A primeira vez foi com o filho do meu padrasto – novas experiências

Autor

Depois que eu e leo transamos, ficou um clima estranho ente nos, aquela cumplicidade que agente sempre teve parece que tinha se perdido. O dia passou e nos não tínhamos trocado uma palavra, desda da hora que a nossa transar acabou que nao nos falavamos mais. Eu acho que nós dois estava esperando alguém tomar a iniciativa, mais Níguem tomava. As vezes eu percebia o leo me olhando, eu olhava de volta e ele desviava o olhar, ele tava com vergonha ou arrependido do que agente tinha feito. A noite chegou, e eu decide quebrar o silêncio.

_ (eu) o que foi leo? Porque você não tá ficando mais comigo? Tá arrependido do que agente fez? Se tiver tudo bem, agente não brinca mais assim!

_ (ele) eu tô com vergonha do que agente fez. Isso não é coisa de homem.

_ (eu) então você não quer mais e isso?

_ (ele) eu não sei. Eu sei que o que agente fez não é certo mais… Eu gostei.

_ (eu ) então leo, você gostou eu gostei. Eu prometo que eu não vou contar pra Níguem, vomos continuar com a nossa brincadeira!

_ (ele) vomos,mais Níguem pode saber. Muito menos o meu pai.
conversamos mais um pouco e fomos durmir, no outro dia seria o aniversario da mãe do meu padrasto, ela resolvei comemorar em outra cidade já que a filha mais velha dela mora lá, ela sempre comemora por aqui com o meu padrasto mais esse ano ela resolveu comemorar lá. Então fomos pra lá. pegamos um ônibus e fomos. A mãe do meu padrasto já tinha ido no dia anterior com o marido e com o filho caçula dela. obviamente, sentei na pondrona do lado de leo. Fomos bem de manhã, então a maioria das pessoas que estavam no ônibus estavam dormindo. inclusive leo. fiquei reparando em todo mundo do ônibus, e resolvir ataca o leo.
comecei a apalpar seu pau, leo tem um sono pesado, as vezes demora pra acordar. coloquei a minha mão por dentro do shorte dele, seu pau estava meia bomba. Comecei então a bater uma pra ele. Leo acordou e quando viu o que eu tava fazendo deu um sorrisinho, pensei que ele fosse falar, reclamar, mais pelo visto leo já tava se acustumando com as nossas brincadeiras. Foi batendo uma pra ele, durante um 10 minutos quando eles percebir que o leo tava pra gozar eu disse:

_ ( eu) leo vomos ali no banheiro, tô com vontade de dar pra você.

_ (ele) mais não é perigoso?

_ (eu) vai ser rapidínho.
Leo aceitou, e fomos pro banheiro, chegando lá eu já foi abaixando o seu shorte e tirando o seu pau pro fora e comecei a mamar, engolia ele todo. alternava em mamar até o fundo e lamber só a cabecinha, resolvir chupar o seu saco, que eu já tinhá percebido que ele adora. Foi lambendo seus sacos, enfiando as duas bolas na boca. Leo gemia baixinho, eu comecei a olhar nos olhos dele e bater o pau na minha cara. Leo me levantou com uma força e me jogou na parede, abaixou a minha bermuda com uma agressevidade e começou a lamber o meu cuzinho, eu foi as estrelas quando ele fez issó. Ele lambia meu cu e batia na minha bunda. Ele pediu pra eu ficar de joelhos em cima do vaso e assim eu fiz. Ele voltou a língua meu cu, que língua era aquela! Uma coisa que definitivamente o leo sabia fazer era chupar um cu. Eu fui jogando a minha bunda bem mais na cara dele. Eu tava em estase com aquilo, mais eu percebir que agente tava demorando demais e falei pro leo me comer logo. Leo, bem diferente da outra vez, foi colocando o pau devagarinho, eu foi sentindo cada centímetro entrar, quando entrou tudo eu dei um gritinho não muito alto. Leo começou a bombar, ele bombava e dizia no meu ouvido. " que delicia Paulinho eu tô arrombando seu cuzinho ne". " tô gostando do meu pau na sua bunda tá". Não demorou muito ele, começou a tremer as pernas, e deu um grito abafado nas minha costas pra Níguem escutar, logo ele foi ficando mole, e seu pau abaixou. Saímos rapidamente do banheiro e sentamos Níguem notou que agente tinha se ausentado. chegando na outra cidade e fomos diretô pra casa da irmã do meu padrasto o aniversario seria lá. Assim que chegamos, nossa fiquei estarrecido eu nunca tinha ido lá, se eu soubesse tinha ido antes, ele tinha dois filhos um um ano mais velho que eu, e o outro 4 anos mais velhos. Vou descrever eles, renato tinha 9 anos, era branco mais ou menos da minha altura, tinha os cabelos escuros, e os olhos também, mais ele tinha uma BOCA, era a boca mais grande que eu tinha visto na minha vida. Ele era muito bonito, e assim que cheguei já coloquei meus olhos nele. O outro era o Daniel, tinha 12 anos, ele era alto, o corpo dele já tava em crescimento, tinha os cabelos escuros, os olhos também. feita as apresentações, fomos todos arrumar as nossas coisas, eu e leo íamos ficar no quarto de renato e daniel. Quando eu soube disso já me animei apesar se bem saber se ia realmente acontecer alguma coisa. Leo logo me largou e ficou com renato, já fazia um tempo que não se viam e eles desde pequeno eram muito amigos. fique entao conversado com daniel, que era um garoto muito legal. Ele me disse que lutava judô me mostrou a faixa que ele tinha ganhado, e tal. A noite chegou e aos poucos todo foram durmir, eu e leo íamos durmir na chão em um calchão, quando foi de madrugada, acordei pra ir no banheiro, a casa tinha 3 andares só que o banheiro do printeiro andar tava em reforma então só tinha o do 3 andar que tava funcionando, assim que cheguei, já fui abrindo a porta sem nem percebir que tinhá alguém ali quando abrir a porta encontrei daniel,com as calças arreadas e batendo punheta, com o celular na mão e com fones de ouvidos, quando ele me viu abriu os olhos, e não aguentou e começou a gozar ali mesmo na minha frente. Era muita porra que ele jorrou eu fiquei impressionado e com o Maior tesão…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 4 votos)
Loading...