Mané do sexo 4

Autor

Agora a Renata tinha se mostrado, e, como. Chegava de manhã na firma nos pegávamos atrás de porta de minha sala. Depois, na ida para a faculdade e, finalmente, um sábado sim outro não, um motel e assim ia. Em casa que era difícil driblar a Marcy, mas, bem ou mal, eu fazia ela gozar. Numa das idas ao aeroporto, para deixar a Vitoria partir, quando eu e a Marcy recebemos um convite para almoçar na casa da Ingrid. Aceitamos e fomos para a casa dela. Chegamos lá, fomos recebidos pela Rosa e o Antero e a Ingrid já puxou a Marcy para o quarto. Antero, eu e a Rosa conversávamos sobre assuntos banais. E, o Antero foi ao banheiro. A Rosa levantou da cadeira, veio em minha direção e me deu um beijo no pescoço, eu virei, e ai na boca. A mão dela procurava o meu pau. Eu assustado levantei e, já de pau duro, afastava e falava baixo para a Rosa não exagerar. Ela então ajoelhou no chão e começou a mordiscar meu pau por cima da calça. Aquilo era demais. Tirei o pau para fora e ela chupou até o Antero sair do banheiro. Vem bem, ele não reclamou não. O Antero tirou a roupa enquanto a Rosa chupava meu pau, todo pelado, o Antero pegou meu pau e chupou, enquanto que a Rosa tirava a roupa. Isto na cozinha. Ela veio com um bocetão enorme, peludo, uma bunda lisa bem bonita e umas coxas de deixar algumas meninas com inveja. E, ai, ta gostando. HUM,HUM, tô. Vem, tem mais. Da licença Antero, larga o meu pau um pouco. Fomos para o quarto e, as duas estavam num 69 bem tentador. O Antero não teve duvidas enfiou o pau no cu da Ingrid, que não falou, só gemeu e começou a bombar. A Rosa, deitou, abriu bem as pernas, a Marcy olhou para mim e caiu de boca naquela bocetona. Chupou um pouco, enquanto eu chupava a Marcy, que logo virou e saboreou o meu pau. Bem duro, enfei na boceta da Rosa, que começou a gritar de tesão, enquanto que o Antero ia ao banheiro limpar o pau dele. A Marcy chupava as tetonas da Rosa e mexia no seu grelão, meu pau delizava dentro da boceta mais quente que eu tinha comido. Começou me apertar, cruzou as pernas em minha volta e, eu falei, que estava quase gozando. A Ingrid falou, pode gozar, ela não pega filho não. E, eu gozei. Tirei para fora a Marcy chupou até ficar duro novamente, enquanto a Rosa se limpava. A Antero voltou e começou a chupar a Marcy e ocasionalmente, meu pau, enquanto a Ingrid e a mãe partiam para um 69. A Marcy abriu as pernas e o Antero penetrou e, a Rosa levantou e veio em minha direção, passou meu pau na bocetona, chupou e falou que eu não levasse a mau, mas, como o cu do Antero, come. Ela abriu as nádegas e ele mandava ver na Marcy, ai a Rosa chupou meu pau, cuspiu em cima, a Ingrid, cuspiu na entrada e, a Rosa direcionou o meu pau para o cu do Antero. A facilidade que entrou era fora do comum e, o homem não estava em ai, fodia a Marcy e gozava no meu pau. Tirou o pau da Marcy e gozou em cima da cama, e a minha filha lambeu as ultimas gotas e ele gemia nas ultimas estocadas e gozei no cu dele. Fui limpar meu pau na suíte, o Antero foi no social e as meninas ficaram se tocando e chupando no quarto. O Antero voltou primeiro, a Rosa caiu de boca, mas tava cansado. Sobrou para mim. Abri as pernas da Rosa e enfiei e bombei algumas vezes, tirei e enfiei na Marcy, por trás pois estava chupando a Ingrid, dei umas bombadas naquela bocetona apertada e ela saiu de cima de Ingrid, ela se virou e ficou de quatro e acabei gozando no fundo do cu da Ingrid. Porra, chega, to cansado e meu saco ta doendo. A Rosa veio chupar meu saco, para ver se melhorava. Terminada a surubada. Fomos para casa dormir. Ainda bem que era sábado e nem eu nem a Marcy estávamos com apetite sexual. Passada algumas semanas, a vida cotidiana foi passando. Meus sogros vinham em casa, eu saia com a Marcy e a noite rolava tudo. Cada vez melhor. Algumas saídas com a Renata, fui com a Rosa a alguns motéis, como também com a Ingrid. Chegou o final do ano. Vitoria em casa. Valter, a Marcy e a Ingrid vão a uma excursão num ressort no centro de Minas Gerais. Eu não vou porque não é o meu perfil. Portanto, sexta feira agora, você vai com elas. Tá tudo pago. Ah, sem as molecagens de sempre com as duas, viu garotão. Sexta, campus da faculdade, eu, Vitoria, Ingrid e Marcy estávamos lá para embarcar. A Vitoria trouxe meu carro de volta e assim, partimos. (continua).