Mãe de 3 filhos, uma crente do rabo quente (Veridico)

Autor

Olá a todos, procurava um local onde pudesse desabafar e contar o que tem me acontecido desde os meus 19 anos. Me chamo Marcos, tenho um irmão 2 anos mais novo que se chama Tiago e uma irmã que tinha 16 quando tudo começou e que se chama Sarah. Somos 3 irmãos normais de família classe média, cada um filho de um pai diferente pois apesar de minha mãe ser uma respeitavel evangélica para fora de casa na verdade é uma vagabunda que foca sua vida em sexo. Eu acho que é doença mas ela nunca quis saber de se tratar. Na época dos fatos tinha 40 anos.

Meu irmão Tiago é um mulherengo inveterado. Sempre estava com alguma gostosa, algumas vezes até levava alguma vadia pra casa, mas eu não me interessava por aquelas mulheres tão sem noção, exageradas, tatuadas, enfim de um nivel muito baixo e por isso ele me chamava de viado e coisas assim mas eu não me importava porque não tinhamos um relacionamento muito bom de irmãos e eu só não partia pra cima para não criar um clima em casa e ele era o preferido da mamae apesar de não gostava de estudar e sempre se meter em encrencas, estava sempre aprontando mas tinha tudo o que queria.

Minha irmã Sarah, ao contrário, era muito apegada a mim e tinhamos um bom relacionamento. Era uma menina muito bonita e bem formada de corpo, pele clara e cabelos negros. Lembrava um pouco na aparência a nossa mãe. Era muito estudiosa, muito discreta e repelia os moleques por isso ainda era virgem aos 16 anos,

Tudo começou uma certa noite, no meio da madrugada, acordei com muita sede e me levantei para ir até a cozinha. No caminho ainda tonto, ouço barulhos vindos do andar de cima, do quarto da minha mãe, pensei que era algum ladrão e subo silenciosamente as escadas mas logo percebo que são barulhos de sacanagem, a porta estava entreaberta e na penumbra eu vejo a cena mais bizarra que um filho poderia ver: O meu irmão Tiago socando com toda a vontade o cacete na nossa mãe. E ela estava adorando!

-Vai mete, mete mais! Assim.. vai.. não pára!

"Minha puta", "minha cadela", "goza safada", "vai vagabunda" … era o que ele dizia.

Aquela mulher tão respeitada, tão cheia de regras morais e que tanto falava de Bíblia e religião sendo chamada de puta e possuida pelo próprio filho.

– Goza no meu cu! Eu quero no cú! Mete aqui no cu da mamãe!

Naquele momento parecia que um prédio inteiro havia caido na minha cabeça.. todo o respeito que eu tinha por ela desmoronou em 1 minuto.. agora tantas coisas começavam a fazer sentido. As saidas noturnas para ir a igreja. Os pastores que vinham a nossa casa e ela nos mandava brincar no quintal quando eramos crianças. Nosso tio, irmão dela, que muitas vezes passava a noite em nossa casa e dormia no quarto dela… tudo tudo agora estava explicado. Fui muito ingenuo.

O Tiago enfiava sem dó, uma atras da outra, bombando no cu daquela safada de quatro e que, de costas para a porta podia-se ver a sua buceta toda escorrida de fluidos enquanto o meu irmão mandava com vontade o pau pra dentro da bunda.

Sempre foi uma mulher que chamava a atenção mesmo usando roupas sóbrias, de senhora evangélica, viúva de dois maridos, e mãe solteira que nunca revelou quem era o meu pai, ela sempre dava um jeito de deixar um detalhe que exibia sexualidade desde uma meia calça com ligas que marcava a saia ou uma camisa com botoes mais espaçados que sob certos angulos deixava mostrar os peitos.. sempre havia um detalhe.

– Mete esse caralho com força! Vai seu puto! Goza no meu cu…

Essas palavras ainda podiam ser escutadas, em murmúrio da escada. Bebi minha água e voltei para o meu quarto. Não conseguia mais dormir. Será que ela me desejou alguma vez? Eu a desejei muitas vezes em punhetas na adolescência, mas graças a Deus tinha conseguido me livrar daquela maldição com muita oração e já nem me lembrava dessa abominação mas naquela hora fui até o banheiro e bati uma punheta pensando nela, pensando naquela bunda maravilhosa.

Era domingo e eu costumava andar de bicicleta pela manhã com a minha irmã Sarah. Os fatos da noite anterior não saiam da minha cabeça. Minha irmã percebeu meu olhar distante e minha cara fechada tão diferente da alegria que eu sempre exibia para ela.
Já distante de casa falei:

-Sarah, vamos até aquele banco na praça. Preciso ter uma conversa séria com voce.

-O que foi? Voce está esquisito!

-Sarah, o que tenho pra te dizer é muito sério, me ouve. Ontem acordei a noite e vi nossa mãe e o puto do Tiago tendo relações sexuais.

Contei na lata.

Sarah então olhou pra mim, e começara a descer lágrimas dos olhos..não conseguia falar, começou a chorar um choro contido, me abraçou e continuou chorando por varios minutos, até que conseguiu se controlar e disse:

– Você não sabia? .. perguntou ela ainda em lágrimas e quase gritando.. voce não sabia por que o Tiago é o queridinho dela? Nunca tinha percebido? Já faz mais de dois anos que eles transam. E quer saber, ela tem relações com o tio Cláudio e até com o vovô.

Minha cara foi no chão… tinha acabado de ser atropelado por um trem,. meu mundo era uma fantasia e eu não sabia.

– Marcos, ela continuou, eu só não entendo como voce não sabia. Ela nunca mexeu com voce?

Naquela hora eu me lembrei da minha infância, quando ela me dava banho, lavava o meu pintinho e eu começava a chorar, quando ela esfregava a buceta na minha cara e eu não entendia. Quando mandava eu chupar o peito dela mas nao saia leite, eu não entendia nada daquilo.. tudo veio em flash na minha memória como se uma gaveta antiga fosse aberta .. Eu não tinha entendido mas com certeza meu irmão Tiago entendeu.

– Pois comigo ela já mexeu .. ela disse … até os meus 14 anos ela entrava no meu quarto e chupava minha buceta e me obrigava a chupar a dela. Ai um dia ela disse que queria que eu desse a minha virgindade pro Tiago e eu não aceitei, desde então não nos falamos mais direito.. voce não percebeu?

Então eu me senti culpado por ter criticado o Tiago, todos nós fomos vitimas dos desejos de nossa mãe.

Não eu nao tinha percebido, como sempre eu não percebo nada. Meu foco era estudar dia e noite, estudar e orar.
Até os meus 19 anos só tinha beijado uma garota na boca pois tinha medo do pecado e do inferno.

-Sarah eu não percebi nada, eu não percebo nada nunca, eu sou um idiota completo.

Nisso ela olha pra mim, passa as maos no meu rosto e pensando que vai me beijar na face com um beijo de irmão vem até a minha boca e me da um beijo de mulher e diz, "minha virgindade é sua" e pega a bicicleta e sai correndo.

Ainda me lembro daquela bunda linda e redondinha subindo na bike. Essa cena não sai da minha cabeça.

No caminho de volta ela mostra o quanto é mais madura que eu dizendo que é melhor que deixássemos os dois em paz pois assim não mexeriam com a gente.

Pensei, como assim "a gente" ? e o que ela quiz dizer com me dar a virgindade? eu assumo que não entendo e fiquei quieto. Chegamos em casa e estavamos sozinhos, os dois ja tinham ido para a igreja. Estavamos suados. Minha irmã vai até o quarto e volta nua segurando uma toalha.

-Vem tomar banho comigo.

Que visão maravilhosa. Meus olhos pareciam que iriam pular das órbitas.. que mulher linda.

Fui para o banho. Não queria mais pensar. Essas mulheres controlam as nossas vidas, o melhor é não contestar nem pensar muito.

Entramos no box. Que linda, que linda. Aqueles peitos redondos e lindos, comecei a esfrega-los com sabonete, parecia que eu estava em um parque de diversões sem saber em qual brinquedo ir primeiro, comecei a chupar os peitos da minha irmã que pedia para eu ter calma.. eu estava realmente afobado passando a mão em todo o seu corpo enquanto ela massageava o meu pau duro. Era muita lindeza, aquela bundinha redonda e bem feita. Sua cinturinha fina que destacava o rabo, aquela buceta cheia de pelinhos aparados, seus cabelos compridos e negros, agora já molhados era algo que eu jamais tinha imaginado.

Ela se agacha e começa uma gostosa boquete.. eu não entendia porque tudo aquilo estava acontecendo tão rápido. Em um momento eu descubro que meu irmão é o amante da minha mãe que pratica incesto com meu tio e tambem com meu avô e agora eu mesmo praticando incesto com minha irmã.. que maldição de família é essa ? Gozei! Gozei a melhor gozada da minha vida. Nos enxugamos e me deixei levar até o seu quarto. Estava em estado de transe sentindo uma alegria tão imensa que guardo esse momento na minha mente como o mais feliz que eu já vivi. Minha virgindade já estava em seus ultimos momentos, profetizei.

Deitados, agora era a minha vez de usar a boca em todo o seu corpo e me dedicando a sua buceta. Era a primeira buceta que eu desfrutava na vida, perfeita, cheirosa e virgem. Confessei que eu tambem era virgem, e ao ouvir ela apertou as pernas em um orgasmo e me puxou até ela aceitando a minha penetração, me introduzi com força e vontade.. foda-se pecado, foda-se inferno, foda-se Deus serei eu filho do meu tio ou de meu avô? … Senti então um tal volume de lubrificação vindo daquela buceta que imaginei que ela estivesse gozando de tão intenso e depois de algumas estocadas não consegui me segurar e gozei mais uma vez naquele dia. Então logo nos demos conta de que aquilo não era o gozo dela mas sangue, muito sangue que sujou toda a cama, mas não importava, eu estava muito feliz e era nitido e claro o brilho nos olhos de Sarah, a sua felicidade. Transamos mais uma vez agora com mais calma, as pernas dela tremiam com espasmos naquele papai-mamae básico da nossa inocência. Nos banhamos novamente e depois chegaram os dois vindos do culto, mamãe e Tiago para o almoço. Logo mamãe percebeu que estavamos risonhos e abraçados,. ela perguntou:

– O que é que aconteceu aqui, por que tanta alegria??

– Vá lá no meu quarto, disse Sarah, dá uma olhada,

E logo ela voltou, meio rindo meio debochando:

-Voces sao dois filhos da puta!

Então eu respondi:

-Agora voce acertou, nessa casa somos todos FILHOS DA PUTA.

Todos riram e fomos para uma churrascaria almoçar.

A partir desse dia, eu e Sarah passamos a dormir no mesmo quarto enquanto Tiago e mamãe não se importaram mais de andar pelados ou até transarem em nossa frente. Vez ou outra Tiago traz alguma vagabunda amiga dele e os tres se divertem por lá. Já deixamos claro que há uma separação entre nós e assim que eu puder pretendo adquirir um apartamento para nos mudarmos pois a Sarah não gostou que eu transasse com a mamãe e antes que haja brigas é melhor que mudemos para outra cidade e vivamos como casal.

Mas por enquanto somos uma unida familia evangélica.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)
Loading...