Amiguinho do meu irmão. Parte I

Autor

Fala pessoal tudo bem? Vou contar uma história que aconteceu comigo a dois anos atrás quando eu tinha 15 anos.
Eu tenho irmão chamado Vinicius, que na época tinha 10 anos. E meu irmão tinha um amiguinho, o Paulinho, também de 10 anos porém alguns meses mais velho.
Os dois eram inseparáveis, estudavam na mesma sala, e estavam sempre brincando juntos. Um dia eu cheguei em casa depois do Futebol. Já era mais ou menos umas 18 horas. Passei pela cozinha para dar oi para minha mãe que já estava preparando a jantar para mais tarde, depois subi para tomar meu banho. Quando vou chegando perto do meu quarto, começo a escutar risinhos e cochichos. Fui chegando mais perto, agora de mansinho pra não ser notado, e dou uma espiada pela frestinha da porta. Era meu irmão e Paulinho olhando uma das minhas revistas da Playboy.
-Que Safados! -Pensei

Pensei em entrar e falar alguma coisa pra sacanear os moleques, mas mudei de idéia e deixei eles se divertindo um pouco. Dei meia volta e fui indo para a sala de TV pra matar um pouco o tempo.
Alguns pensamentos esquisitos começaram a brotar na minha mente. Será que eles estavam de pintinho duro ? Como era será que era os pintinhos deles durinho?
Eu sei que é meio bizarro, não me julguem, mas sempre tive uma tara por menino novinhos, mesmo nunca tendo feito nada assim. Sempre achei que isso deve ao fato de eu ter sido abusado sexualmente na infância ( Se ficarem curiosos, posso escrever sobre isso em um próximo conto ) Aqueles pensamentos deixaram o meu pau duro e aguçaram a minha imaginação na hora do banho.
Os dias se passaram e eu ainda fiquei imaginando essas coisas. Um dia Paulinho estava lá em casa, e meu irmão teve que ir fazer o dever e estudar com a minha mãe a matéria da aula. Enquanto meu irmão estudava, Paulinho ficava no quarto jogando video-game. Então aproveitei esse momento que ele estava a sós para tentar algo um pouco mais ousado. Sentei ao seu lado e comecei a puxar assunto. Até que falei pra ele que tinha visto outro dia os dois vendo revista de mulher pelada. Paulinho abriu um olhão assustado, até parou de jogar na hora. Provavelmente pensando que eu iria dar uma bronca, ou contar algo para a minha mãe. Tratei logo de acalmar ele, afinal meu intuito era outro. Falei pra ele que eu tinha outras daquele tipo escondida e perguntei se ele queria ver. Na hora ele abriu um sorrisão e respondeu que sim. Fui até o meu armário abri uma gaveta e tirei algumas revistas pra fora.
Novamente sentei ao lado dele, e começamos a folear a revista. Paulinho estava muito feliz, dava pra ver isso na cara dele.
-É gostoso ver essas coisas né?- Perguntei
-É sim- Respondeu Paulinho.

Eu estava adorando aquele momento. Porém ainda queria ver o pau do Paulinho. Numa das foleadas na página da revista, aproveitei e "resbalei" minha mão por cima do pinto dele. Mesmo por cima da bermuda, pude notar que tava durinho.
-Nossa, ta até duro hein !

Paulinho apenas riu.
-O meu também, olha – E abaixei a minha bermuda mostrando o meu pau duro para ele.

Senti que Paulinho ficou meio sem graça com a situação, mas o mesmo tempo ficou olhando por alguns segundo para o meu pau.
-Caraca o seu também ta durão- Ele falou.

Ficamos ali vendo mais fotos de mulheres pelada, e nem fiz questão de subir meu short de novo. Deixei meu pau pra fora mesmo, e aproveitei para passar a mão nele bem de leve. Então dei a ideia para Paulinho fazer o mesmo:
-Bota o seu pra fora também, ele deve ta apertado ai, assim fica mais confortável.

Paulinho aceitou a sugestão e também baixou o short dele. Deixando a mostra seu piruzinho durinho.
Nesse momento eu enlouqueci. Meu pau quase explodiu. Era um pintinho muito bonito. Bem grossinho, pequeno, sem pelos, e com a cabeçinha pra fora.
Continuamos a ver a revista, mas naquele momento eu nem olhava mais para as fotos, só focava meu olhar pro seu pinto.
-Posso fazer uma coisa que vai ficar mais gostoso ainda? – Perguntei.

Paulinho disse que sim. Então eu me inclinei para o seu colo e comecei a chupar o seu pinto. Eu botei tudo na boca, passava a língua na cabeça, depois tirava e colocava tudo de novo dentro até o talo. Paulinho largou a revista no chão e dava uns suspirinhos. Parecia que ele estava gostando. Continuei batendo punheta enquanto eu o chupava. Eu estava Louco de tesão. Não demorou muito e eu gozei. , tudo no chão mesmo.
Parei de chupar paulinho e olhei para a cara dele para ver a sua reação. Ele estava abismado com o que tinha saido do meu pau, e me perguntou o que era aquilo lá branco?
-É gozo- Respondi – Você ainda não goza porque é muito novo, mas quando chegar aos 12, 13 anos já vai conseguir gozar.
-Poxa, queria conseguir gozar também…

Eu ainda estava meio de pau duro, e me animou quando ele falou isso. Perguntei se ele queria fazer uma coisa diferente. Pra ir treinando pra quando ele gozasse. Ele disse que sim todo animado.
Então me deitei na cama de quatro, e abri bem a minha bundinha com as mãos. Queria sentir o pintinho dele no meu cu. Expliquei pra ele o que ele tinha que fazer. Ele bem que tentou, mas era obvio ( eu devia saber ) que o pintinho dele não chegava até lá. O máximo que eu sentia era a sua cabecinha encostando no meu cuzinho o que já me dava uns arrepios gostosos. Então pedi pra ele continuar assim , mas pra pegar no meu pau. Ensinei ele como me masturbar. Ele ficou fazendo isso por alguns minutos, não muitos. Gozei rápido, dessa vez na sua mãozinha. Como foi gostoso.
Mandei Paulinho ir lavar a mão enquanto eu limpava o chão do quarto. Paulinho perguntou pra mim se eu queria fazer a mesma coisa nele. Fiquei maluco com a pergunta, mas resolvi deixar para outro dia, pois meu irmão já estava acabando de estudar. Guardamos a revista, e falei para ele que aquilo era nosso segredo, que nem meu irmão poderia saber. Paulinho concordou e voltou a jogar video-game.

No proximo conto, vou falar sobre o primeiro anal de Paulinho abraços !

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,75 de 4 votos)
Loading...