A irmazinha dos sonhos

Autor

Desde pequena, sempre fui uma garota meio sapequinha, Gostava mais de ficar entre os meninos, e minha maior diversão aos meus 10 aninhos era levantar meu vestido para mostrar a calcinha.
Sou Aline , Tenho 15 anos, sou morena de cabelos longos, um corpo comum de adolescente, pequeno e magro, Minha bunda não é muito grande porem é bem empinada , e peitos até que pequenos. Não sou daquelas ”GOSTOSAS” , mas sou satisfeita com meu corpo e sei utiliza-lo muito bem para deixar um homem louco. Meu hobby se resume a ficar dentro do meu quarto vendo pornos. Bem, pelo menos era assim, até meu pai se casar novamente, ai as coisas mudaram um pouco.
Meu pai era um desses solteirões que curte a vida, Nunca tive nada contra os relacionamentos dele, que se resumia em trazer mulheres para casa e passar a madrugada fazendo sexo, como seu quarto era próximo ao meu, eu sempre escutava tudo,literalmente tudo… Os tapas, xingamentos, As estocadas, moveis balançando… No inicio achava estranho mas ao decorrer das vezes que acontecia, realmente começou a me deixar curiosa, interessada naquilo, pois parecia ser algo muito bom. Com o tempo, Fui ficando viciada nisso e passei a me masturbar escutando meu pai transar. Mas nos meses finais dos meus 14 anos, meu pai veio a se casar, algo que me surpreendeu no inicio, e alguns meses depois , ela mudou-se para nossa casa juntamente do filho dela, Mark.
Inicialmente era muito estranho, ter um garoto de 17 anos, andando para la e para ca na minha casa, mas fui me acostumando.Tentava ver o garoto como meu irmão, mas era muito complicado.
Com o tempo, fomos ficando próximos,até demais, Mas o via apenas como um amigo, até certa noite, no qual havia acabado de me masturbar ouvindo meu pai transar, e fui ao banheiro lavar as mãos, e Cruzei com Mark saindo do banheiro apenas de cueca, e pude ver muito bem, o volume que seu pau fazia, que me deixou doida por dentro, meu mais novo Hobby era me masturbar, enquanto fantasiava meu ”Irmão mais velho” me fazendo de putinha em casa.
E quanto mais nos aproximavamos, mais ele se mostrava sem vergonha, e Discretamente começamos um joguinho, onde usavamos poucas roupas e passiavamos pela casa, falavamos algumas putarias em nossas conversar, para atiçar um ao outro e percebiamos que estavamos jogando e que ambos adoravam isso.
Em uma noite onde nossos pais transavam feito doidos, trocavamos mensagens no WhatsApp, gozando da situação.
– Quanto barulho fazem, acho que esquecem que tem filhos. – eu dizia
– Seu pai sempre foi tão escandaloso assim? – Respondia-me
– Sim, bem barulhento, mas sempre me pareceu que estava bom pelo menos.
– Nunca sentiu vontade de provar? – Ele questionava-me.
– Ahhh, com certeza, se eu tivesse um pau que pudesse usar, ja teria matado a vontade ah bastante tempo, rs. – Decidir provoca-lo e recebi uma baita resposta… O Safado havia me mandado uma foto do volume que seu pau fazia pela cueca, seguido desta mensagem:
– Este não serve? se estiver afim, venha aqui na sala.
Fiquei surpresa com tamanha audacia do safado, mas admito que até mordi os labios. Não respondi nada, Pensei por algum tempo se realmente iria, E após alguns minutos me decidi. com um pouco de receio descia lentamente as escadas e pensava comigo mesma. – Não posso perder esta chance!
Cheguei de mancinho na sala, e falei:
– Oque você quer? – Perguntei em um tom baixo.
Ele parecia tão surpreso quanto eu quando me viu, mas não perdeu tempo.
– Sente aqui do meu lado. – E levantou o coberto para mim entrar.
Ao me ajeitar ao lado dele, sem enrolação ele pegou na minha mão, e levou ate de baixo do coberto, Foi quando pude sentir aquele pau pela primeira vez, que ja estava muito duro por sinal. Comecei a toca-lo por cima da cueca mesmo, segurava com força naquele cacete, punhetando-o pela sua roupa intima, sentia a cabecinha ficar cada vez mais molhada. Lentamente tirei o coberto, e pude ter um bela visão do volume que fazia, que era iluminado apenas pela luz da televisao, passava a mão por ele inteiro, admirando…Foi então que ele cochichou no meu ouvido:
– Tira ele pra fora logo.
Rapidamente, puxei sua cueca para baixo, e revelei aquele caralho enorme, pelo qual eu fantasiei tanto tempo. Segurei firme naquele membro, e comecei a punhetar gostoso… Ele gemia baixinho e me chamava de safada, entre outras sacanagens que me deixava molhadinha, Até que então ele começou a pegar nos meus peitinhos, apertava, sugava meus mamilos até ficarem vermelhos, Me dava tapinhas na cara e eu não aguentava e pedia para que ele me xingasse, me chamasse de puta… Minha mente estava em branco, não conseguia pensar em nada alem de com aquilo era gostoso, Foi então que ele levou uma de suas mãos e grudou no meu pescoço, se aproximou e sussurrou:
– Mama logo nesse pau sua putinha… – Aquilo fez minha bucetinha piscar de tesão –
Como mandou, dei meu cabelo para ele segurar, Me ajoelhei no sofá, e com a bunda bem empinada, Segurei firme naquele caralho que era tão duro e rigido, Lambia a cabeça que estava toda molhada, Suguei todo aquele pré-gozo, e de uma vez só enfiei o maximo que conseguia na minha boquinha e comecei a mamar bem gostoso, Me deleitei naquele cacete!!… podia senti-lo enfiando cada vez mais seu pau até chegar na minha garganta fazendo-me dar leves engasgadas,Meu olhos lacrimejavam enquanto eu me babava toda, Minha buceta a essa altura estava ensopada, Pudia sentir que se esperasse mais, iria escorrer pelas minhas pernas… Não aguentando mais, Tirei da minha boca e a baba esticava entre minha boca e a cabeça daquele pau, Me levantei e ainda ofegante lhe disse:
– Agora vai ter que me comer. – Abrindo um sorrisinho de safada, enquanto abaixava meu shorts do pijama juntamente da calcinha, Me Apoiando no braço do sofá, com uma perna ao chão e a outra de joelhos no mesmo, me Empinava toda para ele, O garoto tinha uma visão privilegiada, Tanto do meu cuzinho como da minha bucetinha toda melada.
Sem Falar nada, ele começa a passar os dedos entre os labios da minha buceta,abrindo-as e devagar começa a mete-los.. Sem entender nada, meu corpo estremesse com os toques dele.
– Finalmente, um macho me tocando… – Pensava comigo mesma.
O Garoto abria minhas nadegas e passava os dedos melados, no meu cuzinho, eu estava ao ponto de pirar, ja não tava aguentando mais aquela provocação.
– Por favor Meta logo em mim, antes que alguem venha!! – Suplicava
Mark então, me deu um tapão na bunda, que fez eu me encolher toda. Deu puxao em meu cabelo, se aproximou e disse:
– Implore!
Eu Sorria e mordia os labios ao mesmo tempo.
– Seu safado – Dizia enquanto dava uma pequena risada. – Me come vai, Fode essa putinha!!
E foi assim por um tempo, Ele roçava devagar todo aquele pau pela minha buceta, deixando-o completamente lubrificado, Forçava a cabecinha , porem não metia, Deva leves tapas na minha bunda, enquanto escutava-me implorando pelo seu pau, pedindo para que me fodesse.
E então finalmente ele Meteu apenas a cabecinha, Eu gemia baixinho ainda não doia tanto, minhas pernas tremiam-se, eu podia sentir minha pequena bucetinha espremendo aquele pau, sentia ela arder, Mas era algo extremamente delicioso…E de uma vez só, ele foi enfiando bem devagar aquele pau, e me arrombando lentamente, Não doia, porem ardia muito, era muito apertado, podia sentir como ele estava duro, Sentia aquele pau se contrair dentro de mim.
– Que buceta maravilhosa, bem apertadinha!! – Gemia, enquanto começava a meter cada vez mais forte em mim, em cerca de alguns segundos , ele ja estava bombando em mim com toda sua força,segurava minha cintura e estocava bem forte!! Estava enterrando aquele cacete em mim, sem dó!
Minha buceta ardia muito, mas estranhamente era algo gostoso, estava adorando aquilo, um rapaz metendo em mim sem dó, literalmente arrombando minha pequena xaninha, Estava escorada no braço daquele sofa, me babando toda, segurando o maximo possivel meus gemidos, completamente em êxtase.
E sem aviso algum, Num climax absurdo seguido de um gemido extremamente alto, Sinto aquele pau se contrair completamente dentro de mim e em seguida algo quente me preenchendo todinha.
– A merda, ele me encheu de porra… e agora? – Comecei a pensar comigo mesma. Fiquei um pouco assustada, não esperava que ele faria aquilo do nada, não era um dia seguro.
Assustada, dei uma desculpa:
– Você gemeu alto demais, vou subir antes que alguem venha!!
– Tudo bem, foi mal. – Me respondeu um pouco assustado tambem, parece que tinha noção doque tinha feito.
Subi correndo para meu quarto.
Deitei em minha cama, e tirei minha roupa para me limpar, Mesmo assustada, ainda estava cheia de tesão, Queria mais, meu fogo ainda estava aceso!
Abrindo minha bucetinha,Via a porra dele começar a escorrer, e com um dedo, peguei um pouco para experimentar e tinha um gosto muito amargo, mas eu queria mais… queria tomar porra!!
– Que se dane, não irei ficar na vontade, vou provoca-lo, eu quero foder mais! – Sussurrei a mim mesma, enquanto pegava meu celular.
Fiz um pequeno video no WhatsApp. Onde eu pegava a porra dele com os dedos e chupava.
– Ah sua safada, não acredito que esta fazendo isso!! – E logo em seguida fez um video, onde tirava seu pau para fora e punhetava para mim.
– Só essa porra aqui, não vai me satisfazer, Suba sem fazer barulho e venha me dar leitinho, a porta esta aberta …
Nem deu nem um minuto, e ele ja estava ali, abrindo minha porta.
– Trave a porta, e venha ca, rapido. E tente não gemer, o quarto do pai fica proximo.
Fiquei sentada na ponta da cama, com ele em minha frente. Segurei novamente aquele pau, e Comecei a mamar bem gostoso. Segurava suas bolas, e o punhetava bem rapido, Fazia questão de sugar todo o pré-gozo que saia, E foi assim por alguns minutos, Por algum motivo, ele chegava ao climax bem rapido. Mas não era problema, pois iria ganhar oque eu queria… Segurando minha cabeça ele gozou tudo oque tinha, na minha boca, me segurei pra não me engasgar com aquele jato de porra na minha garganta, Tossi um pouco,Era meio pegajoso e um pouco dificil mas Engoli tudo.
– Que delicia de boquinha, sua putinha. Deixa eu comer sua bucetinha de novo.
Estava doidinha para dar novamente, Porem , escutamos barulhos demais vindo dos quartos de nossos pais, e Preferir não arriscar.
– Acho que agora não vai dar mais, corra , volte la para sala, Faremos outra hora. – Apressava o Garoto.
Sem falar nada, ele saiu de fininho, desceu as escadas. e Tudo ocorreu bem desde então.
E Assim se iniciou meu novo hobby, Ser a putinha do mano!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 7 votos)
Loading...