Clara, menina do interior… mais esperta que as da capital

Autor

Olá leitores,
Sou novato aqui neste site, e também não sou escritor profissional.
Tenho 29 anos e sou engenheiro civil. Moro em SP e sou solteiro por convicção.
Meus pais moram em um sítio que está localizado em uma cidade no interior de São Paulo.
Todos os anos eu tiro férias em Dezembro e passo as festas com eles.
É um lugar muito calmo, diria calmo até demais… mas vamos ao conto.
Logo na primeira noite que eu estava no sítio, resolvi ir para o centro da cidade e procurar algum bar, se possível com alguma mulher interessante.
Eu já conheço os barzinhos da cidade.
Ao parar próximo da praça central, eu desci do carro e fui abordado por 2 meninos:
– Tio… podemos tomar conta do seu carro ?
– Claro garotos… podem cuidar sim. Mas se chegar uma garota gostosa, podem deixar ela entrar – falei isto sorri alto.
– Aí tio, você é esperto… está procurando uma mulher né ?
Cheguei perto deles e falei:
– Eu quero transar, pode ser mulher, menina, menino… quero comer rsrsrsrs
Resolvi não arriscar, mesmo achando os dois meninos muito bonitos. Eu já fiz coisas com meninos novinhos, mas preferi ir com calma.
Fui até o barzinho e tomei várias cervejas… e nada de mulher. Fiquei umas 2 horas e nada. Paguei a conta e saí.
Ao chegar perto do carro, só tinha um dos meninos, aliás o menor, que veio falar comigo:
– E aí tio
– Oi garoto
– O tio ainda não conseguiu uma garota ?
– Consegui nada
– Tio, pode ser uma menina ?
– Opa, claro que pode… qual a idade dela ?
– Tem 10 tio.
Na hora meu coração acelerou forte. E cheguei mais perto dele.
– Como assim, onde está a menina ?
– Ela é minha prima tio, ela tem 10 anos e cuida de carros lá do outro lado da igreja.
– E ela transa ?
– Transa sim, só que o senhor tem que pagar…
– Eu pago sim… você pode ir chamá-la ?
– Vou agora tio… não sai daí que em 5 minutos eu volto.
Apesar da praça estar toda iluminada com enfeites de natal, o movimento estava parado. Apenas algumas pessoas circulavam pela praça.
Sentei em um banco já perto do carro e fiquei observando o movimento. Parte de mim queria ir embora, mas outra parte queria esperar para ver a tal menina.
Não demorou muito e vi o menino correndo e sozinho. Logo pensei… fudeu, a menina não quer sair comigo.
Ofegante o menino falou:
– Tio, ela já está esperando o senhor lá na outra rua, vamos lá que eu mostro ela para o senhor.
Confesso que fiquei com medo de ser uma arapuca, mas entramos no carro e ele me indicou o caminho.
De fato a menina estava parada em uma rua que tem uma escola de um lado e uma empresa do outro. Rua sem nenhum movimento e ideal para quem não quer ser visto.
Ao entrar no carro eu vi que a menina era muito pequena. Moreninha clara, cabelos curtos, bem criancinha ainda. Sequer seios ela tem.
Enquanto dirigia sem destino definido eu fiz perguntas bobas, como nome, idade etc.
Ela se chama Clara, tem 10 anos.
Tomei o rumo do sítio, até por ser um local que conheço bem.
Parei na estrada de terra batida e conversei com as crianças. A menina me falou que faria sexo comigo por R$ 50,00. Ofereci R$ 100,00 para ela e R$ 50,00 para o menino.
Até que ela me indicou um motel na saída da cidade. Fiquei com muito medo, mas ela me disse que já tinha ido 4 vezes neste motel, e que nunca deu nenhum problema. Ela me disse que ela e o menino ficariam no porta malas.
Com um tesão e muito medo resolvi arriscar e ver no que iria dar.
Ao chegar perto do motel, eu parei e eles entraram no porta malas. Meu carro é uma Ecosport e o porta malas é relativamente grande para 2 crianças se esconderem.
Ao chegar na recepção eu pedi uma suíte. A recepcionista perguntou se eu estava sozinho, respondi que sim, pois estava de viagem e queria apenas descansar um pouco e tomar um banho. Escolhi uma suíte com hydro. Foi tudo muito rápido, e em menos de 5 minutos eu parei de ré na garagem do quarto. Abaixei o toldo para tampar a visão e ajudei eles a saírem.
Ao entrar no motel, o menino parecia encantado com tudo, e a menina mostrava para ele como as coisas funcionam: Ligou o ar condicionado e o som e logo foi encher a banheira.
A menina conhece mesmo este motel, mas o menino era a primeira vez.
Pedi para eles tirarem a roupa e logo vi aqueles corpinhos lindos. São crianças ainda. Eles não tem nenhum pêlo nos genitais. A menina tem apena um carocinho no seio. O pinto do menino mesmo duro é do tamanho do meu dedo indicador.
Tirei minha roupa também, enquanto a menina ligou a TV e começaram a ver um filme pornô.
O menino até babava vendo a mulher no filme chupando uma pica enorme.
– Clara, você já chupou um pinto grande assim (falei apontando para a TV) ?
– Assim não tio.
Peguei a menina e coloquei ela deitada na cama. Beijei sua boca, e chupei seu corpinho.
– Clara, hoje você transou com alguém ?
– Não tio… já faz 4 dias que eu não transo.
Resolvi não chupar a menina antes de dar um banho nela.
A bocetinha é linda. Pequena, parece feita a mão de tão linda.
Pedi para ela me chupar e logo ela estava com a boca me sugando. Sua língua percorria meu pau, ela chupou até minhas bolas. Pedi para parar porque não queria gozar rápido.
Coloquei ela de quarto na cama e pincelei meu pau na sua bocetinha. Senti seu calor. Coloquei a cabeça e empurrei. Mesmo seco entrou com facilidade. Que delícia de criança. Fiquei um 10 minutos penetrando com força.
O menino estava ao lado da cama e se acabava na punheta.
Mandei ele comer a menina enquanto eu iria ver como ele fazia.
Ele fez direitinho. A menina ficou na posição de frango assado e ele meteu gostoso nela.
Meu pau até doía de tanto tesão.
Coloquei meu pau na boquinha da Clara e ela chupou enquanto o menino fodia ela.
Senti que iria gozar e pedi para ele sair de cima e tomei seu lugar. Coloquei meu pau inteiro na pequena menina. Vi entrar tudo nela. Não demorou eu gozei muito.
Deitei e puxei ela para cima de mim.
Ficamos vendo o filme pornô.
Até que a menina pediu para tomar banho. A banheira já estava cheia e ficamos os 3 apertados na banheira.
Lavei os dois com carinho. Segurei o pinto do menino que não amolece.
– Garoto, você já goza ?
– Eu não tio
Meu pau já estava duro novamente e coloquei a menina em cima. Ela cavalgou na minha rola como uma puta profissional. Beijei muito a boquinha dela até gozar novamente.
Sai da banheira e fiquei só olhando os dois. A menina chupou o menino e depois mandou ele sair da banheira. Eles foram para a cama e ela falou:
– Vai mete que estou querendo.
Meu pau já estava duro novamente.
O menino ficou uns 20 minutos enfiando até que se cansou.
– Eita menino mole, já parou de transar – resmungou a Clara.
– Calma Clara, eu ainda não acabei.
Me deitei sobre ela e enfiei meu pau inteiro. Soquei com força. Ficamos metendo uns 30 minutos, até que tirei meu pau e mandei ela chupar. Gozei na boquinha. A menina engoliu tudo.
Olhei no relógio e já faziam 2 horas que estávamos ali.
Tomamos um banho e saímos.
Perguntei onde moravam e fui levá-los.
Marcamos de nos encontrar no dia seguinte e pedi para a menina não sair com ninguém, porque eu daria mais dinheiro para ela.
No dia seguinte eu tive uma boa surpresa, mas fica para o próximo conto… continua

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 2 votos)
Loading...