Estuprada aos 14

Autor

Essa é mais uma estória (ficção) que eu trago a voces. Boa leitura.

Paola ainda era uma garota quando sofreu abuso sexual. Seu pai trabalhava como vigia noturno em um shopping dia sim e dia não, e sua mãe tinha medo de dormir sozinha quando o marido não estava em casa. Então seu pai pediu a um vizinho de confiança, da casa ao lado, (31 anos) que dormisse na sala para vigiar sua esposa e filha, pois a familia morava em um bairro muito violento e perigoso a noite.
Alberto, o nome desse vizinho, nao falava com ninguem da rua. Era todo talturcino, na dele, como diria a sua mae. 180, branco queimado de sol pois trabalhava na rua vendendo dindin (picolé) barba por fazer, simpático até. E sempre quando Paola estava no quintal estendendo roupa ele ficava a observando com um olhar esquisito
Numa noite, Paola estava dormindo e sentiu alguém passando a mão em seu corpo. Começou pelo seus pés e foi subindo, até chegar na sua calcinha que era bem fininha e ficou esfregando o seu dedo bem no meio da sua buceta. Na sua cabeça, Paola tava com muito medo de se mecher e ele perceber q ela tava acordada e a matasse… acabou deixando ele continuar msm sabendo o que viria depois.
Apos algum tempo esfregando o dedo na buceta da garota, o vizinho com a mão livre, abre o velcro da sua bermuda e tira seu cacete de 18cm e todo babado, e começa a bater uma punheta enquanto tocava a menina. Um tempo depois com essa mesma mão ele abaixa sua calcinha e começa a passar novamente o dedinho em sua buceta, ate que ele penetra todo seu dedo nela…no seco. Paola nessa hora engoli um grito de dor…..ate entao ainda era virgem. Com isso ele tira sua bermuda e cueca e sussurra bem no seu ouvido — fique quietinha, nós vamos brincar bem gostoso agora, você vai gostar, garanto princesa. Nesse momento Paola sabia que seria abusada, e começa a lagrimar sem parar, rezando para que o pai chegasse logo. Alberto então abri as pernas da garota e cai de boca na sua genitalia. Ele a chupa com muito força e isso faz Paola se contorcer toda. Depois ele se deita em cima dela, cospe na mao e a leva ate seu pau para lubrifica-lo, ainda deitado sobre ela. Depois ele aponta para a entradinha da sua buceta e tenta penetra-la. Uns minutos depois finalmente consegue penetrar a cabeca do seu membro dentro da garota, que sente um ardor terrivel, a fazendo se contorcer toda de dor, enquanto o vizinho tampa sua boca pra nao emitir nenhum som.
Uma vez dentro, ele para por um momento pra que a garota se acostumasse com a cabeça do seu caralho dentro dela e depois de uns minutos volta a empurrar a sua tora pra dentro dela de novo. Alberto sente a carne da garota se rasgando e abrindo espaço aos poucos pra sua rola grande se encaixar perfeitamente nela. Depois de uns 20 minutos, a pica do Alberto ja estava toda enterrada dentro da garota, entao ele começa a beijar seu pescocinho, sua orelha, e depois sua boca pra entao começar a bombar na garota.

• Faz três horas que amanheceu.
• Três horas que aquele monstro saiu de cima dela.
• Três horas que ela perdeu sua inocencia e sanidade.
• Três horas que Paola ainda chorava olhando pro vazio.

A gorota ficou acordada ate o amanhecer…e no dia seguinte seria abusada novamente pelo vizinho, disso ela tinha certeza. Porém não era só isso que a paralizava… ela estava paralizada com o que descobriu quando o Alberto saiu de cima dela…
O que ele lhe confessou…
Algo sobre um acordo…

…algo envolvendo seu pai.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,10 de 10 votos)
Loading...