A novinha de 11 aninhos da pensão

Autor

Olá pessoal, o que vou narrar é algo que começou há cerca de 3 meses… sou professor e sócio de um cursinho no interior e recentente abrimos uma filial em uma cidade vizinha a matriz. E eu fui encarregado de dar suporte na nova unidade, tendo que ficar a semana inteira longe de casa, acontece que em certo fim de semana resolvi não voltar pra casa, estava cansado e quis me poupar da viagem. Lembro que naquele sábado, fui a um balneário que ficava numa fazenda, era bonito, tinha um igarapé e algumas cachoeiras pequenas, tomei umas cervejas e fui pra água me refrescar, pois fazia muito calor. Quando entrei na água, uma guria me chamou a atenção, uma moreninha de cabelos ondulados e corpinho esbelto estava tomando banho com seu irmão menor, me aproximei e perguntei se era seguro o local que ela estava, ela acebou que sim e eu atravessei umas pedras até chegar no local que ela estava, a queda d’água formava uma piscina natural. Cheguei perto dela e comecei a puxar asunto… ela disse se chamar Luana e tinha 11 anos, perguntei se ela morava nas redondezas e ela disse que morava na cidade, conversa vai, conversa vem… foi quando percebi que ela estava tomando banho com um shortinho estilo boquinha da garrafa e uma blusinha branca que estava totalmente transparente, o tesão bateu forte qiando vi seus seios ainda em formação com biquinhos marcando a blusa… ficamos alí batendo papo e de vez em quando eu esbarrava nela pra ficar em baixo da queda d’água… em dado momento, a mãe dela se aproximou oferecendo um saco de batata frita, ela saiu da água e pude ver aquele corpinho molhado, a bundinha dela era redondinha e firme assim como suas pernas… pra minha surpresa, a mãe dela me ofereceu, eu aceitei e comecei a puxar assunto, ela se chamava Cléo e ela disse trabalhar na pensão que eu estava hospedado, fiquei sem graça por não a ter reconhecido mas enfim… no final da tarde nos arrumamos pra voltarmos e ofereci carona a ela, percebi nessa hora que ela era bem humilde pois ficou empolgada em andar de carro, voltamos pra cidade e eu a deixei em casa que ficava perto da pensão…
Quando cheguei, fui tomar um banho e bati uma senhora punheta imaginando o corpinho da Luana, na quela noite não as vi mais…
No dia seguinte, quando ía saindo pra tomar café, a Luana estava ajudando a mãe a fazer faxina na pensão, comprimentei e eis que a Luana pergunta…
– tio, onde o sr vai?
– vou trabalhar, gatinha!
Ela me olhou e sorriu… confesso que aquela guria tava me tirando do sério… quando cheguei pra almoçar encontrei novamente com ela e sua mãe e lhe dei uns bombons que ficam no carro, aqueles que a gente pega como troco…ela ficou super feliz e foi logo perguntando se eu ainda ía trabalhar, respondi sorrindo que sim, nisso a Cléo diz…
– deixa o homem em paz menina!
– tudo bem! Reapondi.
A noite, no caminho de volta, comprei uma caixa de chocolates e dei a ela quando cheguei… ela ficou super feliz, me abraçou e me beijou, aproveitei pra dar um abraço apertado e um cheiro no pescoço, reparei que ela ficou molinha com o cheiro no pescoço… passei a repetir os chocolates todos os dias, sempre aproveitando pra encoxar ela, muitas das vezes com o pau duro que nem pedra, percebi que ela sentia meu pau roçando nela pois sempre dava um jeito de se esfregar em mim.
No fim de semana seguinte, decidi ir ao balneário de novo, convidei a Cléo mas ela disse não poder ir, pois a outra funcionária tinha faltado e a pensão não podia ficar só, nessa hora a Luana fez uma cara de tristeza, quase chorando pedindo pra eu leva-la comigo…
– tio, me leva?
– acho que sua mãe não vai deixar vc sair sozinha com um estranho!
– deixa mãe, por favor?!
– não, vc vai incomodar o moço!
– não seria incomodo nenhum! – respondi já pensando em ficar a sós com aquela ninfetinha.
-tá bom, pide ir, mas comporte-se e obedeça o tio.
Perguntei se ela não queria colocar um bikini e ela respondeu que não tinha, perguntei a Cléo se ela se importaria de eu comprar um pra Luana e ela sorriu dizendo que tudo bem… passamos numa lojinha e comprei um bikini minúsculo pra ela, queria apreciar aquele corpinho. Chegamos no igarapé e ela já correu pra água, na hora que chegamos havia apenas um casal que logo foi embora, nesse momento puxei ela pro meu colo, dentro d’água e ficamos conversando, perguntei se ela tinha namorado e ela disse que não, mas já tinha beijado uns garotos, nisso ela pergunta se eu tinha namorada e eu respondi que não… ela me olhou com um sorriso e eu perguntei se ela queria ser minha namorada…
– mas o sr é mais velho que eu!
– sei fazer coisas que os meninos da sua idade não sabem!
-é? O que?
– só posso mostrar se vc prometer guardar segredo.- ela pensou um instante e concordou.
– ok!
Ajeitei ela pra ficar de pernas abertas de frente pra mim, puxei ela pelas ancas e pressionei a bocetinha dela contra meu pau. Comecei a beijar o pescoço dela, dando mordidas no orelha, levei uma das mãos a bundinha dela e comecei a movimentar ela esfregando a boceta dela contra meu pau…
– tio, isso é gostoso!
Fui descendo até chegar nos peitinhos, foi incrível, eles cabiam inteiros na minha boca e os biquinhos estavam durinhos, chegou o ponto que ela se esfregava sozinha em mim… não aguentei muito e gozei, melando minha cueca e meu short, porém ela não parou e meu pau se manteve firme… ela se esfregou até gozar gemendo baixinho…
– vc gostou?
– aiinn tio, isso é muito bom, vamos fazer de novo?
– ok mas aqui não!
– onde?
– vamos achar um lugar!
Entramos no carro e eu achei um ramal onde imaginei que ninguém passaria. Saímos e coloquei ela sentada no capô, me encaixei entre as pernas dela e comecei o esfrega-esfrega, só que dessa vez, tirei a parte de cima do bikini e comecei a beijar a boca dela…. era maravilhoso aquela novinha se contorcendo pra alcançar o gozo… quando ela finalmente gozou, ela deitou no capô com as pernas ainda abertas… não perdi tempo… soltei os laços do bikini e cai de boca na bocetinha dela, estava quentinha e melada, era lisinha com o clitóris saltando entre os lábios… lambi, chupei e ela só gemia baixinho… quando deixei aquela bocetinha totalmente melada, comecei a pincelar a cabeça do pau na entradinha… a cabeça encaixou e fui empurrando com dificuldade até sentir o cabacinho dela… ela me olhava com cara de assustada mas eu voltei a beija-la até ela relaxar… quando senti que ela estava molinha, tornei a forçar até que senti o cabacinho se romper… meu pau até doía de tão apertada que ela era. Comecei o vai e vem e ela começou a gemer mais forte…
– aí tio, isso é gostoso, não pára!
Meti nela por quase 10 min e não contive o orgasmo… enchi a bocetinha recém desvirginada de porra…
Quando tirei o pau vi a dimensão do estrago… escorria uma mistura de pirra e sangue e ela estava bem vermelha e larga.
Nos vestimos e fomos embora… chegando na pensão ela foi mostrar pra Cléo o bikini novo. A mãe dela me agradeceu e eu fui tomar um banho.
Ainda naquela noite conversamos e ela me disse que estava dolorida, mas que tinha amado, disse a ela que era normal ficar dolorida na primeira vez e que da outras não ficaria mais… ainda dei um jeito de ficar a sós com ela e dar uns amassos, inclusive mamei aqueles seios infantis!
Até hj ela e eu somos amantes, no proximo vou contar como ela me deu o cuzinho e ficou viciada em beber meu esperma!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,52 de 175 votos)
Loading...