Amor e sexo em familia – Inicio

Autor

Primeiramente gostaria de dizer que esse conto e fictício, e que provavelmente terá continuação. E também já vou adiantando que aqui não escreverei contos com garotas de 12 anos com bundas e peitos gigantes, e nem de caras com um super pau de 20 cm e que gozam 5 vezes seguidas.
Meu nome e Alexandre e vou contar minha historia que ocorreu a uns bons anos atrás na minha adolescência.
Meus pais são divorciados desde meus 8 anos, e minha irmã 7 anos mais velha Alana saiu de casa logo que fez 18 anos, um ano depois se casou com um cara um tanto rico e foi para a Inglaterra. Então nos meus 14 anos em minha casa vivia eu, minha irmã mais nova Alice e minha mãe Lidia.
Eu sou branco, cabelos e olhos pretos, 1,78 de altura e nada forte, um corpo normal de um adolescente que sempre tinha uma ou duas espinhas por ai. Minha irmã Alice que e 2 anos mais nova, e um tanto mais baixa do que eu, cerca de 1,67-1,69, tem uma pele branquinha e lisinha, tem um lindo corpo para a idade, uma cinturinha fina, seios médios e bunda também, tudo bem empinadinho. Já vi meninas da idade com atributos maiores, mas nenhuma com um rosto tão belo, com bochechas rosadinhas, uma boquinha linda com belos lábios rosados e carnudos e grandes olhos azuis e o cabelo castanho escuro liso ate a metade das costas.
Eu sempre olhei para Alice como irmã, e nosso relacionamento era legal, sempre tínhamos aquela zuação de irmãos mas ate ai normal. Mas desde que Alana saiu de casa, Alice que era muito apegada a ela começou a ficar um pouco menos brincalhona e mais apegada a mim, de uma maneira mais amorosa e gentil. Aquelas briguinhas, brincadeiras e zuação de irmãos tinha diminuído, ela tinha ficado um pouco mais adulta, pelo menos queria passar essa ideia. Começamos a ficar mais tempo juntos depois da escola pela manhã, ficávamos sozinhos por nossa mãe estar trabalhando, assistíamos filmes, jogávamos vídeo game e conversávamos. Toda vez que passava alguma cena mais picante nos filmes, ela ficava vermelha e um pouco desconcertada, e ate eu também, por estar com minha irmã perto. Mas um dia eu resolvi brincar e disse:
-Você não achava que os bebes vinham com as cegonhas ne Ali? (Era como a família a chamava).
Ela ficou ainda mais vermelha, deu risinho de canto e disse:
-Claro que não ne. Não sou mais criança seu besta.
-Então ta adultona. Eu disse rindo.
Depois de uns minutos do filme ela me pergunta:
– Ale, você já beijou alguma garota?
– Claro que sim Alice, porque? Você não?
Ela ficou vermelha e disse:
– Já ne, e só por curiosidade.
Eu duvidei na hora mais resolvi não contraria-la. Ai pensei bem e vi que ela era bem bonita e provavelmente devia ser o alvo de muito moleque da classe dela.
Os dias foram se passando e fomos ficando cada vez mais próximos. Ate que um dia quando chegamos da escola, ela foi meio que correndo para a o quarto e bateu a porta. Eu fui esquentar o nosso almoço e depois fui chama-la, a porta estava trancada ai eu bati:
– Vamos almoçar logo para depois agente ver filme.
– Não estou com fome, eu comi umas besteiras no colégio, pode comer sem mim.
– Mas então vamos assistir ao filme, eu como no sofá.
– Ale tenho muito dever de casa, assisti sem mim mesmo.
Escutei um soluço meio abafado e perguntei:
– Ta tudo bem Ali? Aconteceu algo?
Ela responde brava:
Ta sim, só me deixa quieta aqui.
Eu sai e deixei ela. Mais tarde eu voltei e escutei ela chorando, e disse bravo:
– Alice algum moleque te fez mal?
– Não foi isso. Só me deixa aqui.
– Eu não gosto de te escutar chorando deixa eu entrar.
Ela abriu a porta e eu vi seu rosto cheio de lagrimas.
– Não e nada de mais Ale, e só besteira de escola.
– Ta se você não quer me contar então deixa eu ficar aqui com você pelo menos.
Fiquei abraçado com ela deitada no meu peito o resto da tarde. Então ela me diz:
– Você é tão legal.
– Você também e Ali. Você e a garota mais legal e bonita que eu conheço.
– Mentiroso, se eu fosse tão bonita não…
– Oque Ali? Não oque?
– Nada. Ela disse enxugando o rosto.
– Logico que você e bonita, olha só para você, parece uma deusa. Afrodite ligou para ca ontem perguntando se você podia dar umas dicas de beleza para ela.
Ela sorriu e se levantou, passou enfrente a um espelho no quarto e se olhos por uns segundos e seu semblante mudou, ficou mais alegre, mais convencida. Então ela foi tomar banho e deixei o quarto.
No outro dia de manha antes de eu sair para escola e minha mãe para o trabalho, minha mãe disse que chegaria mais tarde por que tinha combinado de sair com uns amigos do trabalho. Eu disse que tudo bem. Afinal ela ainda era jovem, tinha 41 anos e os parecia que tinha 31, era quase da minha altura e tinha uma corpo escultural, cabelos pretos bem longos e olhos pretos iguais aos meus. Ela devia mais e que curtir a vida mesmo. Então quando chegei da escola conversei com a Alice para vermos filme no quarto dela aquela noite, já que era mais confortável. Ela concordou, quando chegou lá pelas 20 horas encomendamos pizza e começamos a assistir. O filme era um pouco sensual a mais do que o costume e minha irmã deitada do meu lado com uma camisolinha e sem sutiã deixava seus mamilos durinhos destacados no fino tecido. E o filme foi me deixando meio excitado, tive que esconder com a coberta. Aquela situação estava me deixando louco, comecei a olhar para minha irmã diferente, suas belas curvas, seu decote. Meu pau estava muito duro. Achei errado ficar olhando assim para ela mais não me controlava.
Depois que o filme acabou, Ali insistiu para eu dormir ali com ela. Eu estava doido para ir para o meu quarto e tocar uma punheta, mas ela insistiu e acabei ficando. Deitamos, e como a cama era estreita, ficamos bem próximos. Mas ate ai tudo bem porque ficamos de barriga para cima e eu consegui me controlar, meu pau foi amolecendo. Depois de um tempo virei para o lado dela, ai escutei um barulho. Era minha mãe, chegando lá pelas 23h, e ela não estava só, escutei bem baixinho passos pesados no corredor e também voz de homem. Foram para o quarto dela e depois de alguns minutos escuto aquele inconfundível som: a cama rangendo, e gemidos baixos. Sim minha mãe estava no quarto ao lado fodendo com um macho. O som foi aumentando e começaram a fazer sons de virilha batendo: ploc, ploc, ploc. E minha mãe gemendo mais alto agora ao ponto de minha irmã de repente se remexer. Fui ficando de pau duro de novo e para meu sofrimento minha irmã se vira e fica de bunda para mim. Ficamos de conchinha e meu cacete ficou com a cabeça bem no meio do rabo da Alice, só com meu pijama e o xortinho de pijama dela entre meu pau e a boceta dela. Ela pareceu não perceber, ou pelo menos fingiu isso. Nossa aquilo me deixou louco, meu pau estava babando de tesão. E a Alice não parava de se contorcer, aquilo estava muito bom. Eu abracei ela e fiquei com a mão em sua barriga. E aquele som de foda estava deixando tudo mais excitante. Depois de um tempo adormeci com o pau em sua bunda. Quando acordei de manhã, Alice já tinha levantado e eu percebi que eu estava todo melado de porra, tinha gozado dormindo. Levantei, e fui para meu quarto e de repente topo com Alice no corredor e eu com uma manha enorme de porra no meu pijama de moletom, ela me olha um pouco assustada e vermelha, eu todo sem graça vou direto para meu quarto.

Continua…

Eu sei que esse primeiro conto foi mais devagar, mas as coisas vão melhorar no próximo conto.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...