Amiguinho do meu irmão. Parte III – Brincando com meu irmão

Autor

Continuando essa louca história que aconteceu comigo quando eu tinha 15 anos. Fiquem a vontade para ler as primeiras partes desse conto.

Eu e Paulinho já estávamos bem íntimos. Toda vez que tínhamos algum tempo livre, aproveitávamos para "brincar" daquela maneira deliciosa.
Eu particularmente já nem pensava mais se aquilo era errado ou não. Apenas aproveitava os momentos. E mais idéias malucas começaram a brotar na minha mente. Como seria o pintinho duro do meu irmão Vinicius de 10 anos? Será que era igual ao de Paulinho? Esses pensamentos me excitavam um pouco. Porém eu dava sempre um passo atrás por se tratar do meu irmão. Certo dia chego em casa e vou correndo para meu quarto jogar videogame. Novamente quando vou me aproximando, espio pela frestinha da porta meu irmão com a minha playboy na mão. Eu nem me preocupava em esconde-las mais. Ele ficava foleando a revista, e também ficava apertando seu pinto por cima da calça. Aquilo me deixou maluco. Claramente ele devia estar excitado, mas não sabia como se aliviar. Diferente da outra vez, dessa vez a minha tara falou mais forte, e eu entrei no quarto de surpresa. Meu irmão me viu, e com uma cara de assustado tentou esconder a revista.

-Só na safadeza né Vini ? –
Meu irmão nada respondeu.

-Aonde você achou minha revista? – Continuei …
-Tava na sua gaveta … Por favor não conta nada pra mãe… Eu vou ficar de castigo.

Coitado do garoto. Eu realmente não iria contar, afinal, ele estava apenas se descobrindo, de maneira inocente. Não tinha nada de errado naquilo. Mas usei essa desculpa para negociar com ele, uma coisa que eu queria muito. Fechei a porta do quarto. Meu irmão estava certo de que levaria uma bronca minha.

-Não vou contar, mas tem uma condição.
-Qual é ?
-Você vai deixar eu ver e tocar no seu pintinho…

Meu irmão fez uma cara de quem não entendeu nada. Acho que não esperava um pedido desses vindo do irmão. Mas talvez com o medo que estava de ficar de castigo, foi abaixando a calça até o joelho, me apresentando aquele pintinho duro. Era um pintinho totalmente diferente do de Paulinho. Era mais fino, com muita pele, e um pouquinho maior também. Totalmente branquinho.

-Olha só. Ta durinho hein ! Tava gostando da mulher da foto?
-Tava, ela é mó gostosa.

Dei uma risada, e Vini foi relaxando aos poucos. Fui chegando perto dele e de pé mesmo, pude botar pela primeira vez a mão no seu pinto. Como era macia aquela pele. Fiquei um tempo ali, acariciando seu pintinho, as vezes puxava a pele pra cabecinha sair, e passava meu dedão bem de leve nela. Pude notar que seu pintinho ficou mais duro ainda. Dava até pra ver alguns vasinhos vermelhos.

-Quer ver o meu também ?

Vinicius apenas consentiu com a cabeça. Abaixei a minha calça até os pés e mostrei o meu pau para ele que já estava muito duro.

-Vai pega no meu pinto também, sente ele.

Meu irmão timidamente levou a sua mão até o meu pau e começou e fazer carinho. Eu fui aos poucos ajeitando a sua mão para lhe mostrar como pegava num pau. E quando menos se esperava ele já estava praticamente batendo uma leve punheta pra mim.
Então resolvi ir mais além. Pedi para ele se sentar na ponta da cama. Fui para frente dele e me ajoelhei. Queria chupar aquele pintinho. Abaixei completamente as suas calças, e cai de boca no seu pinto. Era uma delicia. Botei tudo dentro da boca. Chupava loucamente. O Fato de estar chupando o meu irmão me deixava mais excitado ainda. Me masturbava enquanto o chupava. Meu irmão tava gostando tanto que deixou o seu corpo deitar sobre a cama. Estava muito gostoso para os dois. Mas eu não queria gozar ainda. Pedi para o meu irmão fazer o mesmo em mim. Dessa vez eu me sentei na cama, e ele foi para a minha frente. Ele tentava fazer o máximo para me chupar, mas sua boquinha não ia muito longe. Mesmo assim era uma situação maravilhosa. Então tive uma idéia. Coloquei meu irmão deitado na cama, e me posicionei de joelho bem proximo do seu quadril. A ideia era ficar roçando meu pau no pintinho dele.
Comecei um vai e vem bem gostoso. Meu irmão com a cabeça apoiada sobre os braços apenas olhava pra mim.

-Tá gostoso Vini ? – Perguntei
-Ta, pode continuar.

Então botei a minha mão no meu pau e segurei o pintinho dele junto. Comecei a bater uma punheta bem gostosa. Bom ritmo, boa velocidade. Ver o pintinho dele ali junto ao meu, acompanhando meu movimento era excitante.
Então não aguentei mais e gozei. O Primeiro jato atingiu a sua barriguinha. Os jatos posteriores sairam mais fracos, lambuzando minha mão e nossos pintos. Mesmo depois de gozar, ainda fiquei um tempo brincando com o seu pinto todo gozado. Olhava para meu irmão que estava com um sorriso no rosto. O Safado tinha adorado. Me levantei, trouxe um pouco de papel higiênico do banheiro e limpei meu irmão direitinho. Depois falei para ele não contar para ninguém aquilo, pois ai sim iriamo ficar de castigo por um bom tempo. E ele me obedeceu, pelo menos até hoje nos dias atuais.

Proximo conto ( Final ) vou trazer a experiência aonde pude ter Vinicius e Paulinho os dois ao mesmo tempo comigo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,60 de 5 votos)
Loading...