Assaltante Amarra Marido e Curra a Mulher Pelo Cuzinho

Autor

Quando aconteceu isso com a gente, pensei logo em ir dar queixa
na polícia, mas como a cidade é pequena, todo mundo ia ficar
sabendo e nós preferimos ficar quieto e assumir o dano, mas com
o passar das semanas, a lembrança do assalto e da curra foi nos
dando muito tesão, tanto em mim como em minha esposa e
contribuiu para apimentar muito nossa relação sexual, a ponto de
agora querermos vivenciar algo similar com algum leitor do nosso
grupo.. Vou narrar o que nos aconteceu…
.
Sou casado há 5 anos com Verônica, uma moreninha linda de 26 anos
mas nosso casamento tinha enveredado por uma mesmice e estava
meio sem graça. Nosso sexo na cama era sempre igual e minha
mulher não gostava de fazer anal. Eu só conseguia comer o cu dela
no máximo no dia dos professores. (Sou professor de Matemática).
Nem no meu aniversário ela me dava.
.
Naquele sábado, tinhamos chegado em casa no meio da tarde depois
de um almoço com amigos e nos refestelamos no sofá da sala.
Verônica ainda chegou a me alertar que achava que eu não tinha
trancado a porta da entrada, mas eu teimei que sim. Ela ouviu um
barulho e me disse pra verificar, mas nem deu tempo. O bandido
entrou de repente na sala, de arma em punho, ameaçando nos matar
se a gente não cooperasse.
.
Daí ele me amarrou na poltrona e me amordaçou, sempre dizendo
que se eu me coçasse ia tomar um teco. Tentei manter a calma mas
Verônica estava muito nervosa. Quando o assaltante foi pra cima
dela, começando a passar a mão na bundinha dela, ela pediu para
ele não fazer nada com ela, que ela daria todo o dinheiro da gente
pra ele, mas o cara não parecia querer dinheiro. Estava com os
olhos injetados de tesão no corpo da minha mulher, que realmente
é muito gostosa.
.
Fez ela tirar a roupa e depois ficar de quatro no sofá. Eu ainda
murmurei por entre a mordaça pra ele não fazer aquilo com ela,
mas o cara ria e dizia que ia se fazer no corpinho dela. Então ele
obrigou Verônica a chupar o cacete dele na minha frente….
Me deu uma raiva danada.. Uma vontade de castrar o cara.
Ela chupava com vontade pra ver se conseguia que o cara gozasse
na boca dela e fosse embora, mas ele tava atrás é de experimentar
todos os buracos da minha esposa, e começou pela bucetinha que
eu tanto amo. Antes disse na minha cara que não queria engravidar
ela, e que ia comer ela de camisinha. Colocou a borracha e enterrou
de uma vez na racha de Verônica que ganiu com a falta de lubrificação.
.
Ele então tirou o pau, cuspiu na cabeça do falo e tascou a vara
de novo na buceta dela. Pensei que ia gozar e iria embora, mas
de repente ele sacou o pau melado de dentro dela, olhou na minha
cara e disse:
.
– Ô côrno.. agora tu vai ver tua mulherzinha levar um caralho bem
fundo no olho do cú dela, que é pra tu não ir dar queixa na polícia
senão eu conto pra todo mundo que faturei a olhota dessa putinha.
.
E a seguir cuspiu de novo no cu da minha mulher e começou a
enrabá-la na minha frente. Eu me torcia de raiva e ela de vergonha.
Ela depois me disse que contraiu ao máximo o cu pra não deixar o
pau dele entrar, mas o cara foi bruto e enterrou de com força no
ânus dela fazendo cosquinha na barriga dela, o que fez ela relaxar
e aí o pau dele entrou até os bagos.
.
De repente, não sei como, aquilo começou a me dar um tesão
danado e consegui coçar meu pau que foi ficando enorme e acabei
me esporrando todo nas calças. Ainda bem que Verônica não viu..
Finalmente o cara se foi avisando que voltaria se a gente desse
queixa na polícia… Verônica então me soltou das cordas e fomos
tomar um banho..
.
Agora passado algum tempo do ocorrido, resolvi contar pra vocês
pois não paro de ter tesão lembrando do ocorrido, e o pior (ou
melhor) é que Verônica passou a ter tesão em dar a bunda, e
sempre pede que eu a enrabe dizendo que sou o assaltante.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 1 votos)
Loading...