Dedada no ônibus

Autor

Olá, aqui estou eu para relatar mais uma experiência verídica que aconteceu comigo. Espero que gostem desse relato da mesma maneira que gostaram dos outros dois: ‘NINFOMANÍACA" e "PRIMEIRA POR TRÁS".
Naquele dia eu acordei com muito, mas muito tesão mesmo. Era um dia quente e eu fui tomar um banho para poder ir trabalhar, e no banho já me masturbei gostoso, mas o tesão continuava, e quando eu ficava assim era um perigo, pois eu trepava com o primeiro cara que me quisesse, somente uma rola dura acalmava meu fogo quando eu ficava assim. Coloquei uma saia que ia até o joelho, uma blusinha de alça com um decote generoso, passei perfume e fui.
O tesão me consumiu o dia todo, e por azar nenhum homem me cantou naquele dia e os únicos dois com quem eu estava metendo ultimamente não me atenderam, eu estava subindo nas paredes de vontade. Estava quase na hora de eu ir embora e tomei uma decisão, eu iria me insinuar para alguém no ônibus no caminho de volta. E assim foi, eu morava na cidade vizinha de onde eu trabalhava e para ir embora tinha que pegar um ônibus intermunicipal, e como eu morava no ponto final, o ônibus ia esvaziando pelo caminho. De fato, em um certo momento o ônibus ficou bem vazio, eu estava sentada em uma poltrona sozinha e na poltrona do lado estava sentado um homem sozinho, acho que ele deveria ter uns 40 anos e até que não era feio não. Já havia anoitecido e o motorista deixava as luzes do ônibus apagadas para que os passageiros pudessem dormir um pouco e a única iluminação dentro do ônibus vinha dos postes de luz na rodovia.
Não tive dúvidas, levantei minha saia e comecei a me masturbar ali sentada, e quando olhei para o lado, aquele homem estava assistindo tudo, me olhando fixamente com cara de tarado. Eu sorri, tirei o dedo da minha buceta, coloquei na boca e fiz um sinal com a cabeça para que ele viesse se sentar e aproveitar comigo. Ele se levantou na hora, sentou do meu lado e beijou minha boca com muito tesão, logo metendo a mão na minha buceta molhada. Não começou muito para começar a me dedar e quem me conhece, sabe que fico maluca com uma dedada bem feita na bucetinha. Eu me contorcia toda naquele banco e tinha que fazer um esforço tremendo para não gritar de tesão, pois sou escandalosa.
Ele continuou me dedando e beijando minha boca até que eu não aguentei e gozei na mão daquele safado.
Fiquei até mole depois da gozada, mas agora era hora de retribuir o favor, por isso peguei no pau dele que era enorme, coloquei pra fora e passei a punhetá-lo. o pau dele era muito comprido e fino e não resisti, caí de boca também. Chupei e punhetei aquele cara até ele gozar na minha boca e no meu rosto.
Depois ficamos ali nos beijando, trocamos os números de telefone e ele teve que descer. Ele me ligou dois dias depois e é claro que eu pedi para ele me levar ao motel para podermos trepar gostoso, e assim fizemos por várias vezes.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,00 de 1 votos)
Loading...