podem acreditar

Autor

o que vou contar se passou quando tinha 14 anos,mesmo com essa idade nao sabia nada de sexo,pois desde os meus 6 anos estudava e vivia num colegio de padres,e la nao tinha essas historias de padre comer garotos,era um anbiente muito severo com muita diciplina,sai de la quando terminei o antigo ginasio,tinha os meus 14 anos e fui matriculado para o 2° grau (ensino medio),estava esperando as aulas comessarem e fiquei na casa de minha avó,ela era a unica pessoa que me visitava no orfanato e me acolheu quando nao pude mais ficar com os padres,eu sentia que tinha coisas acontecendo comigo tipo:ficava sempre de pau duro mas nao sabia como aliviar meu tesao e me sentia envergonhado pelo meu estado,e as vezes acordava todo melado,tinha gosado e nao entendia,ate que um dia comentei com uma tia, ela ficou sem graça e disse que iria falar com o irmao para conversar comigo,esse irmao de nome joel me chamou para sair e fomos para a casa dele e la ele começou a esplicar o que acontecia e que era normal me falou sobre sexo e me mostrou umas revistas de sacanagem em desenho,me disse que quando eu estivesse de pau duro era pra tocar punheta,(que ele chamava de bronha) e me esplicou mais ou menos como fazer,cheguei em casa e fui esperimentar,gostei tanto que fazia varias vezes por dia,hoje sei que meu pau nao era muito grande, hoje tenho uns 16 cm talvez 17,nao e fino e com a cabeça da mesma expeçura,mas o que vou conta e e real aconteceu numa tarde de domingo,me lembro pois tinhamos ido à missa na parte da manha e eu tinha ajudado o padre,logo apos o almoço essa tia que era viuva de um filho de minha avò que tinha morrido num acidente,começou a passar mal pra ter nenem e minha avó foi com ela para o hopital que ficava bem longe,e me deixou tomando conta do menino filho dessa tia,ele era bem pequeno e vivia sem roupa quase que o tempo todo,teve uma vez que ele sentou no meu colo e me sujou de coco,ele ficou brincando com um carriho quebrado e eu aproveitei pra ver duas revistas que o joel me emprestou,quando terminei fui ao banheiro e bati uma,voltei e me sentei numa poutrona velha e voltei a olhar as revistas,meu pau nao tinha baixado e continuava duro,olhei para o menino que se chamava rodrigo e ele estava numa posiçao parecida com a da mulher da revista,ele estava com as maos no chao e com as pernas esticadas,e a bunda bem para o alto,a mulher ficou assim para o homem enfiar o pau no cu dela,ai fiquei imaginando como seria fazer,sabia que tinha que usar algo para o pau escorregar pra dentro e resolvi esperimentar,sai em busca de algo pra passar no meu pau e na bundinha dele,no quarto de minha avò achei um oleo de cabelo muito usado na epoca,vim com o vidro pra sala e chamei o rodrigo,eu ja estava com meu pau pra fora da calça e passei o oleo no cuzinho dele e no meu pau,peguei ele no colo e levei pra minha cama e tentei fazer ele ficar na mesma posiçao, mas ele acabou ficando de quatro,encostei meu pau e fui enfiando,ele deu uma choradinha e eu parei e fui olhar o cuzinho,estava tudo bem e voltei a empurrar,quando entrou todo gosei e continuei metendo so parando porque meu pau começou a doer,quando estava no banheiro me lavando escuto uma vizinha chamer,fui atender e ela disse que minha avó so viria no outro dia e que quando fosse umas 19 horas levasse o rodrigo na casa dela para jantar,isso eram umas tres horas da tarde,ela se foi e fui procurar o rodrigo,ele astava no meu quarto mexendo em minhas coisas e minha porra escorria pelas pernas dele,sua bundinha estava toda melada e meu pau subiu novamente,sentei na cama e e sentei ele no meu colo cravando ele no meu pau, rodrigo deu em gemido quando entrou todo,fiquei em pe e fui socando ele contra minha barriga,gosei e quase cai com as pernas bambas,peguei ele e fui olhar seu cu,estava meio aberto e cheio de porramas,que me lembre nao tinha sangue,quando minha tia veio do hospital ficou de cama pois tinha passado muito mal no parto,ela deu a luz a uma menina,minha avó ficou muito atarefada e passei a ficar com o rodrigo,meti nele ate meus dezoito anos quando fui pro quartel,nele e mais dois coleguinhas dele,um com a mesma idade e o outro um ano mais velho,nesse sangrou um pouco mas logo passou;bem essa e uma historia real,como o titulo:podem acreditar….velho.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 2 votos)
Loading...