Pedro velho e gordo e a putinha esquecida parte 2

continuação de Pedro velho e gordo e a putinha esquecida .

E lá fui eu pro quarto todo vermelho sempre escolho este adoro a cor vermelha .
Quando abro a porta a menina de cabelos amarelo acho que nunca tinha visto um quarto com aquele luxo todo .
Era minha vez de voltar a atacá-la ,quando dei por mim estava ali,perto da cama redonda esta eu , agarrado, entrelaçado, abraçado forte e apertadamente com Fabiana,minha boca esfomeada colou-se em sua boca, minha linguá serpenteava dentro daquela boca de hálito perfumado até encontrar sua linguá macia. nossas linguás como que dançavam em um ritual frenético. salivas sendo trocadas, respirações se confundindo.
Uma de suas mãos procurava ansiosamente pelo objeto que lhe daria prazer, meu pênis, enquanto que a outra apertava minhas nádegas me puxando ao seu encontro. as minhas mãos, incontroláveis, deslisavam por todo o seu corpo, uma se detinha em suas nádegas carnudas, outra descia pelas suas coxas macias.
Paresiamos dois polvos com muitos tentáculos explorando cada polegada de nossos corpos que já se esfregavam se roçavam como que a querer consumar o ato que estava na iminência de acontecer.
Já se podia sentir no ar o cheiro de sexo que exalava de nossos corpos ensandecidos.
Uma das mãos de Fabiana achou meu pênis, enquanto a outra me puxava fortemente de encontro a ela.
Dava para ver que mesmo com a diferença de idade e mesmo eu sendo feio nesta hora nada contava só sentimento de tesão prosperava no ar .
Foi quando uma de minhas mãos começou a puxar para o lado sua minúscula calcinha, enquanto que a outra fortemente a puxava de encontro ao meu corpo.
Ela conseguiu de algum modo abaixar minha calça e minha cueca o que permitiu que meu membro rijo e pulsante se libertasse e ela o agarrasse com volúpia e começasse a puxá-lo de encontro a sua vagina.
Eu com uma de minhas mãos afastei o fundilho de sua calcinha para o lado deixando livre sua xaninha, molhada com aquele liquido viscoso.
Ai ela abriu suas pernas levemente dobradas para permitir minha linguá penetrando, eu não conseguia pensar em mais nada, eu não estava ali, estava na estratosfera, estava em outro mundo, em outra dimensão.
Olhando para a carinha daquela putinha loira se retorcendo na minha boca , dava pra perceber que a muito tempo minguem a tratava como mulher só como objeto ,mais hoje é diferente , hoje ela nunca mais vai me esquecer e hoje sou o homem que tenho certeza nunca mais sairá da tua lembrança quando estiver com outro na cama .
Sei que nos homem não somos muito chegado em preliminares?
Mais aprendi com a idade ,descobri um ótimo argumento para convencer qualquer mulher mesmo as novinha que a idade só nos deixa mais tranquilos e menos afoito e aprendi a fazer este menina de cabelo amarelo a implorar pra ter meu cacete atolando na sua xaninha .
Depois desta longas sessões de beijos, lambidas e muuuitos amassos:
Ela já tinha chegado ao orgasmo e acredite não era mentira ela se derretia em meus amasso e só implorava pela minha tora .
Esfregava o meu pau de cima e pra baixo, e eu não enfiava na xaninha…
A fazia rebolar no meu caralho enquanto eu esfregava, e disse:

– Vamos lá menina… quero que você me diga o que você quer que eu faça contigo… quero ouvir você dizer…
E ela …
– Me fode gostoso… me fode… me fode… enfia esse teu caralho gostoso na minha buceta e me come gostoso…
Eu…
– E o que mais você quer? Quer na bundinha também, não quer?

– Quero sim… quero na bundinha também… mas por favor me fode gostoso…

Eu coloquei todo minha TORA dentro da sua xaninha…
E soquei fundo até o talo… A fiz gemer de tanto prazer…
E tirava todo e colocava de novo socando bem fundo…
Em um vai e vem gostoso, eu peguei no seu quadril e comecei a meter bem rápido e fundo, nossa quase morri de tanto tesão…
Então eu e disse:
-Agora quero sentir se tua bundinha é gostosa como a tua xaninha…

E coloquei a cabeça na entrada e lentamente fui empurrando até entrar a cabeça,ala gemeu com certeza tava doendo, mas ela não queria parar…
Então continuei devagar e fui empurrando todo ele pra dentro…
Ai eu senti que a dor era suportável pra ela … então comecei um o vai e vem… bem devagar, e dizia:

– Ai que delícia… teu cuzinho é apertadinho… tão gostosinho, você não deve dar muito essa bundinha… por que aaaiii que delícia…
Ela não se fazendo de rogada me disse …
– Vem meu vovôzinho, fode gostoso essa bundinha virgenzinha… fode…

Eu continuava socando de lentamente mas sem intervalos, aquilo tava deixando-a maluca, enquanto eu fodia seu cuzinho ela tocava sua xaninha…
Algum tempinho nesse vai e vem delicioso, ela disse que tava gozando então eu acelerei as estocadas e gozamos juntos…
Senti meu leitinho escorrendo pelas sua pernas .

Agora ela estava contente… tinha sentido meu leitinho em várias partes do meu corpo.

– Agora sou teu macho… quero te comer sempre… de todas as maneiras possíveis…
E não me importo de dividi-la com mais gente .

– Meu fetiche preferido…

Um dia você vai saber , então tomamos banho e depois de um descanso justo saímos do motel .
Quando a deixei antes de sair do carro ela deu me um beijo que eu tive certeza ainda teria aquela putinha na minha casa ;;;
Olhando para seu rosto juvenil ,que mesmo sabendo que ela era experiente no ramo .
Eu sabia que a putinha esquecida já tinha se passado muito tempo que um homem não a tratava como princesa . Eu sei que no fundo todo nós só que se sentir especial .
Pois também sei que eu mesmo queria ser não menos especial para ela .

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...