossura. Não posso machucar minha bebê, pensei.
– Amor, agora vc vai me chupar.
– como assim?
Faço ela se levantar e se abaixar, ela fica com seus olhinhos puxados para meu pau que não para de soltar secreção.
– Amor, coloca a cabecinha na boca, e so abrir.
Myuka faz um esforco descomunal para abrir a boca e colocar a cabecinha. Ela ficar paradinha. Nada faz.
– Amor,fica beijando ele, passa a língua e ai vc coloca ele na boca.
-Não da! E muito grande. Não consigo.
Quando ela falou isso fiquei louco. Novamente conduzi sua cabecinha em direção ao meu pau e meio que forcei. Ouvi um certo barulho de sua mandibula quando ela abriu a boquinha.
Myuka tirava, beijava e colocava noamente na boca. Seus dentes as vezes raspavam no meu pau e era uma dor maravilhosa que eu sentia.
Deitei e ela veio por cima, ficando de quatro e ficava so beijando a cabecinha e lambendo a glande.

Peço pra ela se virar, trazer a bundinha em minha direção e apesar de um pouco de dificuldade pra entender o pedido, ela se virou e pela primeira vez pude ver toda formosura do seu bumbum. Sem um risquinho de varizes. E aquele cuzinho? Oque era aquilo? Tão pequenino. Pensei, talvez nem minha língua entre ai quer ver o meu pau.

Ela volta a beijar, lamber e tentar chupar meu pau, enquanto isso passo minha língua em seu cuzinho. Nossa que gosto sensacional. Abro suas nadegas e procuro enfiar a lingua naquele buraquinho minúsculo.
Myuka geme, para de me chupar, faz uma carinha de prazer de olhinhos fechados. Vejo tudo pelo amplo espelho do meu guarda roupa.
Minha língua sai do seu cuzinho e vai pra bucetinha bem molhadinha. Como uma menininha de 12 anos consegue se molhar tanto.
Myuka não me chupa mais, só quer ser chupeta, começa a gemer alto, a respirar forte, sinto que ela terá seu primeiro orgasmo. Envio levemente o dedo mindinho em seu cuzinho enquanto minha língua treme em seu pequenino clitóris.
-Ahhhhhhhbbhhbbhhhhh!!!!!
Myuka goza enquanto apenas segura com sua maozinha meu pau e eu sinto pela primeira vez um gozo virgem em minha boca.

-Amor, você gozou. Teve um orgasmo.
-Foi? So sei que me tremi muito.
– Você gostou?
– Muito. Muito bom, amor.
– Agora e sua vez de me fazer sentir o mesmo.
– Está bem.
Levanto-me, abro uma das portas do guarda roupa e tiro de uma gaveta um lubrificante ky.
Myuka olha atentamente eu passar no pau.
Peço pra ela se deitar e dobrar as perninhas. Unto os dedos e coloco em sua bucetinha.
– O que e isso amor?
– E porque vai doer um pouquinho. E pra vc não sentir dor.

Ela olha assustada meu imenso pau próximo de sua bucetinha. Se eu colocar tudo essa menina morre, pensei. Mas não deixarei outro tirar esse cabacinho.
Miro meu pau na entradinha, afasto uma de suas pernas pra ficar mais aberta.
Tento e ela ja sente a dor. Peço calma, pra elacrelaxar. Digo que a dor e so na hora.
Meu pau quer se abrigar naquela minuscula vagina.
Deito-me por cima dela pra facilitar, a beijo a fim de relaxa-la, sinto seu coração acelerado e sua respiração afegante.
– Te amo, Myuka. Confia em mim. Não vou machuca-la.
Beijo ela novamente e quando a vejo mais relaxada enviado novamente meu pau em sua vagina e forco a entrada. Ela geme, faz carinha de choro, a cabecinha está dentro. Ela parece querer me morder.
– Aiiiiiii, tá doendo. Ta doendo. Doi muito.
-Calma amor, ta entrando a dor vai passar.
Cabeça entre e ela urra de dor com os olhinhos em lágrimas, sinto que eu a rasguei. Um dor gostosa consome o meu pau.

– Aiiii e muito grande. Está me machucando!!!
-Calma amor. Ja esta dentro. Fica paradinha pra não se machucar.
-Tira um pouco. Está doendo muito!!!.
Pensei, se eu tirar ela ver a o sangue e desistirá. Então empurro um pouco mais pra ela não ter qualquer chance de sair. Nessa empurrada percebo definitivamente que seu himen se foi.
– Fico parado e a carinha de choro começa a mudar de fisionomia. Apenas o coração acelerado e a respiração ofegante não muda.
Fico assim sem me mover, sem meter ou tirar, sem bombar. Começo a beija la. O beijo ja não é o mesmo. Ela parece nervosa.
-Amor não vou mais machuca-la. Ainda dói?
– Sim, um pouco.
– Me beija. Assim você ficará relaxada.
Ela me beija e eu decido enfiar mais uns centímetros. Ela me beijando abre os olhos.

-Aiiii…devagar.
– Tá bom, amor.
Achei que dava pra dar umas bombadinhas e devagarzinho começo um vai e vem, sem meter mais nada.
O aiii de Myuka agora e mais baixinho. Sinto que alguma coisa líquida quente molha o meu pau.
Fico num vai e em delicioso. Sem machucar meu amorzinho. Eu continua a beija-la e ela geme, mistura dos e prazer naqueles gemidos.
Mais alguns centímetros e ela não reclama. Afasto-me, me levanto para ficar de joelhos fazendo enorme esforço pra não tirar meu pau. De joelhos vejo que um pouco mais da cabeça do meu pai entrou.
Myuka, olha e vê o meu pau na sua bucetinha. Começo de joelhos a bombar, sem meter mais nenhum centímetro.

– Que delícia, amor. Eu te amo. Te amo muito.
Vou gozar. Vou gozar gostoso.

Retiro meu pau e gozo direciono meu pau na barriginha da myuka. Umasgotas de porra alcançam seus seios pescoço e queixo. Que delícia. Nunca gozei tanta porra.

Myuka fica assustada com a porra espalhada em seu corpo. Olho pro lencol vejo que sangue ocupa o mesmo. Não quero que myuka se assuste. Deito ao lado dela e começo a beija-la. Ela meio ainda assustadA e coberta com minha porra me beija. Ficamos assim por uma três minutos se beijando e angustiada com a porra em seu corpo, ela diz que quer tomar um banho.
Falo onde está a toalha e ela sai. Vi que tem sangue na sua virilha. Torço pra ela não se assustar quando ver.
Ela sai e não olha o lençol e eu não perco tempo e troco imediatamente o mesmo, enquanto ela se banha.
Vejo que filetos de sangue estão no meu pau. Sinto-me orgulhoso. Eu quarentao fiz uma japonesinha linda de doze anos se apaixonar por mim a ponto de ser o primeiro homem dela.

Como um verdadeiro macho realizado pego uma toalha e vou para o banheiro e vejo minha ninfetinha oriental olhando pra sua bucetinha, vermelha e agora arrombadimha. Ela me ve, se assusta e eu digo que a amo, que foi maravilhoso e que a partir daquele dia ela não sentira mais dor.
Pergunto se ela sente dor e ela diz um pouco. Falo que logo passará. Ela disse que sangrou e eu falo que era a virgindade dela.

Começo a beija-la novamente e juntos vamos pra baixo do chuveiro. Passo a mao em seu corpinho e de forma surpreendente ela começa a punhetar meu pau. Meu pau começa a endurecer, ela percebe isso. Peço pra ela chupar meu pau todo molhado e ela como uma gueixa submissa o coloca na boca e em fração de segundos meu pau estava Durão e enorme em sua boquinha. Levanto ela, viro ela de frente pra parede e de bundinha arrebitada pra mim… esfrego meu pau em seu reguinho, que bundinha durinha e arrebitada e ela com suas maos na parede so sente meu pau em sua bundinha enquanto somos molhados pelos pingos d’água do chuveiro.

Pegobum sabonete líquido, abro suas nadegas e coloco dentro do seu cuzinho. Ela olha surpresa com isso, mas assustada mesmo ficou quando a puxei pela cintura e meu pau ficou entre suas nadegas com a cabeça na entrada do seu cuzinho e…

Na próxima, a depender dos comentários e da avaliação de vocês, conto como arrombei o cuzinho myuka e como sua irmã gêmea entra nessa história.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,76 de 74 votos)
Loading...

Por

16 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    Acho tudo mentira, voce nao diz quando e como conseguiu o whatsapp delas!!

  2. Bryant

    Que bom adorei o conto!!!
    Quero saber mais

  3. emanuel

    senhor Anônimo então o caso o conto de lilica pai e filhinha você diz que é pedófilia e agora diz que tem um caso com uma menina de 12 anos a lilica é um pouco mais nova desculpe você é maluco eu já leio contos eróticos desde 2014 e o que mais gosto os contos de virgens e incesto o senhor devia ler um conto( a cracuda e a sua finlha nova) essse conto a menina tem quase 10 anos eu já deixei o meu comentário nesse conto se você o ler conserteza que vai comentar e por favor não desista e não ofenda ninguém eu espero pelo seu comentário até um dia destes

  4. emanuel

    Só aqui no contos cnn é que há contos como o seu parabens e já estou também já estou á espera de ver o outro cabaço ser arrancado por si e se foi o caso e uma pergunta você não gosta de gozar na boca é que homens tipo como o senhor eles gostam de ve-las a beber e continue assim está fantástico

  5. Carlos

    Muito bom, continue, fiquei com um tesão enorme.

  6. grisalho

    Continue por favor, rico em detalhes, bem escrito0 e organizado.

  7. Sedutor86

    Muito excitante! Gozei antes de terminar de ler… to ansioso pelo proximo!

    • Japonês Pintudo

      Claro,foi vc msm que escreveu otário,o mesmo que inventou a história da novinha de 11 aninhos da pensão

  8. Anônimo

    Eu ja tive essa experiencia. Eu 32 e ela 12. Meninas mais evoluídas intelectualmente preferem homens em vez de moleques. Namoro escondido com ela. Sou casado!

  9. Anônimo

    Esta muito bom, bem escrito e organizado. Ótimo conto

  10. Annonomys

    Show de bola

  11. Anônimo

    Muito bom o relato!

  12. Pachecao

    Delicia de conto me exitei só me resta agora bater uma gostosa Punheta pensando nesta gostosa putaria…. Por favor continue pois é super exitante.

  13. Carlos

    Muito bom parabéns

  14. Anônimo

    Cara, continua Mano. Está sensacional. Adoro garotas assim.
    Vamos votar e comentar galera.
    Se não não vai rolar continuação

    • Japonês Pintudo

      Blza,vamos comentar sim
      O cara que escreveu este conto já comeu muitas mulheres sim,mas só na cabeça dele e na base da punheta