Barba, cabelo e bigode

O fato é verídico e não vou me ater a nomes e local onde aconteceu.
Sou taxista, 40tão,casado e bisexual.
Trabalho na madrugada e ao longo de 25 anos de profissão posso dizer q ja vi e fiz de tudo, nessa selva de pedra.
Conheço todos os points de prostituição e putaria na cidade e como tbm adoro uma pica, sempre q da vontade vou atrás de um morador de rua, q ja me come a algum tempo.
Flávio é um negro trintão barbado, desdentado e maltrapilho q vive num barraco de madeira, num canto de um terreno baldio. O local é Barra pesada onde rola de tudo, principalmente drogas e prostituição.
Meu único vício e o sexo,e naquele local satisfaço meus desejos mais libidinosos.
Sempre q me vê,Flávio abre logo seu sorriso vazio, pois sabe q trago uma graninha pra ele, em troca, satisfaço Meu lado viado, com seu picão Preto colossal, enorme grosso e cabeçudo.
A coisa sempre rola dentro do barraco dele, embora não se tenha muita privacidade, ja q as paredes São de plastico e papelão,é há outros barracos em volta. Logo me acostumei, pois só vai ali quem quer fuder, se drogar ou as duas coisas.
Como sempre fazemos, Flávio senta , ja com a trolha em riste e eu Caio de boca, sem me importar com o gorte cheiro de mijo, suor e sebo. O cheiro de macho me excita; e enquanto mamo calmamente, o negão fuma um cigarro de maconha e toma cachaça no gargalo.
Depois de deixar sua jeba bem invernizada, desço a calça e me ponho de quatro pra receber aquele colosso inteiro no meu cuzão guloso. Flávio sabe bem como fuder um cu,demora a gozar e sempre me faz gozar, com sua jeba interessa até o talo.
Terminada a sessão,visto a calça, pago a ele( 20 reais) e saio com a promessa de voltar na semana seguinte.
Foi numa dessas vzs, q ao entrar no barraco vi uma mochilinha Rosa com roupas infantil por cima. Antes q perguntasse, flavio foi dizendo q sua sobrinha tava dormindo com ele. Ao perguntar se tinha problema , eu estar ali, o safado sorriu e pegando minha cabeça levou até sua pica e disse:
—problema nenhum porra, chupa logo essa pica!
Eu JÁ estava mamando por uns 10 minutos, quando de repente a cortina da entrada sê abriu e surgiu uma menina,q sem se importar com a cena, me sorriu indiferente e falou:
— tio, so vim pegar meu Baton!
—pega logo essa porra e se manda!—respondeu rispidamente o negão,sem tirar o dedo do meu cu.
Era uma pretinha linda, devia ter 10 anos, estava maquiada, vestia uma sainha curta e um top,q deixava à vista seus peitinhos pequenos e duros.
Depois de pegar o Baton na mochila, me sorriu novamente e disse:
—desculpa, obrigada…podem continuar!
Impressionado com a situação inusitada, larguei a pica do negão e sentei ai seu lado. Ao me ver com cara de babaca, foi dizendo:
—ja botei ela pra trabalhar,tem q entrar dinheiro no barraco!.
meu tesão passou do cu pra pica,quando completou:
—tem 8 anos e ja fode pra caralho!
—tá de sacanagem!?—exclamei abismado.
O safado então, sorriu e pegando na pica, falou:
—ela guenta essa no cu, igual a vc!
Com a pica latejando, pedi:
—porra Flávio, deixa eu comer sua sobrinha?.
—ela tá com um coroa ali no carro, daqui a pouco ta de volta— respondeu ele, naturalmente.
Como disse meu tesão tinha mudado de lugar, naquela noite não deu o cu pro negão.
Saímos pra tomar uma cerveja na birosca ao lado e não demorou vi a menina saindo do carro. Se aproximou sorrindo e deu um dinheiro pro tio. Ofereci um refri, ela então pegou meu copo de cerveja e bebeu.
Meus olhos faiscavam em direção à sua bundinha empinada, quando Flávio disse pra ela.
— ele tá afim de um programa contigo.
—ja é…demoro! —-Respondeu cheia de giria,tentando se passar por mais velha e roçando as costas da mão no meu pau, concluiu com um sorriso provocante:
—"completa" é 30,vai?
Sem responder dei 50 reais na mão do negão (20 reais foi pelo boquete q paguei pra ele)
—vão lá pro barraco— disse ele,satisfeito.
Assim q entramos a pretinha foi logo tirando a roupa, expondo seu corpinho escultural, ficando só com a calcinha branca.
Embasbacado com tanta beleza mandei q se deitasse de bruços e depois de admirar sua bundinha empinada, montei sobre seu corpinho e massageei sua costas.
—hummm…gostoso!—resmungos, sentindo meu pau duro no seu reguinho.
Tirei sua calcinha, abri suas nadegas e vi seu cuzinho todo melado,me inclinei, lambi e cherei o buraquinho.senti cheiro de pica ( conheço bem) sem duvidas o coroa tinha metido ali. Depois de palerar a lingua naquele buraquinho sujo, por lingos minutos, pedi pra el se virar e beijei sua boquinha pintada seu halito exalava porra; o q duplicou meu prazer. Logo cai de boca em seus peitinhos, parecidos limões. Demorei bastante ali; depois fui descendo a língua por sua barriguinha, umbigo e ao descer mais, a safadinha arreganhou as perninhas suspirando. Sua xaninha âmbar não tinha nem penugem, seu grelinho, mas parecia um dentinho de alho, abri sua rachinha q era de um vermelho carmim,estava brilhando,ensopada. Cai de língua e logo senti o sabor e o forte cheiro de sêmen. Empurrei a língua bem fundo abrindo ainda mais suas pernas. A xaninha piscava na minha língua em incríveis contrações.
—issss…dlc tio…vai chupa mais!
Não sei quantas gozadas a guria tinha levado na xotinha naquele dia,com certeza foram mais de duas. a porra espumante saia em goleadas enchendo minha boca e escorrendo pelo queixo.
Não lembro de ter sentido tanto prazer. Depois de solver toda a gala, empurrei a pica em sua bucetinha.
Meu pau de 16×5cm,deslizou sem dificuldades pra dentro daquela grutinha negra e quente. Com meu sacão estalando em sua bunda, a putinha infantil rebolava, revirando os olhinhos e gemendo baixinho.
A safadinha ja tinha recebido bastante leite na xaninha,então, ja quase gozando, pedi:
—vira a bundinha amor,vou gozar no seu cuzin!
Rapidamente ela atendeu meu pedido, se arreganhando toda e apoiando a cabeça sobre sua mochila.
Ali tbm naquele buraquinho, minha pica deslizou suave . Ela apenas deu um gemidinho e rebolando a bundinha agasalhos toda pica em segundos. Com estocadas firmes e profundas, gozei em dois minutos. Depois de esvaziar todo o saco, tirei a pica e vi o buraquinho se fechando lentamente, com meu leite dentro.
— ja acabou, tio?
—ja amor, vc é deliciosa!
Sorriu simpática com o elogio e se vestiu rápido.
Saímos juntos de encontro ao Flávio na birosca
Ali ela simplesmente disse:
—valeu, volta outro dia tá?
Antes q eu respondesse se virou pro negão e disse:
—vou dar um rolê, tio…fui!
Claro q voltei outras vzs, tinha motivo dobrado pra retornar e meus dois lados pra serem satisfeitos.macho e fêmea!
Essa é apenas uma de muitas outras aventuras vividas na madrugada.
Rc1720028@gmail.com