Tia Marta minha professora parte I

Autor

Oi gente, antes de iniciar quero avisar que os nomes aqui usados são fictícios. Meu nome é Claudio, este é uma narrativa de algo que aconteceu comigo em 2001, nesta época eu tinha 16 anos e era um jovem muito tímido, porem tinha um parte físico de algum com mais idade, nesta época eu media mais ou menos 1,78 m e um peso de quase 70 Kg, mais vamos aos fatos.
A família de meu pai quase na sua totalidade foram para a capital ficando apenas meu pai e duas irmãs que se casaram e permaneceram em Itumbiara, na família da minha mãe só os três homens é que foram embora as três mulheres casaram e tia Marta a casula e que era solteira e permaneceram em Itumbiara.
O ano 1988 foi muito movimentado para nossa família, o casamento de tia Marta, a mudança dos meus avos materno para a capital, a compra da fazenda em Tupaciguara próximo do lago do rio Paranaíba por meu pai e sua mudança.
O esposo de Tia Marta, tio Carlos que era um tanto mais velho que ela, quando casaram ela tinha 26 anos e ele 48 anos. Tio Carlos era representante comercial de insumos agropecuários, e devido seu trabalho ele viajava bastante. Como eu estava iniciando meu 2º grau fiquei morando com Tia Marta para estudar e lhe fazer companhia já que ela não tinha filho, em uma das viagens no final de setembro 2000 tio Carlos sofreu um assinante e veio a falecer, este fato tornou eu e tia Marta mais apegados, já que era a sua companhia para tudo o que ela precisasse, vez em quanto nos ficávamos no fins semana ate tarde vendo filmes e quando ela notava que eu estava com sono mandava que eu colocar a cabeça nas suas coxas, aquilo parecia causar prazer a ela.
Em novembro de 2001 tia Julia a sua irmão mais velha insistiu para que ela fosse ao aniversario de minha prima Lucia, como a casa de tia Julia ficava apenas a quatro quarteirões e bem tranqüilo nos fomos a pé. Quando chegamos minhas tias levaram tia Marta para uma mesa mais isolada onde todos eles estavam bebendo cerveja, ela acabou bebendo também, eu passei a maior parte da festa conversando com a Célia uma amiga de minhas primas. Ao fim da festa tio Francisco se ofereceu para nos levar de carro mais tia Marta falou que era perto e ela preferia andar um pouco, saímos, no caminho conversando ela perguntou se eu esta namorando com a Célia, falei que não, que éramos apenas amigos, ela retrucou mais dava para perceber que ela estava afim de você, a conversa seguiu com ela falando sobre namoro, e se eu ainda não tinha tido namorada e como o namoro de hoje são mais avançados ao chegarmos em casa abri o portão e a porta para ela ao entra sentou-se no sofá cruzou as pernas para tirar os sapatos deixando a mostra sua calcinha e perguntou se eu ainda era virgem, fiquei sem saber o que dizer, ela sorrio e ao levantar pediu que eu abrisse o zíper do seu vestido o que deixou toda suas costas nua, subimos para os nossos quartos e ao chegar na porta do dela começou a se despe, fui para o meu quarto o mais rápido possível para que ela não percebesse o meu pau duro. No dia seguinte levantei quase 11 horas e pouco conversamos, a tarde como fazíamos todo sábado por volta das quatro horas fomos para o mercadinho fazer as compra da semana, retornamos por volta das 7 horas eu subi e tia Marta foi prepara o jantar, por volta das 9:30 horas enquanto tia Marta anistia um programa subi para cúria o namoro da filha de nossa vizinha, estava tão concentrado acariciado meu pau vendo o Lucas chapando os seios e pegando na xoxota da Fátima que não percebe que tia Marta havia subido e estava atrás de mim observado e ao namoro, de repente assustei-me com um suspiro profundo, ao mim virar dei de cara com a tia Marta, não sabendo o que fazer ou o que dizer, fui as pressas para meu quarto, pouco tempo depois ela entrou no meu quarto, sentou na minha cama voltada para mim, passando a mão em meus cabelos perguntou-me por que estava envergonhado se ela também estava gostando de ver o namora, ela colocou uma das pernas dobrada sobre a cama e sua saia subiu expondo sua xoxotinha pelada, quando tentei puxei o lençol para colocar sobre o meu pau que ficara duro ela segurou minha mão e lentamente foi subindo ate que pegou no meu pau, eu fiz o mesmo e as pouco e tremulo escorreguei minha mão pela caixa dela e ao atingir sua bucetinha passei a mão por sobre ela e como estava toda molhadinha introduzi o dedo médio naquela buceta, ela retirou a blusa ditou-se ao meu lado e falou que iria ser a minha primeira e professora, enquanto massageava meu pau e eu sua xoxota, mandou que eu abrisse um pouco a boca e coloca se a língua para fora, obedeci, ela começou a chupar, depois mandou que eu fizesse o mesmo com ela e colocou sua língua em minha boca, aos pouco passei a tomar iniciativas, chupei aqueles seios ainda durinhos e ela ofegante pedia para que mordesse seus mamilos devagarzinho o que obedece, ela acabou de se despir e eu retirei meu short, ela subiu em mim colocou meu pau na entrada de sua buceta e lentamente foi descendo quando chegou ao fim ela parou e falou em meu ouvido, deixa que eu faço tudo, mais não goza dentro pois eu não estou tomando remédio, aos pouco ela foi subindo e descendo cada vez mais rápido e eu mim segurando para não gozar e quando ela começou a gemer come ela pediu tirei o pau e gozei na sua bunda, ela esfregava aquela buceta no meu corpo ate que de repente saltou um urro e ofegante caio do meu lado, aos pouco ela se recuperou, voltou a alisar meus cabelos e a beijar-me, e falou você será o meu homem, e vai dormir comigo, fomos para o quarto dela e nos banhamos, e voltamos para a cama, onde voltamos a transar outras vezes, eu tinha perdido a virgindade, no dia seguiste ao levantarmos ela voltou a me acariciar e falou que isto teria que ser um segredo nosso que jamais podemos deixar que algum se quer suspeite, naquele domingo quando voltava do vesperal passei na banca de sebo e comprei duas revistas de Zé Firo (a Viúva).
Continua…….