Minha Netinha – E foi assim que tudo começou…

Autor

7h da manhã, meu celular desperta. Era hora de levantar. Minha esposa tinha consulta médica, e eu precisava deixá-la no consultório e voltar e pegar minha netinha e deixar na escola. Eu, 56 anos e minha netinha 8. Peguei-a na casa de minha filha e levei-a à escola. Lá chegando, fomos comunicados que devido a um arrobamento na escola e com a movimentação policial, as aulas foram suspensas. OK. Liguei pra minha filha. Ela me pediu pra ficar com a menina, pois tinha se programado para resolver umas coisas naquela parte da manhã. Fui pra casa com a "Camila". Eu e uma menina sozinhos e eu precisando ler uns emails no PC, não tinha muita opção pra ela brincar. Ou era TV ou era jogar no meu celular. Ela optou pela segunda opção. Sentei a mesa do computador e liguei. Ela sentou no meu colo e ficou jogando no celular. O silêncio em casa, o cheirinho gostoso dela bem pertinho de mim e ela sentada no meu colo, foram suficientes para que eu começasse a ter uma ereção. E eu comecei a abrir vídeos de coroas com meninas novas no XVídeos. Ela nem se ligou e eu continuei a ver os vídeos e a pica já em ponto de bala. Só que ela sentada na minha perna direita, enquanto a ereção se dava com a pica para a esquerda. Dizendo pra ela que aquela perna estava já cansada, a levantei e coloquei-a na outra perna, só que bem em cima do pau. Ela me olhou meio assustada, desceu do colo e olhou o volume na bermuda, me olhou novamente, riu e disse: "que é isso vô?". Eu, já tomado pelo tesão, apenas respondi com certa rispidez. "Nada". senta aqui no colo e fica quietinha jogando, senão vou te tirar o celular." Ela mais que depressa esticou os bracinhos pra eu pegá-la no colo. Foi o que fiz. Peguei-a e coloquei novamente em cima da pica, bem no meio das perninha, forçando a bucetinha sob a calcinha, por baixo da saia escolar. Pronto, foi a deixa para a minha imaginação fluir. E fui ficando cada vez mais voltado em gozar gostoso com ela. Mas como? Onde? Na boca? Na bundinha? Nas perninhas? Na mãozinha? Bem, de qualquer forma, ela precisaria se calar. Ninguém poderia saber. Como fazer? Bem, os vídeos de sexo passavam no PC, numa janela diminuta. Eu abri a janela e fiz com que ela visse, mas de forma que eu não tivesse a intenção. Deu certo. Ela viu e ficou olhando enquanto uma novinha no vídeo punhetava o pau de um coroa. Eu, rapidamente fechei a janela do vídeo e disse bem rigoroso: "Menina, vc não pode ver isso. Fique apenas jogando no celular." Ela, meio que frustrada falou: "Mas vovô, eu num tava vendo. Apareceu e eu olhei. Mas o que ela fazia com o piupiu do vô dela na mão?" Aí eu falei: Camilinha do vô, olha só, todo vô tem uma netinha que segura no piupiu dele. E ela falou: Mas eu não seguro no seu vô. Aí eu: Mas todo vô só deixa segurar se a netinha prometer não contar pra ninguém … e vc não é de cumprir promessas. Vc vai falar…então vc ainda não pode". Pronto, mexi com os brios dela. Rapidamente ela disse: "Eu num vô conta nada. Vc é feio." Aí eu falei com ela: Se vc prometer eu posso até deixar…mas não hoje. (criança não gosta muito de levar não) e ela irritada: "Mas eu quero. Pqe ela pode e eu não?". Eu falei grosso com ela; "Pqe vc ainda é muito criança. Não sabe ficar de boca fechada". Quanto mais eu negava e falava que ela era criança e que ia falar, mas ela se irritava e queria. Esse era o plano. Bem, tirei ela do meu colo ( o pau duro pacas sob a bermuda) e falei: Menina, vc é muito novinha. Vai brincar vai?" Ah pra quê eu fui falar isso. Ela veio correndo em minha direção e me abraçou (ela fica na altura da cintura) e com uma rapidez incrível segurou o pau firme. (era tudo o que eu queria). E começou a chorar…eu tbém quero segurar no seu piupiu igual a garota do filme. Aí eu peguei ela no colo, sentei novamente na cadeira e falei: Tá. então você promete que não vai falar nada né? Ela com lágrimas nos olhos…"num vô não vovô"…pronto, eu segurei a mãozinha dela e fiz ela encostar na minha pica. Ela falou…mas num é assim vô…tem que tirar ele (tudo ia bem)…eu fiz ela prometer de novo. "se vc contar, nunca mais o vô vai querer saber de vc e vou arrumar outra netinha". Pronto. ela implorou…"num vô contá vovô…juro" …aí eu abri o zíper bem devagar…a rola apareceu sob a cueca…ela enfiou a mãozinha por dentro…a pica tava melada…ela me olhou e riu…eu puxei a cueca e a bermuda mais pra baixo e deixei a rola naquela mãozinha, pequena, leve e fina….ela com os dedinhos percorria o corpo da pica e com o indicador ia na cabecinha e melava a pontinha do dedo…que delícia aqueles carinhos…segurei a mãozinha dela e fiz ela segurar mais firme e comecei a punhetar com a mãozinha dela por baixo da minha…não demorou muito e eu gozei como eu queria….3 jatos de porra espirraram e ela ficou olhando assutada pra mim…eu disse: "é assim mesmo Camilinha, quando o carinho de uma netinha é gostoso, o piupiu do vô solta esse leitinho bem forte"…"mas vc prometeu que não contaria nada…"…ela riu e falou "tá podi deixá"…Bem, esse foi o início de uma aventura com ela. Foi assim, a cada oportunidade, e cada vez mais ela aprendendo mais coisas e ficando caladinha, pois ela gostava …ela logo começou a chupar e deixar eu chupar a bucetinha. Comecei a gozar no meio das perninhas dela…uma delícia…sempre que dava ela pagava um boquete…já estava viciada em mamar na pica do vô. E ela sempre me pedia pra ver mais filmes desses…e eu sempre mostrava, e, a cada filme, uma evolução….até que aos 12 anos eu comi o cuzinho dela…e esse fica pra próxima vez…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,57 de 7 votos)
Loading...