Dando e Comendo

Autor

Dando e comendo por Diego

Sou bissexual. Casado; três filhos. Descobri quando eu era ainda muito novo: 11 anos. Eu tenho uma prima safadinha, na época com 13 anos. Vivíamos pelos cantos brincando de sexo. Foi com ela que aprendi a fazer sexo oral. Ela adorava me chupar e em troca eu chupava a rachinha dela. Certa vez ela me apareceu com um lubrificante. Lubrificou todo o meu pinto dizendo que eu iria gostar. E realmente gostei quando ela me fez penetrar deliciosamente o seu cuzinho. Eu ainda não gozava plenamente, mas tinha prazeres deliciosos praticando sexo. Já minha prima gozava que nem maluca em nossas brincadeiras. A primeira vez em que um pinto me chamou a atenção foi tomando banho com papai. Não era raro a gente tomar banho juntos. Durante o banho o pinto dele endureceu. Mas não me provocou qualquer desejo e levei a coisa como natural. Poucos dias depois, em outro banho, papai pediu para me ensaboar. Aí sim, senti prazeres quando ele demoradamente ensaboava meu pinto e minha bunda, deixando correr livremente um dedo pelo meu rego e tocando meu cu. Meu pinto chegou mesmo a reagir e ficar duro. Pequeno, fino, mas duro. Eu continuava destilando meus prazeres com minha prima e ela comigo. Nesta altura, as vezes dela me dar o seu rabinho já eram bem frequentes. Foi numa pescaria que fui com papai e sua turma de pesca que a coisa degringolou. Eu dormia na mesma barraca que papai. Uma noite, deitado de costas para papai, senti sua mão tocar minha bunda. E conforme eu não reclamava ia ficando cada vez mais audaz. Na realidade, não sabia por que, eu estava gostando de ter a bunda alisada. A certa altura, a pedido de papai, tirei o short que vestia. Aí sim, sem barreiras, ele “atacou” minha bunda alisando-a de todas as formas. Com o tempo atacou também meu pinto que endurecera com os carinhos a minha bunda. Tirou também o seu short e ao mesmo tempo que me tocava um punheta, pincelava minha bunda com seu pinto extremamente duro. Eu estava adorando aqueles prazeres. Principalmente quando papai me virou de barriga, pegou meu pinto e começou a chupá-lo. Enfiou uma mão por baixo de mim e pegando em minha bunda chupava meu pinto ao mesmo tempo. Depois de um tempo me virou de costa para ele novamente e colocou seu pinto ao longo de meu reguinho da bunda fazendo movimentos de vaivéns. Seu pinto meio úmido escorregava em vaivéns pelo meu rego massageando ao mesmo tempo meu cu. Aí, como deveria ser ele gozou. Lambrecou toda a minha bunda com sua porra pastosa e abundante. Fiquei com inveja, pois eu ainda não tinha porra e nem gozava ainda. Descobri, nessa noite, que papai era igual a mim, ou eu era igual a ele. Na época eu não sabia como se chamava esta atração pelos dois sexos. A primeira vez que gozei foi comendo o cuzinho de minha prima. Mas antes disto já dava prazeres a papai comendo cu dele nas famosas pescarias. Aprendi também com papai a chupá-lo; tomar porra… Num destes encontros de pescadores, quando fomos para a barraca á noite para dormir, papai antes de me chupar como sempre fazia dando inicio as nossas safadezas de pai e filho, lubrificou seu pinto e o posicionou na entrada de meu cu. Eu sabia o que ele estava tentando e me relaxei prazerosamente. Depois de muito esforço e acomodações, a cabeça do pau de papai conseguiu me penetrar, mas não passou dai, pois o pinto de papai era muito grosso para mim ainda. Foi a primeira vez que tive então a sensação de ter o cu inundado por uma porra quentinha. Meu pai me comia todas as noites de pescaria. Eu já esperava com ansiedade estas noites. Mas enquanto isto ia comendo minha prima. A primeira vez que gozei dentro do rabo de papai, achei que ele ia fica maluco de tanto que adorou. Foi logo depois que gozei a primeira vez e com minha prima. Não contei nada a ele, que agora já gozava, fazendo-lhe uma surpresa. Quando sentiu, dentro dele, o meu gozo, gozou também até a exaustão. Quando comecei a ejacular e ter gozo – gozava que nem doido –, minha prima meu deu a sua virgindade. Foi a primeira vez que comi uma boceta… foi a nossa primeira vez; minha e dela. Meu pai só foi conseguir me penetrar totalmente aos meus 13 anos. Até meu casamento eu dava somente para papai e só comia minha prima. Hoje, de vez em quando, invento umas viagens para a Empresa em que trabalho e vou dar e comer novidades; cus e bocetas, por onde ando.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 1 votos)
Loading...