Comi minha filha

Autor

Meu nome é Carlos e eu não tenho orgulho do que fiz e faço, mas a carne é mais fraca e quando comecei a ver outros contos parei de me sentir tão estranho por desejar minha filha.
A minha filha tem 16 anos hoje, se chama Amanda e é muito gostosa e desde que ela era um bebê eu sentia tesao por ela. Mas como ela era tão pequena eu só batia punheta imaginando ela mamando meu cacete igual ela mamava as tetas da mãe. Quando ela desmamou e passou usar a mamadeira aí que eu ficava louco mesmo imaginando meu pau naquelas mãos tão pequenas.
O tempo foi passando e quando ela fez 7 anos eu já não aguentava mais, dar banho nela já era uma tortura pq tudo que queria fazer era comer a minha filhinha. Ainda bem q minha esposa não desconfiava e eu sempre podia dar banho nela e me deliciar passando a mão naquela xotinha e naquele cuzinho, como ela era muito pequena ela não entendia nada e achava normal os carinhos do papai e eu achava bom pq se ela se acostumasse seria mais fácil comer ela.
Quando eu tomava banho sozinho eu sempre batia uma punheta pra minha bebezinha, mas quando ia dormir me sentia um monstro, mas aquele pensamento não saia da minha cabeça.
Até que um dia minha mulher foi pra casa da mãe dele pq a mãe estava muito doente e deixou a Amandinha comigo eu fiquei louco pq metade de mim era tesao e a outra metade era dúvida e arrependimento.
O dia passou, eu peguei ela na escolinha depois do trabalho e quando cheguei em casa fui dar banho nela até que eu pensei q eu podia tomar banho junto com ela e assim fiz entrei no banheiro, tirei a roupinha dela e tirei a minha.
Ela não entendeu pq nunca tinha visto aquilo e eu disse pra ela ficar quietinha q o papai ia dar banho nela.
Ela então pegou no meu pau e eu quase gozei na hora e ela perguntou:
Papai, o que é isso? E eu disse que era um brinquedo q ela ia gostar muito de brincar
Ela ficou toda feliz pq toda crianca gosta de brinquedo, mas quem ia brincar mesmo seria eu
Enquanto passava a mão na bucetinha dela no banho eu nem pensava mais só queria mesmo era meter meu cacete na minha bebê
Então eu falei pra ela colocar a boca no meu pai pq só assim q o brinquedo funcionava e ela toda inocente segurou meu pau e colocou a boquinha, eu fui a loucura e comecei a foder a boquinha dela de leve e não parava de passar os dedos na xaninha dela.
Como eu não estava mais aguentando eu desliguei o chuveiro e levei ela pro meu quarto aí ela fez cara de choro e disse
Papai, quero brincar mais com seu brinquedo, deixa
Aí eu não resisti, sentei ela na beirada da cama e coloquei meu pau q tava quase explodindo na boca dela e ela mamava muito gostoso, e eu dizia isso minha bebê mama o brinquedo do papai pra vc ganhar leitinho vai minha lindinha
E ela mamava e mavava até que eu gozei, foi a sensação mais gostosa do mundo ser mamado pela minha bebezinha tão pura. Ela com a boca cheia não sabia o que fazer e eu mandei
Agora engole o leitinho q o papai te deu e ela bebeu tudo e eu estava ficando cada vez mais louco, nem raciocinava mais, só queria meter naquela bucetinha pequena
Aí eu deitei ela na cama e disse
Agora o papai q vai brincar, tá bom?
E ela disse: tá bom papai, quero que seja a minha vez de brincar de novo logo
Eu ficava mais louco ainda com a inocência dela e então caí de boca naquela xotinha e lambi muito e mexia no grelinho minúsculo dela. Ela ainda muito criança não sentia tesao, mas eu estava igual um animal pronto pra comer ela, mas quando fui enfiar meu dedo nela ela sentiu dor
Papai, essa brincadeira tá me machucando
E eu disse: calma meu anjinho, vai ficar mais legal daqui a pouco
E continuei tentando enfiar meu dedo na xota dela, mas ela era tão pequena q meu dedo tava machucando ela, meu pau então iria arregaçar ela, mas eu não podia machucar ela pq se não minha esposa iria descobrir
Então eu cuspi mais na bucetinha dela e fui com muito carinho enfiando meu dedo e falando
Calma Amandinha, o papai so tá começando, agorinha para de doer
E ela gemia de dor e mesmo que eu estava sentindo dó da minha bebê meu desejo carnal falava mais alto e eu não parei ate q enfiei meu dedo médio dentro dela e aí ela acalmou
Então eu comecei a meter meu dedo nela e metia rápido e meu pau estava duro q nem pedra de novo e eu metia o dedo e mexia no grelo dela e falava
Nossa, filhinha vc é um presente pro papai, o papai te ama tanto e eu urrava de tesao falando isso até q gozei de novo e gozei mais q a primeira vez, estava louco pela minha bebê
Minha vontade de comer ela era enorme, mas sabia q eu iria machucar ela então eu disse
Filha, isso hoje foi uma brincadeira minha e sua, a mamãe não pode saber. Vc gostou de brincar com o papai?
E ela disse: eu gostei papai, mas doeu também
Aí eu disse: quando a gente brincar de novo nem vai doer, tá bom?! Agora o papai vai tomar outro banho
Deixei minha filha na minha cama e quando voltei ela já tinha dormido e estava peladinha, eu deitei do lado dela e adormeci também
No outro dia de manhã Amandinha foi se arrumar pra ir pra escolinha e eu pro trabalho e minha esposa voltava naquele dia a noite
Logo mais eu teria outros dias pra brincar com a Amanda e brinco até hoje, mas como comi minha bebezinha fica pro próximo conto

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 6 votos)
Loading...