Continuação do conto anterior, eu e a Fernanda transamos

Autor

Minhas lembranças (XXII), continuação do conto anterior, Passaram-se alguns dias a Fernanda foi ao médico, fez alguns exames de sangue e urina, e também um ultrassom da tiroide, e de fato ela estava com depressão e a tiroide estava meio lenta, e isso agravava sua depressão, o restante dos exames estavam todos normais, nem um problema de infecção, somente a depressão, mais que isso com uns antidepressivos e regularizando a tiroide voltaria tudo ao normal, minha mãe comprou os medicamentos, e ela começou a ser medicada, e eu durante uma semana fiquei na rotina de sair do colégio, pegar as crianças no outro colégio, e leva-los pra minha casa, lá eu dava uma aula de reforço (eles já estavam acompanhando a classe), eu dava um banho neles, nem preciso dizer que eles estavam amando meus banhos, principalmente o Fábio, ele adorava quando eu lavava o seu pintinho, e a Mariana também adorava quando eu lavava sua bundinha, delicadamente eu lavava bem seu cuzinho, depois eu lavava sua ppk, delicadamente eu massageava seu grelinho e depois colocava o dedo até achar seu cabacinho, e assim passaram-se alguns dias.
A Fernanda melhorou um pouco, e as crianças já não precisavam mais de aulas de reforços, e nossas vidas voltaram ao normal, ou quase!!!!! Num fim de tarde passei na casa da Fernanda pra ver como eles estavam; ela estava bem, já estava se cuidando, tinha levado as crianças no cabeleireiro, todos de cabelos cortados, ela também estava bonita, mãos e pés feitos, nem parecia aquela pessoa que a uns 20 dias atrás estava toda desleixada, tanto ela como os filhos. Fiquei muito feliz de ver a mudança daquela família, mais ainda eu sabia que havia um problema, ela precisava de encontrar um emprego, ela não ia querer ficar dependendo da nossa ajuda a vida toda, mais isso vou relatar depois.
Conversamos como amigas, e ela me disse que os garotos viviam falando que eu dava um banho gostoso, ai eu disse: Fernanda hoje eles já tomaram banho? Pois se não tomaram eu posso dar banho neles aqui na sua casa, ela me disse que ia ser muito trabalho, que eu estava vestida de calças comprida, e que eu ia me molhar toda, eu disse; Se você não se importar eu faço como na minha casa de dou banho neles nua, aí depois eu só me enxugo e visto minha roupa seca novamente, ela concordou, ela estava na cozinha terminando a janta eu fui até a sala, tirei meus tênis, minhas calças, calcinha, blusa e sutiã fiquei nua, ela da cozinha estava me vendo pois os cômodos são próximo um do outro, entrei embaixo do chuveiro com as crianças e começamos o banho, fiz como fazia na minha casa, mais agora estava muito mais fácil, pois eles já não estavam mais encardidos, era um banho normal, mais eu caprichei na bocetinha da Mariana, massageei seu grelinho, lavei suas preguinhas da boceta, coloquei meu dedo dentro até encostar no cabaço, lavei sua bundinha, passei a mão no reguinho e brinquei com a ponta do meu dedo no seu cuzinho, ela estava adorando, terminei o seu banho e comecei o do Fábio, fiz a mesma coisa, lavei seu corpinho todo, depois lavei sua bundinha, lavando bem o olhinho do seu cuzinho, depois fui lavar seu pau, que a essa altura estava duríssimo, arregacei o prepúcio e comecei a lavar cabecinha, deixei bem limpinho, aí fiz aquela massagem de ficar com movimentos pra frente e pra traz, ele estava adorando, terminei de dar o banho pra não cair de boca naquele pintinho ainda virgem, pois eu estava com minha boceta molhada com meus sucos de tanto tesão, fiquei em pé pra passar uma agua no meu corpo e a Mariana, me pediu pra lavar minha ppk também, a danadinha fez do mesmo jeito que eu tinha feito nela, e ainda comentou; Tia a sua ppk é bem maior que a minha, tem esse negocinho aqui duro, e tem um buraquinho grande, olhe cabe minha mão dentro, e colocou 4 dedinhos dentro da minha boceta, aí eu expliquei que gente grande é assim mesmo, que ela também ia ficar igual a minha e a da mamãe, saímos do banheiro e levei as crianças para se enxugar no quarto, vesti uma camisolinha na Mariana, e um shorts com camiseta no Fábio, fui pra sala me vestir e a Fernanda já tinha terminado a janta e estava sentada no sofá da sala, e eu na sua frente peladinha, me vesti sem pressa, e ela me agradeceu pela paciência que eu tinha com as crianças, que se não fosse eu e minha mãe ela não sabia como estariam nesse momento, que ela não sabia como iria nos pagar, e que ela precisava arrumar um emprego, nem que fosse de meio período para complementar sua renda, que a pensão que ela recebia do INSS era pouco: eu disse pra ela que eu iria falar com meu pai, que ele ou algum amigo dele que tem empresa daria um jeito de arrumar um serviço pra ela. Aí ela me deu um abraço muito apertado, nossos corpos ficaram colados, eu sentia seu coração bater nos meus peitos, ficamos assim abraçadas por um tempinho, depois fomos nos separando, eu fui dar um beijo no seu rosto, mais com uma viradinha que ela deu eu beijei a sua boca, não foi beijo de língua, foi um simples beijo mais aquilo serviu para aflorar todo o nosso tesão, ela ficou vermelha mais não tinha como esconder o nosso tesão, nos separamos ela chamou as crianças para jantar, e quis que eu jantasse junto com elas, aí eu liguei pra minha mãe e disse que iria demorar um pouco, que não se incomodasse comigo que eu iria pra casa de taxi.
Jantamos, colocamos as crianças para dormir, voltamos pra sala e continuamos de onde havíamos parado, sentei do lado dela no sofá e nos beijamos de língua, que delicia nossas línguas se entrelaçando hora dentro da sua boca, hora dentro da minha, já fui pegando nos peitinhos dela e ela nos meus, não aguentei; comecei a tirar minha roupa e fiquei nua na frente dela e ajudei ela a tirar as delas também, ficamos as duas nuas, olhamos as crianças e pareciam que já estavam dormindo, o quarto é grande e tem 3 camas de solteiro, fomos as duas pra sua cama, a luz do quarto estava apagada, mais a luz da sala passava pela porta e clareava justamente a cama da Fernanda, mais achamos que as crianças estavam dormindo nem ligamos pra isso, deitamos lado a lado, e nos beijando na boca, depois viramos a posição, e fizemos um delicioso 69, a boceta dela estava alagada, que delicia tinha um grelo grande e duro, acho que um pouco maior que o meu que também é bem grandinho, mamamos uma no grelo da outra, metemos a língua dentro das nossas bocetas, que delicia, começamos a gemer de tesão, nisso dou uma olhada pra cama das crianças, os dois de olhinhos abertos vendo eu e a sua mamãe nos chupar e nos lamber, fiz de conta que eu não tinha visto e continuamos a nos chupar, até termos diversos orgasmo, uma na boca da outra, ficamos exaustas de tanto que gozamos, depois fomos tomar um banho juntas, e ela me confidenciou que fazia meses que não gozava, que não saia com ninguém, nem homem nem mulher, nem se masturbando ela estava, mais que tinha adorado nossa transa, e que se eu quisesse ela queria repetir novamente, que ela como eu também era bi sexual, mais que fazia muito tempo que não transava com mulher, pois depois que ela casou só tinha transado com o esposo, eu prometi que voltaria, que eu também tinha adorado transar com ela, que eu tinha gozado gostoso, que eu voltaria e eu dava banho nas crianças e depois a gente transaria. Vesti minha roupa, fui dar boa noite para as crianças, e agora ele estavam dormindo mesmo, chamei um taxi, me despedi da Fernanda com um beijo de língua bem gostoso, e prometi que voltaria para continuarmos.
Isso ficará pro próximo conto.
Beijos da Flávia, meu e-mail: flaviacmantovanni@gmail.com