Mostrei meu pau no Ônibus para as meninas

Autor

Sempre gostei de me exibir e andar sem cueca com bermuda ou calça moletom, e também de me masturbar em transporte publico, porem nunca com pessoas ao lado, Tinha 19 anos. Neste dia eu retornava do trabalho em um callcenter, peguei como de costume o onibus no ponto, era por volta das 15hs e era período de férias escolar, por isso sempre tinha adolescentes nessa linha que eu pegava pois estavam voltando do centro da cidade.
Fui me sentar nos últimos bancos do bus, do lado esquerdo na janela, não havia muitas pessoas no ônibus, no banco que fica de frente a porta de saída do bus, sentado estava uma menina aparentando por volta de seus 14 anos, banco do corredor e no da janela uma senhora, talvez sua mãe ou avó pois era bem de idade.
Aproveitei que não tinha ninguém do meu lado, logo abri o ziper da jeans e coloquei meu pau pra fora, deixando minha mochila no banco ao lado, e dei inicio a uma punheta gostosa porém bem discreto.
O onibus para e passam duas meninas na catraca, uma aparentando seus 13 anos e a outra mais nova uns 11 anos. A mais nova cabelos pretos liso, olhos castanho escuro bem expressivos e labios carnudos rosadinho, corpinho magro, já a outra loira, tinha uma cara mais seria porém uma cinturinha fina e bunda arrebitada.
A mais nova de cabelos pretor senta-se no banco do meio e a loira um banco antes do da janela, eu estava me protegendo com a mochila na lateral mas por isso acabei deixando meu pau que já babava de fora, com seus 15cm de cabeça rosada e grossa.
Continuei despretensioso minha punheta e cada vez mais excitado com a novinha de cabelos pretos, até que não aguentando crio coragem e tiro a mochila do meus lado e coloco ela entre minhas pernas, expondo totalmente minha rola. As meninas conversavam e riam até que a de cabelos pretos olha fixo para frente e para de falar, eu olhava pra frente e pra janela como se não soubesse que meu pau estava de fora. A loira para de falar e olha pra janela do meu lado e ficava alternando entre olhar pra frente e a janela, eu olhava as vezes para elas bem rápido e para a janela do outro lado, como se nada estivesse acontecendo.
Rapidamente eu troco de banco, e sento ao lado da de cabelos pretos, olho fixamente em seu rosto mas ela não retribui-a, o tesão era imenso e não me aguento e começo a tocar punheta do seu lado, até que ela vira o rosto e olha fixamente a janela, nessa altura já me masturbava sem pudor, e esfregava meu braço no dela, e a olhando seu rosto, com expressão de curiosa e leve sorriso, ela olhava rápido pro meu pau e fingia olhar a paisagem, mexia no cabelo e passava a mão na coxa. Olhei pra usa amiga e a menina parecendo hipnotizada não tirava os olhos do meu pau, ficamos nessa por mais alguns minutos e elas dessem, mas não sem antes a mais nova me olhar fixo nos olhos com um sorriso um pouco tenso porém ofegante de excitação, mexendo no cabelo.
Aumento o ritmo para conseguir gozar, e para minha surpresa avia uma espectadora que passou despercebida, a adolescente que estava com sua avó. Enquanto eu gozo me deparo com ela virada de lano no acento olhando pra mim, com um sorriso de orelha a orelha e olhos brilhando, pois acredito que o meu foi o primeiro pau que ela avia visto ao vivo e gozando.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,33 de 12 votos)
Loading...