#

Cristina, pequena e receptiva – Parte III

2055 palavras | 19 |4.86
Por

Continua…
No domingo o movimento na farmácia estava bom, mesmo assim fechei as 12:00 hs. Peguei meu carro e segui até o local onde marquei de encontrar a Cristina.
A menina mexeu comigo de uma forma que nunca nenhuma mulher adulta conseguiu. Só penso nela e nas coisas que fizemos. Não é sempre que se tem uma menina de 9 anos que aceita praticar sexo oral e vaginal. É muito, mas muito raro. Sabendo disto eu estava disposto a fazer de tudo para agradá-la. Até porque os valores que eu estava dando para ela, são relativamente baixos. Digo isto porque em Recife eu paguei R$ 500,00 para fuder com uma menina de 14 anos, e ela não chega nem perto do que a Cristina representa para mim.
Novamente fiquei esperando no carro até a menina chegar. Foram 40 minutos de espera, mas valeu a pena.
Logo que ela entrou no carro, e saímos dali ela ofegante falou:
– Tio… mainha mandou eu te dar este número (falou me entregando um papel).
– Mas Cris, você falou o quê para sua mãe ?
– Ahhh tio eu não ia contar, mas quando ela viu o dinheirão que o senhor me deu, ela mandou eu falar a verdade senão ia me bater. E ela bate mesmo
– Mas e agora menina, sua mãe sabe que fizemos ?
– Sabe tio
– Você contou tudo ?? – Meu coração estava disparado, eu tive que parar o carro para conversar com a Cristina.
– Contei quase tudo tio….
– Não era para contar, sua mãe vai me denunciar na polícia… to fudido…
– Vai não tio
– Ahh vai, ela vai me colocar na cadeia… vou preso
Quase chorando ela falou:
– Tio, mainha não vai na polícia não
– Como você sabe ?
– Ela falou tio… liga para ela.
Fiquei com medo de ligar e ela pegar meu número e entregar para a polícia. Eu estava quase mandando a menina sair e fugir dali para nunca mais passar nem perto.
– Calma tio, mainha falou que não vai brigar com o senhor não
Resolvi ir para casa com a Cris. Se fosse para dar merda, já teria dado mesmo.
Ao chegar a menina explicou: Disse que a mãe não ficou brava, pelo contrário gostou do dinheiro que mandei. Tanto é que mandou a filha sair comigo novamente.
Fiquei com medo, mas uma coisa era certa: A menina estava ali comigo, então talvez a mãe não iria fazer nada mesmo.
Abracei a Cris e nos beijamos.
Lembrei que na farmácia eu tenho alguns chips de celulares que as pessoas esquecem ou perdem. Como na farmácia colocamos créditos nos celulares, o movimento é grande e muitas pessoas usam 2 ou 3 chips, acabam por perdendo na farmácia.
Resolvi que ia pegar um chip daqueles e ligar para o número da mãe da menina.
Fui com a Cris até a farmácia (é pertinho). Abri e peguei alguns chips.
Coloquei no meu celular e liguei a cobrar para o número da farmácia, pelo identificador de chamadas eu descobri o número. Coloquei créditos naquele número e voltei para casa.
Já em casa eu liguei para a mãe da Cris. Dona Gorete.
Me apresentei como sendo o amigo da filha dela.
Nesta conversa a Gorete me disse que sabia o que eu e a filha dela fizemos, e que ela não ia colocar empecilhos na vida da filha. Me pediu apenas para não judiar dela, porque é uma criança ainda.
Eu agradeci e prometi que sempre vou respeitá-la e blá blá blá.
A Cris ainda conversou com a mãe e perguntou se podia dormir na minha casa.
Para minha alegria e surpresa a Gorete deixou a filha dormir. Uma loucura, ela nem me conhece e libera uma criança de 9 anos para dormir com um desconhecido.
Achei ela uma aproveitadora, mas por outro lado é uma oportunidade rara que não quero perder tão cedo.
Desligamos e já peguei a Cris no colo.
Abracei e beijei ela inteira.
Lentamente tirei sua roupa. Era o terceiro dia que a menina estava com a mesma roupa, inclusive a calcinha. Bem fedida já.
Examinei a bocetinha e vi que estava vermelha e um pouco inchada, mas pouca coisa.
Chupei e coloquei minha língua dentro dela. A menina quando faz xixi não seca a bocetinha. Fica com aquele sebinho branco nos lábios vaginais. Eu adoro isto.
Ela se contorce todinha. Abre e fecha as pernas e ri o tempo todo. Parte pode ser cócegas, mas estou certo que é prazer sexual mesmo. Ela adora ser chupada.
Me deitei na cama e pedi para ela me chupar. Ensinei a posição 69 para ela.
Fiquei deitado e ela deitou em cima de mim. Por ser muito pequena, ela me chupava mas eu não consigo chupá-la. Corpinho pequeno e infantil.
Sentir sua boquinha no meu pau é um tesão intenso. Ela chupa com vontade.
Não demorou pedi para ela não parar porque ia gozar… foram vários jatos de porra para dentro da boquinha dela.
Ficamos deitados de conchinha:
– Cris, eu te amo – eu disse
– eu também te amo tio
Fiquei fazendo carinhos naquele frágil corpinho. A bundinha dela é redondinha, pequena e durinha. Coloquei meu dedo no cuzinho e fiquei brincando ali.
Meu pau não amoleceu.
Mandei ela ficar de bruços e coloquei um travesseiro na sua barriguinha. De modo que sua bunda ficou mais alta.
Passei KY no meu pau e pincelei na sua bocetinha.
– Se doer você fala, vou enfiar devagar
– ta, pode enfiar tio
Senti meu pau abrir caminho naquela grutinha apertada. Boceta gostosa demais. Senti o calor do seu corpinho. Coloquei o pau inteiro e comecei a penetrar devagar.
Ela só gemia baixinho, não sei se com dor ou prazer.
Fiquei metendo na menina por uns 15 minutos até gozar dentro dela.
Tirei meu pau e fiquei vendo a porra escorrer daquela pepequinha careca.
Tomamos um banho e olhei no relógio, ainda eram 15:20 hs.
Convidei a menina para ir na praia comigo.
Ela não tinha biquíni e a calcinha dela estava muito velha.
Passei em um hipermercado e comprei algumas peças de roupas, inclusive um biquíni infantil bem apertadinho. A parte da calcinha estava tão apertada que dividia a bocetinha, mostrando todo o reguinho. Adoro isto nas menininhas. Ver um biquíni atolado na bocetinha, deixando ver os lábios vaginais divididos.
Ao chegar na praia, a menina se trocou no carro mesmo e logo entramos na água.
Brincamos muito e ali quem via, jamais podia imaginar que aquela criancinha tinha levado vara pouco antes.
Na água eu peguei ela no colo e meu pau deu sinal de vida.
– Tio seu pau não cansa não ?
– Não… meu pau te ama, por isto ele quer fazer denovo.
– ahhh depois a gente faz tio.
– Vamos fazer sim amor.
Na praia ela tomou sorvete e comeu tudo que podia. Milho, queijo coalho assado, biscoito…
Até que resolvi voltar com ela para casa.
Ao chegar tomamos um banho e ela me chupou novamente. Segurei para não gozar.
Ficamos pelados.
Ela pediu para ligar para sua mãe, perguntei porque:
– Tio eu cuido dos meus irmãos e minha mãe deve estar no bar bebendo. Tenho medo dos meus irmãos ficarem na rua
– Mas eles são preocupação da sua mãe né ?
– é tio, mas estou pensando neles… acho que eles nem comeram nada ainda.
Resolvi ligar.
A Gorete (mãe da Cristina) atendeu e percebi que estava bem embriagada. Mal conseguia falar coisa com coisa.
Nesta conversa a Cris me pediu se podia ir buscar seus irmãos menores (3 crianças).
– Suelen – 6 anos
– Maicon – 7 anos
– Aline – 2 anos.
Fiquei com medo de pegar tantas crianças assim, mas a Cris me pediu quase chorando e a Gorete disse que as crianças estavam na rua e que eu podia pegar.
Segui até perto da casa deles e a Cristina foi correndo buscar os irmãos. Orientei a não falar nada para os vizinhos e se alguém perguntasse, era para dizer que ia levá-los na casa da tia.
Ao ver as crianças deu vontade de chorar.
Todos vestiam apenas uma peça de roupa. O menino estava de cueca, a bebezinha vestia calcinha e a menina de 6 anos estava de vestido e sem calcinha. Todos estavam muito sujos e até fediam.
Ao chegar em casa eu liguei pedindo marmitex e coloquei todos no banho.
A bebê estava com a fralda suja. Liguei para uma farmácia e pedi fraldas, lenços umidecidos e uma pomada para assaduras. Nunca tinha trocado uma fralda, mas a Cris me ajudou.
No banho eu vi o pinto do menino e a bocetinha da Suelen.
A Suelen é linda. Bocetinha lisinha, e abrindo um pouco os lábios vaginais, é rosinha… uma delicia de menina. Ao mexer nela meu pau deu sinal de vida e tive que parar.
Dei comida para eles e logo a bebê dormiu.
Coloquei eles no sofá. Levei a Cristina para o quarto. Fiquei pelado e tirei a roupa dela.
Beijei sua boquinha e chupei sua bocetinha.
Esquecemos das crianças na sala. Até que ao olhar para a porta do quarto a Suelen estava parada vendo o que eu fazia com a Cristina.
Pensei em parar, mas ela já tinha visto mesmo.
Coloquei meu pau na boca da Cris e ela me chupou com vontade. A Suelen continuava olhando.
Até que chamei:
– Vem aqui menina… deita aqui
Ela se aproximou e sentou na cama.
– Pode deitar Sú – Falou a Cris.
Timidamente a Suelen se deitou.
Coloquei a Cristina de barriga para cima e me posicionei. Pincelei meu pau na bocetinha e fui empurrando até entrar todo.
Com muito carinho e sem pressa eu meti gostoso. Olhava a carinha de safadinha da Suelen.
A menina parecia não estar surpresa com nada. Pelo contrario, ela levantava a cabeça para ver meu pau entrando na irmã.
– Você já fez isto Suelen ?
A menina só balançou a cabeça que sim.
Explodi num gozo frenético dentro da Cris. Tirei meu pau e gozei um pouco na barriguinha da Cris. Só para a Suelen ver minha porra.
Me deitei no meio das duas e beijei a boquinha da Cris.
Ficamos calados até que vi que a Cris já estava dormindo.
Abracei a Suelen que ainda estava de vestido e sem calcinha.
A menina nada falou.
Coloquei minha mão na sua perninha e fui subindo até tocar sua vagina.
Vi que neste momento ela fechou os olhinhos. Toquei de leve, procurando o buraquinho. Reparei que a menina era virgenzinha.
Mexi na seu grelinho pequenininho, e perguntei:
– Está gostando ?
Sem abrir os olhos ela balançou a cabeça que sim.
Me posicionei ficando com a cabeça no meio das perninhas dela. Cheirei sua bocetinha. Não tinha muito cheirinho de xixi (ela já tinha tomado banho). Passei a língua e chupei.
Meu pau estava muito duro e até dolorido.
Toquei uma punheta e gozei em cima da menina. Me deitei do lado dela e a abracei.
– Suelen você já fez isto antes ?
– Já
– Com quem ?
– Ai tio eu tenho vergonha de falar….
– Pode falar meu amor. Você viu eu fazendo com a Cris, não precisa ter vergonha… fala
– eu já fiz com os meninos lá perto de casa
– Hummm que gostoso, e quantos anos tem estes meninos ?
– Não sei
– Mas são crianças ?
– são
– Algum tem um pinto grande igual o meu ?
– Não tio, são pequenos…
– ahhh legal, mas qual tamanho ?
Com muito custo a menina me falou que um dos meninos tem 12 anos e o pinto dele é menor que meu dedo mindinho. A menina é virgem eu pude conferir isto.
Abracei ela e dormi pelado no meio das duas.
Acordei horas depois com a bebezinha chorando.
Peguei ela no colo e a menina foi se acalmando. Acordei a Cris e perguntei o que devia fazer.
Ela me pediu para colocar leite em um copo que a Irmã toma no canudinho. Fiz isto e logo a bebê dormiu. Coloquei no sofá e dormimos.
Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,86 de 14 votos)

Por #

19 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Paie

    eantes.eu ali olhando a aquela sena.e nao percebi que tava com o pau duro que era uma barra de ferro.nunca tinha ficado com o pau daquele geito antes.tava latejando e curvado pra cima.eu tava so de cueca.branca boxer.e eu ali olhando bem de pertinho.ai ela deu uma gemidinha mais forte e empurrou a cadela.e correu pro banheiro de porta aberta.eu fui atras espiar ela entro no boxe do chuveiro e se abaixo e começou a fazer xixi.eu olhando tudo.ai ela voltou pra sala e abriu as pernas e chamou a cadelinha dela.de novo.ai ela fico de 4 no carpete e abriu a bundinha com as maos.e a cadela ali lambemdo.ela me viu.e se assustou.e se alevchoantou rapido.eu disse oque ta fazendo filha.ela chorando disse nada papai.com medo de eu brigar co. Ela.ai puxei ela pro meu colo.e ela leva a mao no meu pau e dis o sr fez xixi na cueca.ta molhado.eu tirei a mao dela.ela de perninha aberta no meu colo.senti o calor da bucetinha dela.e sem perceber que ela tava sem calcinha e toda melada.meu pau sai pra fora e fico esfregando na bucetinha dela.ela ali quietinha deitada no meu peito.levei a mao na bundinha dela.e toquei na bucetinha dela.tava aberta.ai perguntei porque ela tava fazendo aquilo com a cadel.

  • Responder Paie

    Eu meti numa mais novinha e ela aguentou todo meu pau de 20 cm dentro da bucetinha.ela era minha entiada.tudo começou quando peguei ela no flagra sentadinha no chao da sala so de vestidinho e sem calcinha.ela tinha na epoca apenas 3 aninhos e meio.mas oque eu vi ja percebi que ela ia ser uma putinha muito novinha.ela tava tomando iorgute e de pernas abertas.ela passava iorgute na bucetinha e a cadelinha dela lambia a bucetinha dela.eu ali olhando.e nao acreditava no que eu tava vendo.uma menina tao novinha fazendo aquilo.e parecia que ela tava gostando por que dava umas gemidinhas e fechava a peninhas.e toda vermelha.ai eu percebi o porque dela ja tinha uma bucetinha bem inchadinha.uma ves fui dar banho. Nela olhei ela tava com a bucetinha bem inchadinha e vemelha.ai passei os dedos com sabonete.senti que tinha um buraquinho aberto e toda meledinha.ai forcei o dedo entro a pontinha e ela so deu um gritinho.e eu perguntei.doeu filha.ela sim papai.ai eu perguntei oque ela tinha feito na bucetinha porque tava bem vermelha e abertinha.ela disse que nao fez nada.bom ai deixei passa.mas depois que vi ela dando a bucetinha pra cadela chupar.eu percebi que ela ja fazIa aquilo muito antes.

    • Alemao

      Tive uma experiencia em comer uma novinha junto com a mae dela e foi uma das melhores experiencias que ja tive

  • Responder Guga

    Como pode fazer isto ?

  • Responder Nando

    Continua num IV episódio. Muito bom!

  • Responder Anônimo

    Cadeia para vc!

  • Responder Juka Bala

    Pode parecer incrível, mas eu comi uma Cristina que encontrei na orla em Fortaleza.
    Eu já tinha lido este relato, e a menina tem mesmo vários irmãos.
    Mal pude acreditar quando vi uma menina tão novinha aguentando minha rola.
    Consegui levar para o hotel onde eu estava hospedado.
    As irmãs dela também estão no esquema.

  • Responder Jair

    Luiz, deixe seu contato do zap ou e-mail.
    Conheci uma menina com o mesmo nome Cristina aqui em Fortaleza.
    Acho que é a sua, vocês estão juntos ainda ?
    A menina estava sozinha pedindo na rua

    • Luiz Fabio

      Jair, boa tarde.
      Eu não estou mais com elas não.
      Acho que vc encontrou a Cristina mesmo.
      Fiz de tudo por esta família.
      Mas a mãe não presta. Eu dava dinheiro, roupa, comida… tudo.
      E descobri que a mãe mandava as meninas procurarem turistas na orla da praia.
      A Cristina chegou a sair com alguns turistas enquanto ela estava comigo.
      A própria menina me contou.
      Com medo de dar merda… e logo alguém vai descobrir, eu caí fora.
      Confesso que sinto muita saudades dela, mas é minha liberdade que estava em jogo.

  • Responder Jair

    Olá Luiz,
    Deixe seu contato (zap ou e-mail).
    Eu conheci uma menina Cristina aqui em Fotaleza e acho que é a mesma

  • Responder Lehticia

    Nossa Luiz seu relato e muito ótimo…..se eu fosse virgem é novinha faria questão de perder minha virgindade com vc……

  • Responder Pedro

    Espero que cotinue

  • Responder AdvSafado

    Ansioso pela continuação.

  • Responder Andre

    Excelente conto. Aguardamos a continuacao.

  • Responder Janete Souza

    Adore muito Bom Continua
    Beijos

    • Alberto

      Oi delicia…

    • Paty

      DLC… Parece ser verídico

  • Responder Anonimo

    Brinca com a de 2 tb e o menino

  • Responder Ricardo

    Muito bom brother, continue…