Me Agarra que eu Adoro

O que relato foi real , a uns dois meses minha mulher me fala que iria a casa de uma amiga que morava próximo uns 4 quarteirões de casa e como era uma noite de calor ela colocou um vestido branco solto no corpo e falou que ia sem soutien pois estava muito quente, ja passava das 22 horas toca meu telefone e ele era que falando muito rápido disse que assim que saiu da casa da amiga uma moto a seguia e estava com medo , eu falei que ia me encontrar com ela, ai me lembrei que a rua que dá acesso era muito arborizada e deserta , e não deu outra assim que virei a esquina da rua da amiga vejo um cara agarrando ela com as mãos entre suas pernas e seus seios de fora, acendi o farol e buzinei ele sobe na oto e foge, chego até ela e ela meio que chorando me abraça assustada e fala que levou um susto quando o cara a agarrou por tráz , seu vestido rasgado deixava seus seios de fora , vejo no chão sua calcinha rasgada, nos beijamos e eu a coloco no carro dou uma volta pra ver se ainda acho o cara e fomos pra casa.
Mas assim que ela desce algo se transforma , a garagem escura só iluminada pela luz da rua ela se encosta na parede e meio chorando fala se eu não tinha ficado satisfeito de ter me agarrado e que eu não ia abusar dela pois o marido ia chegar logo, me assustei um pouco mas percebi que ela estava fantasiando, e embarquei na brincadeira , a pego na cintura ela me batia dava tapas e isso me deu muito tesão , o vestido já rasgado termino de rasgar e tiro dela e a deixo nua, ela pede que eu não a estupre pois o marido não ia mais querer ela , e eu falo que ela fique boazinha que eu não a machucaria , ela então se ajoelha abaixa meu short e abocanha meu pinto e me faz um boquete maravilhoso , olhava e perguntava se ela estava sendo uma boa menina, eu então a levando e a faço ficar de costas e começo a beijar suas costas e nuca , ela se arrepiava e falava que eu não a machucasse pois era muito apertadinha , a agarro e a faço entrar em casa , ela sai correndo e no escuro vai em direção do quarto , tiro a roupa e vou atráz a encontro sentada na cama e pela pouca luz do abajur vejo a delicia que é pego suas pernas e puxo abrindo sua buceta e começo a chupar aquela delicia ela grita e fala que não ia sentir prazer pois era mulher de um só homem , mas a casda linguada ela se contorcia e a toques suaves em seu clitóris ela entra em um gozo delicioso, e eu largo da sua buceta e coloco meu pinto e vou entrando lentamente sentindo ela se abrindo lentamente e me recebendo ela fica louca geme rebola no pau e grita de prazer, aos poucos vou acelerando e ela me avisa que ia gozar novamente, e eu gozei tambem.
Alguns minutos em silencio e eu pergunto o que foi aquilo, e ela fala que assim que passou o susto sentiu muito tesão e que resolveu fantasiar pra tirar o medo dela, e falou que o cara da moto foi besta pois se ele tivesse sido mais delicado e não violento ela teria deixado ele comer ela pois sabe que reagir é pior pois podia ter se machucado, fiquei louco de ciumes e raiva por saber que ela treparia com o cara e nos agarramos e transamos novamente e eu a comia com força e ela me pedia pra foder ela e assim passamos a noite , pois ela voltava a falar que ia dar pro cara e a gente se exitava novamente e da-lhe trepada , foi assim até as forças acabarem.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 1,00 de 1 votos)
Loading...