Tudo começou na inocência – parte 2

Autor

Este é o segundo relato que posto aqui no site, e é referente ao dia de ontem e domingo ( 8, 9 de outubro ). Vocês não vão acreditar no que rolou domingo, mas antes de contar preciso voltar um pouco no relato anterior e explicar algumas coisas que quando eu escrevi não achei necessário citar. Não contei o nome do meu amigo na primeira postagem para não envolve-lo, mas domingo ele se envolveu demais, e agora terei que chama-lo por algum nome, não usarei o verdadeiro pra resguardar nossa segurança, mudarei o nome dele como fiz com o meu e o do meu filho. Chamarei ele de Marcos.

Bom, Marcos e eu somos amigos de longa data, nossa amizade ficou mais forte quando abrimos nosso negócio juntos, eu trabalho de casa e envio pra ele tudo pela Internet, ele que fica no estabelecimento cuidando das coisas, e do bom funcionamento. Ele e a esposa são padrinhos da minha filha mais nova, eles são ótimas pessoas. Mas isso não significa que o Marcus seja um santo, ele me confidência cada coisa que eu fico pasmo, o cara é um cachorrão que adora putaria, mas como todo homem, na frente da mulher é um padre.

Durante a semana, enquanto eu comia o meu filho Enzo, ele me contou que o marcos tinha se oferecido pra mijar outra vez na mão dele antes de virmos pra casa, quando ninguém estava olhando, e o Enzo falou que ele tava com uma cara de safado igual a minha quando estamos transando, isso me fez lembrar que o pau do Marcos estava meia bomba quando mijou no meu filho, o safado devia tá gostando. Isso me deu um tesão, pensar no meu garotinho sendo a putinha de outros machos, eu acabei combinando com o Enzo de seduzir o Marcos no domingo seguinte na casa da praia. (É como se fosse uma tradição da nossa família, quase todo fim de semana nos reunimos na casa da praia com a família do Marcos) . O Enzo adorou a idéia, disse que achou lindo o pau dele com aqueles ovos enormes.

Passamos a semana na safadeza, o Enzo sentava na minha rola melhor que a mãe dele, o putinho adorava uma sacanagem. O ensinei o básico de como ser um viadinho, o ensinei a fazer a Chuca e várias posições pra satisfazer um macho. Ele já estava virando um profissional na arte de dar o cú.

Chega o domingão, colocamos as carnes no carro (pra ajudar no churrasco) , as coisas das crianças no porta malas e partimos pra praia. Moramos numa cidade próxima à praia, mas a casa do Marcos fica numa região caiçara, onde vivem poucas famílias de pescadores e a praia é sempre deserta, eu gosto disso, dá mais privacidade. Eu já havia combinado tudo com o Enzo, eu chamaria o marcos pra caminhar e o Enzo viria junto, quando estivéssemos longe e sozinhos eu inventaria uma dor de barriga e entraria no mato deixando-os sozinho para o Enzo seduzir o Marcos. Até treinei com ele, colocar dedinho na boca, morder o lábio, fazer carinha de safado, passar a não no corpo de Marcos… O garoto tava pronto pra caçar rola!

Chegamos lá, foi aquela festa, as mulheres foram pra cozinha preparar as carnes para o churrasco, os meninos na sala jogando vídeo game, e os machos na varanda bebendo cerveja e conversando sobre negócios. Após o churrasco, o marcos quis sair pra caminhar, pra fazer a digestão, e de imediato me ofereci pra acompanhar.

-Enzo, você não quer ir conosco?
-vou sim pai. -disse Enzo todo animado lembrando do plano.
-Pô Enzo, a gente não ia jogar? -disse o matheus, filho do Marcos de 7 anos.
-Depois, matheus.
-Vamos também filho! – convidou marcos, eu rezei pra o moleque não aceitar, ele não gostava muito de caminha, o gordinho preferia ficar na frente de um vídeo game comendo pavê.
-Ah não, pai, o senhor anda muito rápido. -ufaaa. Ele não aceitou.

Minha esposa também estava afim de ir junto, mas eu a fiz mudar de idéia. Alguém tinha que ficar tomando conta da Eliza que dormia, e ela poderia ajudar a esposa do Marcos com a louçado churrasco.

Partimos apenas nós 3, Enzo ia brindando e pegando conchas na frente, eu e Marcos atrás. Comecei a atiçar o tesão do meu amigo.

-cara, essa semana foi foda pra caraleeeeeeo, literalmente, nunca gozei tanto na minha vida!
-Eita Ennio, rsrs tá pulando cerca?
-tô, arrumei um cuzinho guloso pra caralho, só de lembrar meu pau já tá subindo. – O volume na minha bermuda já era nítido.
-calma ae garanhão, aqui não tem cú pra você não rsrsrs Eu num rasgo um cú faz tempo, a minha esposa não libera.

Eu já estava vendo o volume crescer na sunga do Marcos.

-Marcos, vou bater uma punheta aqui no mato, espera aí uns 5 minutinhos.
-rsrsrs Tá louco, Ennio? E o teu filho aí?
-vou dizer pra ele que estou com dor de barriga e vou cagar aí no mato. Rsrsrs
-porra! Beleza então, vai lá que eu tomo conta do guri.

Chamei o Enzo e disse que iria no mato pois estava com dor de barriga, ele já estava por dentro do plano e entendeu que era hora de agir. Entrei num matagal que era início de um mangue, a vegetação era densa e fechada, fui pra um lugar onde eu poderia ver os dois pra saber a hora de voltar.

*Esses próximos diálogos foi o quem me Enzo me contou, de onde eu estava não podia ouvi-los*

-marcos, você tá com pinto duro?
-que isso, Enzo? Rsrsrs é normal pra um homem ficar assim as vezes, na sua idade eu já ficava.
-eu também fico, o dia todo.
-Rsrsrs nessa idade já é safadinho, rsrs daqui a pouco tá cheio de namoradinhas.
-Me mostra seu pinto?
-Enzo, Enzoooo…
-domingo passado você se ofereceu pra mijar outra vez na minha queimadura da água viva.
-seu pai tá aí no mato, melhor não.
-É rapidinho, por favor!
-Tá bom, olha rápido!

De onde eu estava vi marcos baixar a sunga e balançar a rola dura. Enzo se aproximou e meteu a mão.

-nossa, como é dura.
-Achou bonita?
-aham… Quanto mede?
-17cm
-Eu vi um vídeo na internet que a mulher fazia isso no homem…

Enzo abocanha a rola do Marcos que não tenta impedir, mas vi sua expressão de nervoso com medo que eu visse a cena.

-Já chega, Enzo, se teu pai ver isso ele me mata. Quem sabe outro dia, quando não tiver perigo de ninguém ver eu deixo você mamar mais.

Marcos guardou a rola dura dentro da sunga com medo de ser visto por mim. Então eu decidi sair do mato, vou até eles com o pau na mão.

-que porra é essa, Ennio? -disse marcos surpreso com a minha atitude.
-que porra é essa digo eu, quando eu tava quase gozando e vocês terminam o showzinho.
-Você tava vendo?
-claro, vi tudinho. Vem cá filho. -Quando Enzo chega perto de mim atolo a rola na boca dele.
-puta que pariu, Ennio!
-Onde tu acha que eu achei um cuzinho guloso?
-tu tá fudendo teu próprio filho?
-Estou, e você tá afim de provar desse cú?
-Caralho, só se for agora!

Fomos os 3 pra dentro do matagal, Enzo parecia estar num parque de diversões. Eu havia levado algumas camisinhas pro marcos comer meu filho, afinal não sabia por onde o pau dele tinha passado.

-cara, eu me cuido. Fiz exames recentes e não acusou nada, deixa eu comer esse cuzinho no couro?

Eu confio no meu amigo, e liberei já que ele tinha feito exames e estava limpo. Enzo começou a chupar as duas rolas, esfregava uma na outra, deixava uma babar na outra e depois chupava tudo. Marcos apertou as bochechas do Enzo e cuspiu na sua boca, e o Enzo gostou e abriu a boca pra que eu também cuspisse dentro. Marcos batia com a rola na cara do Enzo e dizia:
-que tesão do caralho, Ennio! Você é um cara de sorte.
-Por que você não tenta com o matheus?
-ele só olharia dentro da minha sunga se tivesse uma pizza ou um vídeo game dentro.
-rsrs se quiser eu e o Enzo te ajudamos a seduzir ele.

Deitamos no chão, lado a lado e o Enzo ficou sentando nas rolas, sentava quicava umas 5 vezes e trocava. Segurei o Enzo no colo pro marcos comer o cuzinho dele. Foi uma putaria da porra! Gozamos umas 4 vezes em 2 horas de putaria. Mas como tudo que é bom dura pouco, Marcos quis voltar pra mulher não desconfiar. No caminho de volta, tentei convencer ele a aderir o incesto com o filho.

-cara, não tem coisa melhor, toda vez que a minha esposa dá as costas eu faço uma sacanagem com o Enzo. Outra noite, depois que a minha esposa chegou em casa, depois de um dia de trabalho, pediu que eu desse o jantar pra Eliza enquanto ela tomava banho, enquanto eu dava o jantar pra ela o Enzo melou meu pau com a papinha da irmã e sentou em cima. Ficou rebolando com o meu pau cravado no cú com a irmazinha vendo tudo de camarote. Quando fui gozar na boca dele, ele tomou tudo e limpou a papinha do meu pau. A Eliza vendo aquilo, até ficou com vontade e pediu. Melei o pau na papinha e passei na boca dela. Quando ela tiver de maior vai ser minha também.
-Puta que pariu, Ennio! Até a Eliza? Cara que tesão! Deixa eu lamber a bucetinha dela?
-se você deixar eu comer o matheus fazemos uma festinha com os 3, aí você vai poder brincar com ela.
-Porra, e se der errado?
-todo moleque é puto, não existe um que não goste de uma boa putaria.
-tá ok então, vamos tentar, alguma idéia?
-claro que tenho uma idéia…

[CONTINUA…]

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 4 votos)
Loading...